Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/11/2018

18 de Novembro de 2018

Partilha e relação, o significado da comunicação

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Novembro de 2018

Partilha e relação, o significado da comunicação

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

16/07/2015 17:44 - Atualizado em 16/07/2015 17:45
Por: Arquidiocese de Vitória

Partilha e relação, o significado da comunicação 0

Partilha e relação, o significado da comunicação / Arqrio

Palestras enriquecedoras prenderam a atenção dos participantes na manhã desta quinta-feira, 16 de julho, no segundo dia do 9º Muticom. A professora Elizabeth Barros e o bispo Dom Leomar Brustolin deixaram provocações e reflexões importantes sobre a ética, o indivíduo e a religião. O Muticom ainda recebeu a participação de uma comitiva alemã e a palestra sobre internet e redes sociais, do presidente da Comissão de Comunicação da Conferência Episcopal Alemã, Dom Gebhard Fürst. Iniciando a manhã, uma missa presidida pelo presidente da Comissão da Comunicação da CNBB, Dom Darci Nicioli.

Elizabeth Barros afirmou que a realidade é mais do que vemos, e por isso, precisamos de uma subjetividade subvertora, de pensamentos críticos e da desconstrução dos modos naturalizados de se pensar a comunicação. Dessa forma, é necessário a construção de um plano comum, em que exista a possibilidade de estar, partilhar e ouvir o que o outro tem a dizer. “Essa partilha deve nos tirar do lugar, provocar o conflito, para que novas subjetividades sejam criadas. Falo de uma comunicação imidiática, que é aquela feita por processos comunicativos por contágio, que se dão através dos movimentos sociais e populares”. Ainda de acordo com a palestrante, a ética tem como direção a vida.

Dom Leomar, embora trabalhando mais o aspecto religioso, complementou o pensamento de Elizabeth, afirmando que “comunicação é sempre relação, seja real ou digital”. Ele destacou ainda a necessidade da vida em comunidade, e ligações de reciprocidade e gratuidade, já que a desintermediação é o atalho que dispensa instituições, normas ou líderes e não agrega pessoas em um lugar comum.

Ainda durante esta manhã, uma intervenção artística movimentou o Centro de Convenções, com ritmos típicos capixabas e ainda uma música sobre o Muticom, interagindo com os participantes vindos de vários Estados.

Durante a tarde, os participantes se distribuiram pelos Grupos de Trabalho para a troca de experiências.

Foto: Arquidiocese de Vitória 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.