Arquidiocese do Rio de Janeiro

35º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/12/2017

18 de Dezembro de 2017

Deus-Analgésico?

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Dezembro de 2017

Deus-Analgésico?

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

05/08/2015 17:04 - Atualizado em 05/08/2015 17:05

Deus-Analgésico? 0

05/08/2015 17:04 - Atualizado em 05/08/2015 17:05

Já parou para avaliar como você age com relação a Deus? Há muita gente que fala de Deus, diz que tem fé e, na realidade, não tem um relacionamento com Ele, não desenvolve uma intimidade. Talvez porque O veja como o Todo-Poderoso sem qualquer envolvimento ou preocupação com o comum da vida dos homens, ou porque acredite que Ele é severo demais e punitivo... Todas essas visões deturpadas, que não revelam a face amorosa e misericordiosa do Senhor, acabam por afastar o homem de Deus. Será que é esse o seu caso, e você nem se deu conta?

As atitudes diárias podem dar pistas... Ele é alguém com quem você conversa e partilha o que acontece no cotidiano? É para Ele que você conta suas alegrias, aflições, medos, sonhos e projetos? Pede conselhos?... Talvez, até este momento, você ache que isso é coisa de gente maluca, porque “Deus não responde e nem se manifesta”. Mas eu afirmo que pensar assim é um grande engano! Ele responde, sim! Talvez não da forma que você está acostumado ou que gostaria, mas, acredite: a resposta chega! Algumas vezes por meio da sua intuição, outras por coisas não previstas que acontecem, em algumas ocasiões por amigos que te direcionam palavras certeiras e por inúmeras situações que simplesmente mudam o rumo de tudo. E sabe por quê? Porque Deus está vivo e não é indiferente a nenhum de nós!

A liturgia deste domingo mostra o povo atrás de Jesus porque queria que Ele saciasse a sua fome. Ou seja, aquelas pessoas não O buscavam por Ele mesmo, mas à espera do que Ele poderia fazer por elas.

“Em verdade, em verdade, eu vos digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos”. (Jo 6,26b)

Ora, quem não desenvolve um relacionamento com Deus se comporta da mesma maneira: faz do Senhor um Deus-Analgésico, a quem procura só quando surgem as dores da vida...

Precisamos desenvolver uma relação de amizade com o Senhor. Nesse encontro diário de amigos é que nos fortalecemos! Isso é o mais bonito da nossa fé! #vamoemfrente

* O artigo aqui reproduzido também é publicado na coluna dominical do Padre Omar Raposo no Jornal O Dia.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Deus-Analgésico?

05/08/2015 17:04 - Atualizado em 05/08/2015 17:05

Já parou para avaliar como você age com relação a Deus? Há muita gente que fala de Deus, diz que tem fé e, na realidade, não tem um relacionamento com Ele, não desenvolve uma intimidade. Talvez porque O veja como o Todo-Poderoso sem qualquer envolvimento ou preocupação com o comum da vida dos homens, ou porque acredite que Ele é severo demais e punitivo... Todas essas visões deturpadas, que não revelam a face amorosa e misericordiosa do Senhor, acabam por afastar o homem de Deus. Será que é esse o seu caso, e você nem se deu conta?

As atitudes diárias podem dar pistas... Ele é alguém com quem você conversa e partilha o que acontece no cotidiano? É para Ele que você conta suas alegrias, aflições, medos, sonhos e projetos? Pede conselhos?... Talvez, até este momento, você ache que isso é coisa de gente maluca, porque “Deus não responde e nem se manifesta”. Mas eu afirmo que pensar assim é um grande engano! Ele responde, sim! Talvez não da forma que você está acostumado ou que gostaria, mas, acredite: a resposta chega! Algumas vezes por meio da sua intuição, outras por coisas não previstas que acontecem, em algumas ocasiões por amigos que te direcionam palavras certeiras e por inúmeras situações que simplesmente mudam o rumo de tudo. E sabe por quê? Porque Deus está vivo e não é indiferente a nenhum de nós!

A liturgia deste domingo mostra o povo atrás de Jesus porque queria que Ele saciasse a sua fome. Ou seja, aquelas pessoas não O buscavam por Ele mesmo, mas à espera do que Ele poderia fazer por elas.

“Em verdade, em verdade, eu vos digo: estais me procurando não porque vistes sinais, mas porque comestes pão e ficastes satisfeitos”. (Jo 6,26b)

Ora, quem não desenvolve um relacionamento com Deus se comporta da mesma maneira: faz do Senhor um Deus-Analgésico, a quem procura só quando surgem as dores da vida...

Precisamos desenvolver uma relação de amizade com o Senhor. Nesse encontro diário de amigos é que nos fortalecemos! Isso é o mais bonito da nossa fé! #vamoemfrente

* O artigo aqui reproduzido também é publicado na coluna dominical do Padre Omar Raposo no Jornal O Dia.

Padre Omar Raposo
Autor

Padre Omar Raposo

Reitor do Santuário Cristo Redentor