Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/11/2017

18 de Novembro de 2017

Papa: Conferência de Paris, coragem de decisões importantes

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Novembro de 2017

Papa: Conferência de Paris, coragem de decisões importantes

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

07/12/2015 11:07 - Atualizado em 07/12/2015 11:07
Por: Rádio Vaticano

Papa: Conferência de Paris, coragem de decisões importantes 0

Papa: Conferência de Paris, coragem de decisões importantes / Arqrio

Após a oração mariana do Ângelus, o Papa Francisco disse que está acompanhando com muita atenção os trabalhos da Conferência sobre o Clima (COP21) que se realiza, em Paris, e recordou uma pergunta que fez em sua Encíclica ‘Laudato si’: 

“Que tipo de mundo queremos deixar a quem vai nos suceder, às crianças que estão crescendo? Para o bem da casa comum, de todos nós e das gerações futuras, em Paris, todos os esforços devem ser destinados a aliviar os impactos das mudanças climáticas e, ao mesmo tempo, combater a pobreza e fazer florescer a dignidade humana. As duas escolhas caminham juntas: deter as mudanças climáticas e combater a pobreza para que floresça a dignidade humana. Rezemos para que o Espírito Santo ilumine todos os que são chamados a tomar decisões tão importantes e que Deus lhes dê a coragem de manter como critério de escolha o bem de toda a família humana.”

O Papa lembrou que nesta segunda-feira, se celebra o quinquagésimo aniversário de um evento memorável entre católicos e ortodoxos. 

“Em 7 de dezembro de 1965, vigília da conclusão do Concílio Vaticano II, com a Declaração comum do Papa Paulo VI e do Patriarca Ecumênico Atenágoras, foram apagadas da memória as sentenças de excomunhão entre as Igrejas de Roma e Constantinopla em 1054. É realmente providencial que aquele gesto histórico de reconciliação, que criou as condições para um novo diálogo entre ortodoxos e católicos no amor e na verdade, seja lembrado no início do Jubileu da Misericórdia. Não há caminho autêntico rumo à unidade sem pedir perdão a Deus e entre nós pelo pecado da divisão. Recordamos em nossa oração o querido Patriarca Ecumênico Bartolomeu e os outros Chefes das Igrejas Ortodoxas, e peçamos ao Senhor para que as relações entre católicos e ortodoxos sejam sempre inspiradas no amor fraterno.”

Francisco recordou que no sábado, 5 de dezembro, foram beatificados em Chimbote, no Peru, os missionários Padre Michele Tomaszek e Padre Zbigniew Strzałkowski, franciscanos conventuais poloneses, e o Padre Alessandro Dordi, sacerdote fidei donum italiano, mortos por ódio à fé em 1991. “A fidelidade desses mártires em seguir Jesus dê força a todos nós, mas sobretudo aos cristãos perseguidos em várias partes do mundo, de testemunhar o Evangelho com coragem”, sublinhou o Papa. 

O pontífice pediu aos peregrinos provenientes da Itália e outras partes do mundo para rezarem por ele.

Foto: Reuters

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.