Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 17/11/2018

17 de Novembro de 2018

Cardeal Tempesta dedica altar da Basílica Mãe das Dores, em Juazeiro do Norte

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

17 de Novembro de 2018

Cardeal Tempesta dedica altar da Basílica Mãe das Dores, em Juazeiro do Norte

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

03/02/2016 12:51 - Atualizado em 03/02/2016 12:52
Por: Ingrid Monteiro - Site Basílica Santuário de Nossa Senhora das Dores

Cardeal Tempesta dedica altar da Basílica Mãe das Dores, em Juazeiro do Norte 0

Cardeal Tempesta dedica altar da Basílica Mãe das Dores, em Juazeiro do Norte  / Arqrio

Um dia que ficará eternamente gravado nos corações do Padre Cícero e da Mãe das Dores. A história de superação, fé e milagres concluiu mais um capítulo. Na manhã da última terça-feira, 2 de fevereiro, dia da Apresentação do Senhor, contou com a cerimônia de consagração e bênção do altar da Basílica Santuário Nossa Senhora das Dores em Juazeiro do Norte, encerrando mais uma Romaria de Nossa Senhora das Candeias. A solenidade foi presidida pelo arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro, cardeal Orani João Tempesta, com a presença de uma multidão de fiéis.

A Basílica Santuário que, no passado, recebeu os cuidados do patriarca de Juazeiro do Norte, Padre Cícero Romão Batista, hoje, vivenciou o rito de consagração, unção, incensação, revestimento e iluminação do altar, o qual foi ungido com o Óleo do Crisma pelas próprias mãos do Cardeal Tempesta. Em comunhão com Cristo Ressuscitado, o bispo da Diocese de Crato-CE, Dom Fernando Panico; o bispo da Diocese de Patos-PB, Dom Eraldo Bispo da Silva; o bispo emérito de Petrolina-PE, Dom Frei Paulo Cardoso da Silva, juntamente com sacerdotes e religiosos diocesanos e convidados, se fizeram presentes na celebração.

Nas palavras do cardeal, a gratidão em participar da considerada segunda maior festividade do ciclo de romarias. “Para mim é uma alegria vivenciar a Romaria de Candeias, fomentada pelo Padre Cícero Romão Batista, no dia em que eu completo mais um ano de atividade religiosa, além disso, de ter a oportunidade de consagrar o altar da Basílica Santuário, vivenciando essa alegria e devoção do povo romeiro. Peço a Deus que essa experiência de fé que eles têm aqui possa acompanhá-los em suas casas, famílias, paróquias e comunidades”, pontuou.

Dom Orani refletiu ainda sobre a importância da piedade popular fomentada a partir da figura do patriarca de Juazeiro do Norte. “Padre Cícero soube como ninguém ser alguém que falava a linguagem do povo. Os fiéis encontravam nele a orientação segura para aquilo que eram chamados como cristãos. E mesmo após sua morte, o sacerdote continua atraindo os devotos para Cristo e Nossa Senhora. Por isso, o Cardeal Parolin, em nome do Santo Padre, afirmou que longe de julgar o passado, o importante é vermos os frutos daquilo que Padre Cícero despertou nos fiéis e na sociedade”, ressaltou.

Milhares de romeiros, em sua maioria, dos estados de Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte, foram os verdadeiros protagonistas desse dia festivo. Quem participou da Missa Solene se emocionou com o momento. Foi o caso da aposentada Rosalva da Conceição Lima, conhecida por Rosinha do Horto, de 95 anos, moradora de Juazeiro do Norte, que participou do Rito Litúrgico de dedicação do altar da Basílica Santuário. “Para mim é uma emoção participar desse fato histórico. Quando eu vinha assistir missa, aos domingos, sempre encontrava o Padre Cícero neste altar, de joelho em frente à imagem de Nossa Senhora das Dores”, relembra emocionada a devota.

Rito litúrgico

Após os ritos iniciais da Santa Missa, o altar da Basílica Santuário de Nossa Senhora das Dores recebeu as relíquias de São Gaspar e São Pedro Fourier, depositadas pelo cardeal Orani Tempesta. O altar foi todo ungido com o Óleo do Crisma, tornando-se o símbolo de Cristo. “O Pai O ungiu pelo Espírito Santo e O constituiu o Sumo Sacerdote, para que oferecesse no altar do seu Corpo o sacrifício da vida pela salvação de todos”.

Em seguida, a incensação do altar da Basílica simbolizou o sacrifício de Cristo, bem como exprime as orações dos fiéis que sobre até o trono de Deus. O revestimento do altar foi realizado pela Irmã Annette Dumoulin e pela devota Rosalva Conceição, a qual conheceu o Padre Cícero Romão Batista. O ato indica que o altar cristão é a mesa do banquete sacrificial, da qual todos os fiéis se aproximam com alegria, para se alimentarem do alimento divino, o Corpo e o Sangue de Cristo imolado. Por fim, a iluminação do altar fez recordar que Cristo é “Luz para se revelar às nações”, por cuja claridade resplandece a Igreja e por ela toda a família humana. 

temp_titleDom_Orani_em_Juazeiro_do_Norte_8_03022016123924

temp_titleDom_Orani_em_Juazeiro_do_Norte_14_03022016123937

temp_titleDom_Orani_em_Juazeiro_do_Norte_13_03022016123934

temp_titleDom_Orani_em_Juazeiro_do_Norte_11_03022016123930

temp_titleDom_Orani_em_Juazeiro_do_Norte_10_03022016123928

temp_titleDom_Orani_em_Juazeiro_do_Norte_15_03022016123939

temp_titleDom_Orani_em_Juazeiro_do_Norte_12_03022016123932

Fotos: Carlos Moioli

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.