Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 17º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/09/2017

23 de Setembro de 2017

Francisco adverte para desemprego juvenil

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Setembro de 2017

Francisco adverte para desemprego juvenil

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

14/12/2015 13:31 - Atualizado em 14/12/2015 13:32
Por: Rádio Vaticano

Francisco adverte para desemprego juvenil 0

Francisco adverte para desemprego juvenil / Arqrio

O encontro com os integrantes do Projeto Policoro, da Conferência Episcopal Italiana, foi a ocasião para o Papa Francisco falar da condição da juventude atual.

Na Sala Paulo VI, no final da manhã de segunda-feira, 14 de dezembro, o Pontífice recebeu cerca de dois mil membros deste projeto que nasceu 20 anos atrás, durante o Congresso Eclesial de Palermo.

A finalidade desta iniciativa é conjugar o Evangelho com a promoção juvenil, por meio da formação, de cooperativas e de gestos concretos.

Em seu discurso, o Pontífice advertiu para o desemprego. “Quantos jovens hoje são vítimas do desemprego! Quantos deixaram de procurar trabalho, resignados a contínuas rejeições ou à indiferença de uma sociedade que premia somente os privilegiados. O trabalho não é um dom gentilmente concedido a poucos indicados: é um direito para todos!”

Dignidade e respeito

O Papa encorajou os participantes do Projeto Policoro a continuarem desenvolvendo projetos à medida do homem, que respeitem a dignidade seja de quem os realiza, seja de quem se beneficia.

Deste modo, afirmou, os jovens podem redescobrir a “vocação” ao trabalho, que vai além do resultado econômico. “Com frequência, a ideia de trabalho como ‘realização’ da pessoa foi confundida com certo modelo de riqueza e de bem-estar que leva a ritmos desumanos. É melhor educar as jovens gerações a buscar a medida justa”, disse Francisco, indicando a escola do Evangelho, onde se aprende realmente o que é necessário para não seguir os ídolos de um falso bem-estar.

Jesus, prosseguiu o Pontífice, não nos ensina diretamente como inventar possibilidades profissionais, mas sua palavra nunca deixa de ser atual, concreta, viva e capaz de tocar todo o homem e todos os homens. “Hoje Ele fala também a nós: nos exorta a fazer de nossas ideias, dos nossos projetos, da nossa vontade de fazer e de criar uma boa nova para o mundo.”

Foto: Reuters

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.