Arquidiocese do Rio de Janeiro

37º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 16/12/2018

16 de Dezembro de 2018

Cresce anti semitismo na Europa

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

16 de Dezembro de 2018

Cresce anti semitismo na Europa

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

11/11/2013 16:27
Por: Rádio Vaticano

Cresce anti semitismo na Europa 0

Cresce anti semitismo na Europa / Arqrio

O anti semitismo cresceu na União Europeia nos últimos cinco anos, principalmente através da Internet, dizem 76% dos cerca de 6000 judeus que participaram de uma pesquisa  da Agência Europeia dos Direitos Fundamentais. O documento foi citado pela edição on line do jornal português “Público”.

Segundo o estudo, o conflito israelo-árabe está alimentando o sentimento antijudaico. A pesquisa foi realizada em 2012, através da Internet, em oito países que reúnem cerca de 90% da atual população europeia que partilha esta fé religiosa: Alemanha, Bélgica, França, Hungria, Itália, Letónia, Suécia e Reino Unido. A divulgação coincide com os 75 anos da Noite de Cristal, o dia 9 de Novembro de 1938, em que o regime nazista enviou as suas forças especiais para as ruas para destruir as casas, lojas e sinagogas dos judeus na Alemanha e também na Áustria recém-anexada.

Problema social

Duas em cada quatro pessoas entrevistadas consideram o anti semitismo como um verdadeiro problema. Esse sentimento é mais forte na Hungria (91%), na França e na Bélgica (ambas com 88%). Quase metade dos entrevistados teme ser alvo de uma agressão verbal por ser judeu num lugar público, e um terço receia um ataque físico.

Mas é ao navegar pela Internet que mais temem encontrar ataques à sua religião ou à sua identidade. Os fóruns de discussão na Internet, os comentários no YouTube “estão cheios de mensagens anti semitas”, diz uma participante francesa na pesquisa, citada pela AFP.

A média europeia da constatação do anti semitismo no discurso político europeu é de 44%, mas há uma cambiante no que é o discurso anti semita entre a Europa de Leste e a Europa Ocidental, marcada pelo conflito árabe-israelense.

Com efeito, segundo Morten Kjaerum, diretor da Agência Europeia dos Direitos Fundamentais “em toda a Europa há uma forma tradicional de anti semitismo que remonta há muito tempo”, mas este estudo revela uma “forma específica de anti semitismo, que foi relatada pelos participantes na pesquisa e que resulta do conflito no Médio Oriente”.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.