Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 27/03/2017

27 de Março de 2017

ONU classifica “Estado Islâmico” como ameaça global

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

27 de Março de 2017

ONU classifica “Estado Islâmico” como ameaça global

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

23/11/2015 15:16 - Atualizado em 23/11/2015 15:18
Por: Rádio Vaticano

ONU classifica “Estado Islâmico” como ameaça global 0

ONU classifica “Estado Islâmico” como ameaça global / Arqrio

O Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou, na última sexta-feira, 20 de novembro, por unanimidade, uma resolução que declara o auto-proclamado Estado Islâmico uma ameaça global e sem precedentes à paz e à segurança internacionais. O Conselho pediu a todos os países que façam o que for necessário para erradicar as áreas controladas pelos extremistas na Síria e no Iraque.

Os 15 países integrantes do Conselho de Segurança alertaram que o grupo planeja realizar mais ataques como os que ocorreram em Paris e em Beirute. Eles citaram também operações extremistas na Tunísia, Turquia e no Egito, na queda do avião russo na região do Sinai.

O Conselho de Segurança alertou que o Estado Islâmico, ou Daesh pela nomenclatura em árabe, “tem condições e a intenção de realizar outros atentados. Os países-membros “condenaram veementemente” o EI e outros grupos terroristas na região, como a Frente Al-Nusrah.

A resolução pede aos Estados que intensifiquem os esforços para reduzir o fluxo de combatentes terroristas estrangeiros para o Iraque e para a Síria. O documento quer ainda que os governos evitem e suspendam qualquer tipo de financiamento para o terrorismo.

Justiça

O órgão reafirmou que os responsáveis por ações terroristas, violações da lei humanitária internacional ou abusos dos direitos humanos devem ser levados à justiça. O Conselho acusou ainda o EI de continuar com violações generalizadas e sistemáticas dos direitos humanos, como também de atos bárbaros e roubo do Patrimônio Cultural da região.

Os países-membros mencionaram que o grupo terrorista controla áreas de recursos naturais, ricas em petróleo, e continua com as operações de recrutamento e treinamento de extremistas estrangeiros, que ameaçam toda a comunidade internacional. 

Foto: AP

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.