Arquidiocese do Rio de Janeiro

30º 15º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 26/05/2019

26 de Maio de 2019

Lava-pés a migrantes: "para despertar a consciência"

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

26 de Maio de 2019

Lava-pés a migrantes: "para despertar a consciência"

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

24/03/2016 10:56 - Atualizado em 24/03/2016 10:57
Por: Rádio Vaticano

Lava-pés a migrantes: "para despertar a consciência" 0

Lava-pés a migrantes:

A Cooperativa Social “Auxilium” recebe com alegria, emoção e gratidão o anúncio do Papa Francisco em celebrar o rito do lava-pés da Santa Missa da Ceia do Senhor desta quinta-feira, 24 de março, na casa que acolhe 892 migrantes, isto é, no Centro de Requerentes de Asilo de “Castelnuovo di Porto”, periferia de Roma. Para a celebração, 114 colaboradores que trabalham na estrutura também estarão presentes.

Papa Francisco vai dedicar o gesto de lavar os pés a 11 migrantes e a uma colaboradora italiana católica da cooperativa. Os migrantes são 4 jovens nigerianos católicos, 3 mulheres eritreias cristãs coptas, três muçulmanos (um sírio, um paquistanês e um malinês) e um jovem indiano de religião hindu.

A maior parte dos hóspedes no centro social são muçulmanos e, entre os cristãos, junto aos católicos, há muitos coptas e protestantes – o que nunca foi motivo de discussão, segundo quem trabalha na casa. Hoje, o que se criou entre todos os hóspedes e colaboradores foi um grande entusiasmo à espera da chegada do Santo Padre.

Segundo comunicado da Cooperativa Social, “é um outro gesto de misericórdia do Papa Francisco a milhões de pessoas que fazem a viagem da esperança. O abaixar-se do Papa Francisco para lavar os pés dos migrantes e dos refugiados não poderá não ajudar a despertar a consciência de todos da indiferença, e não fazer-nos sentir a responsabilidade de cuidarmos de quem foge em busca de uma vida melhor. É assim para todos nós do Auxilium que desde 2007 trabalhamos no sistema de acolhimento nacional. Desde a viagem do Santo Padre à Lampedusa, no início do seu pontificado, nós nos sentimos chamados a renovar a nossa responsabilidade e empenho em favor dos migrantes”.

A decisão de celebrar a Missa da Ceia do Senhor com o rito do lava-pés fora do Vaticano já é uma tradição no atual pontificado. Em 2015, Francisco foi ao complexo de Rebibbia, onde lavou os pés de alguns detentos, homens e mulheres. Em 2014, o Santo Padre deslocou-se ao Centro ‘Santa Maria della Provvidenza’, da Fundação Don Carlo Gnocchi, destinado à reabilitação de pessoas com deficiência e idosos. Em 2013, Francisco esteve numa casa de detenção juvenil em Roma.

Foto: ANSA

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.