Arquidiocese do Rio de Janeiro

23º 16º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/07/2019

18 de Julho de 2019

Orai sem cessar

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Julho de 2019

Orai sem cessar

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

20/02/2015 00:00

Orai sem cessar 0

20/02/2015 00:00

Uma das práticas que a liturgia quaresmal nos aponta para intensificarmos neste tempo é a oração. Encontramos essa necessidade mesmo fora do cristianismo: a oração é um fenômeno antropológico, isto é, todos os homens, de uma forma ou de outra, rezam, sentem a necessidade de se relacionar com Deus, de buscar o transcendente. O diálogo com Deus ocupa, certamente, o primeiro lugar para quem decide dar-se a uma vida interior intensa. Deus se doa a quem, totalmente e sem reserva, a Ele se doa. Para nós a oração é a um Deus próximo, que nos fala ao coração, e que enviou o seu Filho para morar conosco.

A mística da vida de oração nos faz viver diante de Deus respondendo ao chamado de “orar sem cessar”. Ouvir o Senhor que nos fala ao coração e falar de nossa vida e situação agradecendo, louvando, pedindo. Alicerçados principalmente na luz da Palavra de Deus, que é luz para nosso caminho e nos ajuda no caminho da vida de oração.

A vida interior é uma vida de oração. Cada um deve encontrar tempo para estar com o Senhor em íntima comunhão e diálogo de amizade. Sem a vivência dos valores espirituais e evangélicos, não é possível ter conhecimento experiencial de Deus.

Qualquer pessoa que queira desenvolver a sua vida espiritual deve todos os dias encontrar o tempo suficiente para dedicar-se a determinados atos de oração. Assim como neste tempo somos chamados à ascese, como penitência para acolhermos a conversão, a mística que nos faz viver em comunhão com o Senhor deve estar em nossa vida a cada instante.

Na Bíblia, não encontramos nenhuma definição de oração, mas situações descritivas de homens e de mulheres que rezam. Na experiência mística de tantos irmãos e irmãs nossos, ao longo dos séculos, muitos santos, teólogos, místicos partilharam esta experiência desse misterioso e vivo diálogo com Deus. Santa Teresinha nos oferece uma explicação: “Para mim, a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado para o céu, um grito de reconhecimento e amor, no meio da provação ou no meio da alegria”.

Nunca devemos nos esquecer de que a oração, mais do que esforço pessoal ou iniciativa humana, é um dom gratuito de Deus. E, sendo Deus amor, inicia o diálogo, procura-nos. Como bem disse São João da Cruz: “Se é verdade que o homem procura a Deus, ainda mais é verdade que Deus procura o homem”.

A Quaresma é um tempo especial em que a Igreja nos convida à prática do jejum, da esmola e da oração, a fim de que nós possamos nos preparar integralmente para reviver a vitória sobre a morte que Cristo veio trazer para toda a humanidade.

Pela oração, tornamo-nos mais próximos de Deus, conversamos com Ele, pedimos, agradecemos, mas também aprendemos a escutar. Escutamos Deus através do nosso exame de consciência, através de nossas orações e através da análise dos acontecimentos.

 

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Orai sem cessar

20/02/2015 00:00

Uma das práticas que a liturgia quaresmal nos aponta para intensificarmos neste tempo é a oração. Encontramos essa necessidade mesmo fora do cristianismo: a oração é um fenômeno antropológico, isto é, todos os homens, de uma forma ou de outra, rezam, sentem a necessidade de se relacionar com Deus, de buscar o transcendente. O diálogo com Deus ocupa, certamente, o primeiro lugar para quem decide dar-se a uma vida interior intensa. Deus se doa a quem, totalmente e sem reserva, a Ele se doa. Para nós a oração é a um Deus próximo, que nos fala ao coração, e que enviou o seu Filho para morar conosco.

A mística da vida de oração nos faz viver diante de Deus respondendo ao chamado de “orar sem cessar”. Ouvir o Senhor que nos fala ao coração e falar de nossa vida e situação agradecendo, louvando, pedindo. Alicerçados principalmente na luz da Palavra de Deus, que é luz para nosso caminho e nos ajuda no caminho da vida de oração.

A vida interior é uma vida de oração. Cada um deve encontrar tempo para estar com o Senhor em íntima comunhão e diálogo de amizade. Sem a vivência dos valores espirituais e evangélicos, não é possível ter conhecimento experiencial de Deus.

Qualquer pessoa que queira desenvolver a sua vida espiritual deve todos os dias encontrar o tempo suficiente para dedicar-se a determinados atos de oração. Assim como neste tempo somos chamados à ascese, como penitência para acolhermos a conversão, a mística que nos faz viver em comunhão com o Senhor deve estar em nossa vida a cada instante.

Na Bíblia, não encontramos nenhuma definição de oração, mas situações descritivas de homens e de mulheres que rezam. Na experiência mística de tantos irmãos e irmãs nossos, ao longo dos séculos, muitos santos, teólogos, místicos partilharam esta experiência desse misterioso e vivo diálogo com Deus. Santa Teresinha nos oferece uma explicação: “Para mim, a oração é um impulso do coração, é um simples olhar lançado para o céu, um grito de reconhecimento e amor, no meio da provação ou no meio da alegria”.

Nunca devemos nos esquecer de que a oração, mais do que esforço pessoal ou iniciativa humana, é um dom gratuito de Deus. E, sendo Deus amor, inicia o diálogo, procura-nos. Como bem disse São João da Cruz: “Se é verdade que o homem procura a Deus, ainda mais é verdade que Deus procura o homem”.

A Quaresma é um tempo especial em que a Igreja nos convida à prática do jejum, da esmola e da oração, a fim de que nós possamos nos preparar integralmente para reviver a vitória sobre a morte que Cristo veio trazer para toda a humanidade.

Pela oração, tornamo-nos mais próximos de Deus, conversamos com Ele, pedimos, agradecemos, mas também aprendemos a escutar. Escutamos Deus através do nosso exame de consciência, através de nossas orações e através da análise dos acontecimentos.

 

 

Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro