Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/11/2018

18 de Novembro de 2018

Conferência celebra 30 anos do Código de Direito Canônico e lança publicação

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Novembro de 2018

Conferência celebra 30 anos do Código de Direito Canônico e lança publicação

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

18/04/2013 16:45
Por: Da Redação, com CNBB

Conferência celebra 30 anos do Código de Direito Canônico e lança publicação 0

Conferência celebra 30 anos do Código de Direito Canônico e lança publicação / Arqrio

Na última quarta-feira, 17 de abril, durante a 51ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) fez a celebração dos 30 anos da promulgação do novo Código de Direito Canônico (CDC). A solenidade foi realizada no plenário da Assembleia, em parceria com a Sociedade Brasileira de Canonistas.

De acordo com o assessor canônico da CNBB, Frei Evaldo Xavier Gomes, o Código é considerado o último documento do Concílio Vaticano II.

— Quando o Papa João XXIII anunciou, para toda a Igreja, a convocação de um Concílio, ele conclamou também a convocação para um novo CDC. Não é à toa que em 1983, quando foi promulgado o novo Código, o Papa João Paulo II afirmou que se tratava do último documento do Concílio Vaticano II.

Frei Evaldo enumera também que o Concílio trouxe grandes mudanças para a vida da Igreja.

— O novo CDC veio ao encontro da realidade das comunidades pós-conciliares. O direito penal da Igreja ficou mais enxuto. Por exemplo, no que diz respeito à vida religiosa, abriu espaço a novas formas de vida religiosa, sejam institutos de vida consagrada, sociedades de vida apostólica e mesmo as prelazias pessoais.

O consultor lembra, porém, que é preciso que as comunidades conheçam melhor o Código.

— Ele é acessível e deveria ser mais lido, mais conhecido, mais estudado. É um reconhecimento de nossa cidadania na Igreja de Jesus Cristo, disse Frei Evaldo.

As Edições CNBB fizeram, na ocasião, o livro “Código de Direito Canônico comentado”, que pode ser adquirido através do site www.edicoescnbb.com.br.

* Foto: CNBB  

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.