Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/11/2018

18 de Novembro de 2018

Bispos apóiam campanha da Cáritas contra fome

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Novembro de 2018

Bispos apóiam campanha da Cáritas contra fome

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

09/05/2014 14:48
Por: Imprensa CNBB

Bispos apóiam campanha da Cáritas contra fome 0

Bispos apóiam campanha da Cáritas contra fome / Arqrio

A campanha da Cáritas Brasileira “Uma família humana, pão e justiça para todas as pessoas” foi apresentada na 52ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), pelo bispo de Santarém (PA) e presidente da Cáritas no Brasil, Dom Flávio Giovenale. A iniciativa receberá o apoio da CNBB nas suas ações.

A campanha teve início em dezembro do ano passado. No Brasil, de acordo com a Cáritas, a partir do contexto e da realidade do país, será trabalhada como “Uma família humana, pão e justiça para todas as pessoas”.

>>> Uma em cada oito pessoas passam fome no mundo
>>> Cáritas Brasileira divulga Campanha Mundial de Combate à Fome
>>> Caritas Internacional quer eliminar a fome até 2025

Dom Giovenale explicou durante entrevista coletiva, na tarde do dia 8 de maio, que o combate à fome é o primeiro objetivo apontado pela Organização das Nações Unidas (ONU), nas metas para este milênio, buscando eliminá-la até 2025. Ele ainda destacou que a campanha tem o desejo de sensibilizar populações, governos e entidades para atingir o que foi proposto pela organização. Entretanto, segundo o bispo, não há respostas concretas sobre a questão em várias partes do mundo. “Nós estamos já em mais da metade do caminho e vários países, vários governos nem começaram ainda o trabalho para eliminar a fome”, lamentou.

De acordo com o bispo, a fome não acontece por acaso, o que justifica duas vertentes da campanha. A primeira busca ajudar as pessoas que estão com fome e a segunda tem o objetivo de evitar o desperdício. Dom Flávio Giovenale citou as estatísticas da ONU que apontam o número de 1 bilhão de toneladas de alimentos jogadas fora ao ano e o Brasil como recordista no estrago de comida. “Quase 60% do alimento produzido no Brasil não chegam à mesa, porque são estragados, desde a colheita até o armazenamento”, apontou.

Algumas ações foram citadas pelo bispo como levantamentos de pequenas iniciativas que ajudam comunidades na superação da fome e o planejamento de um gesto concreto de ajuda ao Haiti, em parceria com a CNBB.

O Brasil, com os programas do governo, de acordo com Dom Giovenale, é um dos países que já está alcançando a meta, apesar dos 50 milhões de brasileiros abaixo da linha da pobreza. “Isso quer dizer que ainda temos muito a fazer”, comentou. Ele ainda lembrou que os programas devem acontecer em períodos determinados para “evitar o vício”.



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.