Arquidiocese do Rio de Janeiro

38º 22º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 14/12/2018

14 de Dezembro de 2018

O compromisso da Igreja na luta contra a AIDS na África

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

14 de Dezembro de 2018

O compromisso da Igreja na luta contra a AIDS na África

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

18/10/2013 11:24
Por: Rádio Vaticano

O compromisso da Igreja na luta contra a AIDS na África 0

O compromisso da Igreja na luta contra a AIDS na África / Arqrio

Demonstrar o compromisso da Igreja na luta contra a AIDS na África através de histórias das comunidades que vivem esse drama e testemunhos de pessoas que trabalham nas organizações católicas engajadas nesse âmbito. 

É o que propõe o livro "AIDS após 30 anos: Reflexões de fé sobre a epidemia na África", editado pela 'Rede dos Jesuítas Africanos contra a AIDS' (AJAN) instituída pela Conferência dos Superiores Maiores da África e Madagascar (JESAM), em 2002, para coordenar a resposta da Companhia de Jesus contra a pandemia no continente.

O livro foi apresentado na quarta-feira, 16 de outubro, em Genebra, Suíça, no encontro de CHAN, rede católica contra HIV/AIDS. A obra reúne uma série de testemunhos e contribuições de especialistas e voluntários de várias ONGs católicas que falam sobre o impacto da epidemia nos países africanos e também sobre a complexidade do problema na África. 

Esse drama não é apenas um desafio para a saúde, mas evoca os males endêmicos do continente tais como pobreza, guerras e desigualdades sociais.

O livro destaca a necessidade de uma abordagem integral da AIDS que, à luz dos ensinamentos da Igreja, considere não apenas os setores de saúde, mas também humanos, sociais, econômicos, culturais e espirituais. Nesse discurso se baseia o trabalho de AJAN, atuante hoje em trinta países africanos, apoiando mais de 150 projetos e promovendo o intercâmbio de experiências e conhecimentos entre os jesuítas engajados neste apostolado. 

No centro de seu compromisso estão: a defesa da dignidade e dos direitos dos doentes, a luta contra a discriminação, a luta pelo acesso ao tratamento e a denúncia dos desequilíbrios socioeconômicos que favorecem a disseminação do vírus HIV.

Importante também é o trabalho de prevenção realizado pela rede através da educação a vários modelos de comportamento e conscientização das pessoas no respeito pelas culturas e crenças locais.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.