Arquidiocese do Rio de Janeiro

25º 13º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/07/2019

19 de Julho de 2019

Papa na missa: "Aceitar o estilo divino de salvação"

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Julho de 2019

Papa na missa: "Aceitar o estilo divino de salvação"

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

24/03/2015 08:16 - Atualizado em 24/03/2015 08:16
Por: Rádio Vaticano

Papa na missa: "Aceitar o estilo divino de salvação" 0

Que a graça trazida pela Santa leve os cristãos a aceitar a ajuda que Deus lhes dá e o modo em que a oferece, sem críticas ou objeções. Este é o ensinamento proposto pelo Papa na Missa celebrada na Casa Santa Marta, na manhã desta terça-feira (24/03).

“Fazemos ‘caprichos espirituais’ diante de Deus - que oferece a salvação em mil formas - somente porque somos pessoas que não sabem aceitar ‘o estilo divino’ e nos entristecemos, escorregamos na lamentação... Este é um erro que cometem muitos cristãos hoje, assim como a Bíblia narra que o povo judeu, salvado da escravidão, caía”.

Veneno e salvação

O Papa Francisco começou pelo episódio descrito no Livro dos Números em que os judeus se rebelam às fadigas da fuga no deserto, ao alimento ‘leve’, e começam a ‘falar mal de Deus’. Muitos deles são mordidos e mortos por serpentes venenosas. Somente a oração de Moisés, que intercede por eles e ameaça uma serpente com um bastão, simboliza a salvação do veneno:

“Quantos de nós, cristãos nos ‘envenenamos por estar descontentes com a vida. Sim, Deus é bom realmente, mas os cristãos... mas... Não abrem completamente o coração à salvação de Deus e sempre impõem condições. ‘Sim, eu quero ser salvo, mas por este caminho...’. Assim, o coração se envenena”, completou o Papa.

O estilo que não nos agrada

“Nós também, continuou Francisco, ‘muitas vezes dizemos estar enjoados com o estilo divino. Não aceitamos o dom de Deus com o seu estilo. Isto é pecado – frisou o Papa – é veneno. Envenena a alma, tira a alegria, não deixa a gente prosseguir’ E Jesus redime este pecado subindo ao Calvário”.

“Ele coloca sobre Ele mesmo o veneno, o pecado, e é elevado. Este torpor da alma, este ser cristãos pela metade, ‘cristãos sim, mas...’; este entusiasmo no início do caminho do Senhor e depois o descontentamento, isso tem cura somente ao olhar para a Cruz, olhar Deus que assume os nossos pecados: o meu pecado está ali”.

Cristãos sem 'mas'

“Quantos cristãos – conclui o Papa – hoje morrem no deserto da própria tristeza, dos murmúrios, e do não querer o estilo de Deus”:

“Vejamos a serpente, o veneno, ali, no corpo de Cristo, o veneno de todos os pecados do mundo e peçamos a graça de aceitar os momentos difíceis. De aceitar o estilo divino de salvação, de aceitar também este alimento tão leve do qual se lamentavam os judeus, de aceitar as coisas. De aceitar as vias pelas quais o Senhor me leva adiante. Que esta Semana Santa – que começará no domingo – nos ajude a sair desta tentação de sermos ‘cristãos sim, mas...”.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.