Arquidiocese do Rio de Janeiro

34º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 24/03/2017

24 de Março de 2017

“Efeito Rio” marca JMJ de Cracóvia

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

24 de Março de 2017

“Efeito Rio” marca JMJ de Cracóvia

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

01/08/2016 11:51 - Atualizado em 01/08/2016 11:51
Por: Rádio Vaticano

“Efeito Rio” marca JMJ de Cracóvia 0

“Efeito Rio” marca JMJ de Cracóvia / Arqrio

Milhares de brasileiros estiveram presentes em Cracóvia: é o “efeito Rio” que se sente aqui na Polônia. O Arcebispo do Rio de Janeiro, Orani João Tempesta, disse que a Igreja precisava envolver mais os jovens latino-americanos se quisesse se renovar.

>> Clique aqui e ouça a reportagem com Dom Orani João Tempesta

“A JMJ do Rio motivou sem dúvida a participação dos brasileiros e latino-americanos aqui em Cracóvia”, afirmou Dom Orani.

Os brasileiros formaram a 4ª maior delegação da JMJ 2016, atrás apenas dos poloneses, italianos e franceses. Esses jovens católicos se viraram como puderam para chegar aqui, e não escondem a emoção em realizar o sonho de encontrar jovens do mundo inteiro e o Papa Francisco. Como relata Letícia Aparecida Campos, de São Paulo.

“A gente passou por muitas dificuldades, muitos problemas: crise econômica, reformulação dos grupos. Então, foi um encontro muito bom, porque a gente está junto há uma semana. [No Brasil] a gente fez show, arrecadação, passava mais tempo na igreja do que fora. Essa vitória não é minha: fiquei muito feliz por ser uma das privilegiadas de participar das missas aqui”.

Terminados os eventos oficiais com o Papa, os festivais da juventude espalhados pela cidade reuniram jovens do mundo inteiro. E os brasileiros chamaram a atenção pela alegria e, e principalmente, pela música. Como esse grupo de Fortaleza que fez uma canção especial para a Jornada.

“Nosso grupo ‘Ser-tão do Papa” quis fazer alguma coisa diferente. A gente quis fazer um ‘forrozinho’ que representasse o nosso grupo”, disse Danilo Aguiar.

Mas não é só música, não é só festa: todos estes jovens percorrem um percurso espiritual: é isso que diferencia a Jornada Mundial da Juventude de outros grandes eventos juvenis.

“É o momento da sua busca espiritual. De você estar em contato com o Espírito Santo para que ele possa te guiar sempre mais próximo de Deus”, disse Diego Queiroz da Silva, de Maringá (PR).

Deus no céu e Francisco na terra.

Mais de 5 mil jornalistas acompanham a 15ª viagem internacional de Francisco para documentar ao mundo o quanto o Papa sabe falar diretamente aos jovens.

De Cracóvia para a RV, Rafael Belincanta

Foto: ANSA
 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.