Arquidiocese do Rio de Janeiro

38º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 14/12/2018

14 de Dezembro de 2018

Cardeal Filoni no Iraque: cristãos e minorias correm riscos se não houver intervenção

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

14 de Dezembro de 2018

Cardeal Filoni no Iraque: cristãos e minorias correm riscos se não houver intervenção

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

18/08/2014 17:13 - Atualizado em 18/08/2014 19:00
Por: Rádio Vaticano

Cardeal Filoni no Iraque: cristãos e minorias correm riscos se não houver intervenção 0

temp_titleCardeal_Filoni_18082014171411O Cardeal Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos e Enviado Pessoal do Papa, prossegue a sua missão entre os refugiados no Iraque. Atualmente se encontra em Irbil, no Curdistão. Nesta terça-feira, dia 19, irá à Bagdá onde entregará uma mensagem do Papa ao Presidente iraquiano. O Cardeal falou com a Rádio Vaticano sobre a situação dos refugiados:

Cardeal Filoni: “Dia após dia se vê que, mesmo na precariedade, se encontram soluções oportunas para facilitar a presença deste mais de vinte mil refugiados aqui em Irbil, sobretudo na cidade de Ankawa, uma cidade quase que totalmente cristã caldeia, onde foram hospedados em vários lugares, dos jardins próximos à igreja á própria igreja, nos locais de catecismo, e mesmo nos centros que foram colocados à disposição mas onde, obviamente, se deve enfrentar os problemas de estrutura: pensemos aos banheiros, chuveiros....aqui faz 48º C! Portanto, as exigências destas pessoas são bens de primeira necessidade. Naturalmente, após esta primeira organização, começa a surgir mais forte o problema do futuro. Assim, estamos um pouco nesta situação. Todas as autoridades nos garantiram a sua colaboração. È necessário pensar que aqui no Iraque hoje existe 1 milhão e 200 mil refugiados, 400 mil crianças, pessoas pertencentes a vários grupos religiosos e étnicos... E depois existe todo o problema da segurança e isto envolve a presença das autoridades e a segurança destes mesmos locais. Depois, tem toda a questão dos ‘peshmerga’ que estão procurando retomar e controlar os territórios que precedentemente não estavam sob o controle deles”.

Rádio Vaticano (RV): O Patriarca Caldeu Sako lançou um apelo à comunidade internacional para liberar os povoados ocupados pelos jihadistas. O senhor se uniu a este apelo...

Cardeal Filoni: “Sim. Com efeito, fazendo um giro sobretudo na parte norte, constatamos as situações precárias que foram criadas. Gostaria de dizer que existem questões relativas justamente à certeza por parte destas pessoas de pode viver, mesmo se em locais de refúgios, mas de qualquer forma, em segurança. Da nossa parte, o que solicitamos – eu, enquanto cardeal, o patriarca e os bispos – o fizemos em nome de todas as pessoas, que em todos os lugares por onde andamos nos pediram isto. Aquilo que o patriarca colocou por escrito é exatamente aquilo que os cristãos disseram. Portanto, não somos nós porta-vozes de alguma coisa nossa, mas de vozes que surgiram em todos os locais por onde andamos, quer entre católicos, cristãos, yazidi, outras minorias. Isto eu gostaria de dizer com clareza, pois me parece oportuno que sejam compreendidas as exigências e desejos de todas as pessoas que encontramos”.

RV: Existe o perigo que os cristãos e as outras minorias religiosas estejam a risco no Iraque caso não se fizer nula?

Cardeal Filoni:“Certo! É este o gravíssimo problema! Portanto, por isto que diremo que o apelo mesmo pede uma intervenção urgente, que depois, faz eco àquilo que o Santo Padre pediu escrevendo às Nações Unidas”.

RV: O senhor sabe que o Papa rezou pelo senhor na manhã de hoje, em Seul?

Cardeal Filoni: “Não, é uma notícia que você me dá agora...”

RV: O Papa ao final da Oração dos Fiéis, disse estas palavras: “...Pelo Cardeal Fernando Filoni que deveria estar entre nós, mas que não pode vir pois foi enviado pelo Papa ao povo sofredor do Iraque, para ajudar os perseguidos e despojados, e a todas as minorias religiosas que sofrem naquela terra. Que o Senhor lhe seja próximo em sua missão”. Estas foram suas palavras.

Cardeal Filoni:: “...aproveito esta ocasião, obviamente para agradecer… fico um pouco emocionado em saber disto…”

RV: São palavras muito bonitas ditas em um momento particular, durante a Missa pela paz e a reconciliação....

Cardeal Filoni: “Tenhamos presente que mais que as pessoas, o povo daqui tem necessidade de ser apoiado. Ontem de noite, quando celebramos uma grande Missa aqui em Irbil com a Igreja muito cheia, onde manifestei a proximidade por parte do Santo Padre, o afeto, o encorajamento. Não estávamos somente nós, daqui, os refugiados e a comunidade cristã de Irbil, mas em qualquer lugar aonde andamos dissemos para unirem-se espiritualmente a este nosso ato de culto, e portanto, mesmo se eram dispersos nos vários povoados, nós os tínhamos presentes neste momento particular da Missa em favor dos refugiados, em apoio às suas vidas. Portanto, éramos um pouco uma comunidade presente, mas também os ausentes estavam espiritualmente presentes”. 

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.