Arquidiocese do Rio de Janeiro

30º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/05/2019

23 de Maio de 2019

Vaticano: Papa assinala solenidade da Imaculada Conceição de Maria, exemplo para todos os católicos

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Maio de 2019

Vaticano: Papa assinala solenidade da Imaculada Conceição de Maria, exemplo para todos os católicos

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

08/12/2014 11:03 - Atualizado em 08/12/2014 11:04
Por: Agência Ecclesia

Vaticano: Papa assinala solenidade da Imaculada Conceição de Maria, exemplo para todos os católicos 0

O Papa Francisco disse hoje no Vaticano que a celebração da Imaculada Conceição de Maria deve inspirar os católicos para uma vida de “gratuidade”, com abertura de coração a Deus.

“Tal como recebemos de graça, assim somos chamados a dar gratuitamente, à imitação de Maria, que logo após ter recebido o anúncio do anjo foi partilhar o dom da fecundidade com a sua prima Isabel”, referiu, desde a janela do apartamento pontifício, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação do ângelus.

Segundo o Papa, “diante do amor, da misericórdia, da graça divina”, a consequência que se impõe “é só uma: a gratuidade”, porque “ninguém pode comprar a salvação”.

“Se tudo nos foi dado, tudo deve ser dado de novo. De que forma? Deixando que o Espírito Santo faça de nós um dom para os outros; o Espírito é um dom para nós e nós, com a força do Espírito, devemos ser dom para os outros; que nos faça ser instrumentos de acolhimento, de reconciliação e de perdão”, observou.

Francisco referiu que a solenidade da Imaculada Conceição se pode resumir na frase “tudo é graça, tudo é dom gratuito de Deus e do seu amor”.

Em Maria, acrescentou, “não há espaço para o pecado, porque Deus a escolheu desde sempre como mãe de Jesus e preservou-a da culpa original”.

“A atitude de Maria de Nazaré mostra-nos que o ser vem antes do fazer e que é preciso deixar que Deus faça para sermos verdadeiramente como Ele quer”, precisou.

Se, no caso da mãe de Jesus, o “mistério do acolhimento da graça” não tinha os obstáculos do pecado, “por um privilégio único”, essa atitude é uma possibilidade para todos os batizados, assinalou Francisco.

“Também a nós nos é pedido que escutemos Deus que nos fala e que acolhamos a sua vontade: segundo a lógica do Evangelho, nada é mais laborioso e fecundo do que escutar e acolher a Palavra do Senhor”, prosseguiu.

O Papa recordou que esta tarde vai deslocar-se à Basílica de Santa Maria Maior, antes de cumprir a tradicional homenagem de oração junto ao monumento da Imaculada Conceição na Praça de Espanha, Roma, pedindo que todos se unam “espiritualmente” a esta peregrinação, numa tarde “inteiramente dedicada” a Maria, que exprime “devoção filial” a Nossa Senhora.

Francisco concluiu com votos de um “bom caminho de Advento com a orientação da Virgem Maria”.




Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.