Arquidiocese do Rio de Janeiro

35º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/12/2017

18 de Dezembro de 2017

O amor é a nossa missão

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Dezembro de 2017

O amor é a nossa missão

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

03/09/2015 16:55 - Atualizado em 03/09/2015 16:55

O amor é a nossa missão 0

03/09/2015 16:55 - Atualizado em 03/09/2015 16:55

Com o tema: “O Amor é a nossa Missão” e o sub-tema: “A Família Plenamente Viva”, vivemos essa última Semana Nacional das Famílias, nos quatro cantos da nossa cidade e do Brasil inteiro. Temática em comunhão com o VIII Encontro Mundial das Famílias (EMF), de 22 a 27 de setembro, na Filadélfia, EUA, e que precede o Sínodo sobre a Evangelização das Famílias, de 04 a 25 de outubro, no Vaticano.

Faz-se urgente relembrar a cada um de nós que viemos do amor, e que o amor é a nossa tarefa vital e o nosso destino final. O fato de termos sido criados à imagem e semelhança (cf. Gen 1, 26-27) do Deus que é amor (cf. I Jo 4, 7) faz desse o elemento básico do nosso DNA espiritual. Entretanto, o pecado corrompe todas as estruturas: a nossa identidade e os nossos relacionamentos. Afirmar que “O Amor é a nossa Missão” deve nos levar a refletir, em primeiro lugar: “O que é, afinal, o amor?”. Nada parecer ser tão manipulado, falseado e distorcido como esse que é o fundamento da existência humana.

Mais do que um simples sentimento romântico, amar é uma atitude concreta de querer sempre o bem do outro, escolher a sua felicidade, colocando-a como prioridade na sua vida, ainda que isso incorra em sacrifícios e renúncias para si próprio. Amar é decisão, um ato livre da vontade.

As catequeses preparatórias para o EMF e as reflexões do subsídio “Hora da Família 2015” muito nos iluminam. Numa tradução nossa, podemos destacar algumas reflexões importantes. A presença divina na carne humana em Cristo significa que o Criador do universo é também o nosso íntimo e terno Pai. Jesus revela quem Deus é, que Ele nos ama e se aproxima de nós. A Palavra de Deus afirma que “nossa vida está escondida em Cristo” (Col 3, 3) E mais: é o AMOR que faz da pessoa humana uma autêntica imagem da Trindade Santa, imagem de Deus. Este termo “imagem de Deus” vem do Gênesis (cf. Gn 1, 26-27; 9, 6). E ser uma pessoa à imagem e semelhança de Deus diz respeito também a viver em relacionamentos, na relação com um outro “eu”.

Para nos tornarmos o que fomos criados para ser, nós devemos nos doar uns aos outros. Ou seja, o ideal de tornar-se verdadeiramente uma pessoa só pode ser alcançado através do dom sincero de si, já afirmava São João Paulo II.  Ele mesmo também nos recorda que o homem que quer entender a si mesmo plenamente – e não apenas de acordo com os seus padrões e medidas imediatistas, parciais, superficiais ou ilusórios do seu ser –, este homem deve aproximar-se de Cristo mesmo com seus pecados, incertezas desconfortos e fraquezas (cf. Redemptor Hominis, 10).

Assim fica claro entender, então, porque “O Amor é Nossa Missão” foi o tema escolhido para o Encontro Mundial das Famílias de 2015. A ótica cristã do matrimônio e da família se encaixa em uma missão mais ampla de viver, de modo que o amor de Deus torne-se visível e radiante; viver esta missão torna a vida cotidiana mais viva com a alegria que vem de Deus. O subtítulo “A Família Verdadeiramente Viva” se mostra aqui.

Viver a Semana Nacional da Família e estendê-la a todos os outros dias do ano é testemunhar ao mundo que o amor ainda existe, que é possível amar para a vida toda, ainda que isso implique em renúncias e sacrifícios pessoais. É anunciar que só nos realizamos plenamente quando nos colocamos à serviço do outro, especialmente o que mais precisa receber amor. Não pode haver mais nobre missão na vida!

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

O amor é a nossa missão

03/09/2015 16:55 - Atualizado em 03/09/2015 16:55

Com o tema: “O Amor é a nossa Missão” e o sub-tema: “A Família Plenamente Viva”, vivemos essa última Semana Nacional das Famílias, nos quatro cantos da nossa cidade e do Brasil inteiro. Temática em comunhão com o VIII Encontro Mundial das Famílias (EMF), de 22 a 27 de setembro, na Filadélfia, EUA, e que precede o Sínodo sobre a Evangelização das Famílias, de 04 a 25 de outubro, no Vaticano.

Faz-se urgente relembrar a cada um de nós que viemos do amor, e que o amor é a nossa tarefa vital e o nosso destino final. O fato de termos sido criados à imagem e semelhança (cf. Gen 1, 26-27) do Deus que é amor (cf. I Jo 4, 7) faz desse o elemento básico do nosso DNA espiritual. Entretanto, o pecado corrompe todas as estruturas: a nossa identidade e os nossos relacionamentos. Afirmar que “O Amor é a nossa Missão” deve nos levar a refletir, em primeiro lugar: “O que é, afinal, o amor?”. Nada parecer ser tão manipulado, falseado e distorcido como esse que é o fundamento da existência humana.

Mais do que um simples sentimento romântico, amar é uma atitude concreta de querer sempre o bem do outro, escolher a sua felicidade, colocando-a como prioridade na sua vida, ainda que isso incorra em sacrifícios e renúncias para si próprio. Amar é decisão, um ato livre da vontade.

As catequeses preparatórias para o EMF e as reflexões do subsídio “Hora da Família 2015” muito nos iluminam. Numa tradução nossa, podemos destacar algumas reflexões importantes. A presença divina na carne humana em Cristo significa que o Criador do universo é também o nosso íntimo e terno Pai. Jesus revela quem Deus é, que Ele nos ama e se aproxima de nós. A Palavra de Deus afirma que “nossa vida está escondida em Cristo” (Col 3, 3) E mais: é o AMOR que faz da pessoa humana uma autêntica imagem da Trindade Santa, imagem de Deus. Este termo “imagem de Deus” vem do Gênesis (cf. Gn 1, 26-27; 9, 6). E ser uma pessoa à imagem e semelhança de Deus diz respeito também a viver em relacionamentos, na relação com um outro “eu”.

Para nos tornarmos o que fomos criados para ser, nós devemos nos doar uns aos outros. Ou seja, o ideal de tornar-se verdadeiramente uma pessoa só pode ser alcançado através do dom sincero de si, já afirmava São João Paulo II.  Ele mesmo também nos recorda que o homem que quer entender a si mesmo plenamente – e não apenas de acordo com os seus padrões e medidas imediatistas, parciais, superficiais ou ilusórios do seu ser –, este homem deve aproximar-se de Cristo mesmo com seus pecados, incertezas desconfortos e fraquezas (cf. Redemptor Hominis, 10).

Assim fica claro entender, então, porque “O Amor é Nossa Missão” foi o tema escolhido para o Encontro Mundial das Famílias de 2015. A ótica cristã do matrimônio e da família se encaixa em uma missão mais ampla de viver, de modo que o amor de Deus torne-se visível e radiante; viver esta missão torna a vida cotidiana mais viva com a alegria que vem de Deus. O subtítulo “A Família Verdadeiramente Viva” se mostra aqui.

Viver a Semana Nacional da Família e estendê-la a todos os outros dias do ano é testemunhar ao mundo que o amor ainda existe, que é possível amar para a vida toda, ainda que isso implique em renúncias e sacrifícios pessoais. É anunciar que só nos realizamos plenamente quando nos colocamos à serviço do outro, especialmente o que mais precisa receber amor. Não pode haver mais nobre missão na vida!

Tatiana e Ronaldo de Melo
Autor

Tatiana e Ronaldo de Melo

Núcleo de Formação e Espiritualidade da Pastoral Familiar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro