Arquidiocese do Rio de Janeiro

36º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 12/12/2018

12 de Dezembro de 2018

Apelo do Papa suscita vigílias de oração pela paz na Terra Santa

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

12 de Dezembro de 2018

Apelo do Papa suscita vigílias de oração pela paz na Terra Santa

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

17/07/2014 14:28 - Atualizado em 17/07/2014 14:28
Por: Rádio Vaticano

Apelo do Papa suscita vigílias de oração pela paz na Terra Santa 0

Apelo do Papa suscita vigílias de oração pela paz na Terra Santa / Arqrio

Esta noite, em resposta ao apelo do Papa Francisco no Ângelus do domingo passado para que os fiéis continuassem “rezando com insistência pela paz na Terra Santa", em Roma, Jerusalém, Gaza e em outras partes do mundo muitos fiéis se reúnem em vigília de oração para romper a espiral da violência que não poupa nem mesmo as crianças.

Como disse o Santo Padre, trata-se de uma oração que "nos ajuda a não deixar-nos vencer pelo mal", para que o ódio não prevaleça "sobre o diálogo e a reconciliação".

Entre as muitas vigílias de oração encontra-se a que se realiza esta noite, a partir das 18h locais, na Basílica romana de Santa Anastácia. A esse propósito, disse o reitor da basílica, padre Alberto Pacini, entrevistado pela Rádio Vaticano: "Como sempre, respondemos imediatamente aos convites que o Santo Padre nos faz, que é o nosso bispo e pastor da Igreja universal, conscientes da gravidade do momento presente, conscientes da eficácia da oração: a oração diante do Senhor é certamente uma arma potentíssima na qual devemos acreditar muito mais".

Segundo ele, muitas vezes, o mal parece sempre ter mais força, porque fala mais alto, mas exatamente por isso é preciso perseverar na oração.

“O Papa, justamente, domingo passado fez-nos pensar quando disse: não creiam que a oração que foi feita aqui no Vaticano tenha sido inútil ou sem valor. Porque trouxe frutos, frutos que não vemos, frutos que fogem à visão de um observador exterior. Em todo caso, se o mal se intensifica, deve intensificar-se a ação do bem. E qual ação poderia ser mais eficaz do que pedir a Deus que intervenha? Ele nos diz: rezai, pedi, batei, buscai! E queremos fazer isso e a isso nos dispomos", afirmou padre Alberto.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.