Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 13/04/2021

13 de Abril de 2021

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

13 de Abril de 2021

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

07/02/2014 18:42 - Atualizado em 07/02/2014 18:43

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA 0

07/02/2014 18:42 - Atualizado em 07/02/2014 18:43

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA
(Para uso nas comunidades, nos encontros vicariais e arquidiocesanos, quando as orientações litúrgicas não prescreverem diferente)

Irmãos e irmãs, a Arquidiocese de S. Sebastião do Rio de Janeiro celebra, em 2014, o Ano da Caridade. Trata-se de uma etapa do 11º Plano Arquidiocesano de Pastoral e quer ser um convite a que todos nós, pessoas, grupos e instituições, possamos rever nossas atitudes e atividades a fim de nos tornarmos ainda mais uma igreja samaritana, capaz de compreender e acolher as dores dos irmãos e irmãs, indo até as causas mais profundas destas dores. Que o Ano da Caridade, celebrado entre 20 de janeiro e 23 de novembro, nos ajude a seguir e testemunhar o conselho que a Palavra de Deus nos apresenta: “Não nos cansemos de fazer o bem! (Gl 6,9)”


1. CANTO INICIAL

Belos, formosos são, sobre os montes, os pés daqueles que anunciam a paz, o amor.
Feliz, bendita, qual pura fonte é a voz daqueles que louvam e cantam o seu Senhor.

És mensageiro do amor primeiro.
Canta a esperança e vai, então.
O amor te impele a caminhar
por montes, vales, por terra e mar.
É rico e não se cansa
quem vai ao outro, o irmão,
pois Deus é seu quinhão.

Vai, anuncia que é pleno dia,
que no horizonte brilha uma luz.
Para cantar há uma razão:
ninguém caminha no mundo em vão.
Serás como uma fonte,
estrela que reluz,
mostrando o sol: Jesus.


2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T. Amém.
P. O Senhor, que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo, esteja convosco.
T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.


3. ANTÍFONA DA ENTRADA
Que o Senhor te responda no dia da angústia! Que o nome do Deus de Jacó te proteja! ([Sl 19 (20)]

ANTÍFONAS OPCIONAIS:
 O amor do Senhor é para sempre! [cf Sl 135 (136)]
 Tu, Senhor, és o escudo que me protege, minha glória e o que me ergue a cabeça! (cf Sl 3,4)
 Em ti confiam os que conhecem o teu nome, pois não abandonas os que te procuram, ó Senhor! ( Sl 9,10)


4. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, Deus, em sua misericórdia nos acolhe e nos convida a acolher os irmãos e irmãs, especialmente os que sofrem. Examinemos nossa consciência para bem celebrarmos estes santos mistérios.
P. Senhor, que tendes compaixão das ovelhas sem pastor, tende piedade de nós.
T. Senhor, tende piedade de nós.
P. Cristo, que nos enviais por toda a terra a testemunhar vosso amor, tende piedade de nós.
T. Cristo, tende piedade de nós.
P. Senhor, que nos julgarás pelo amor que praticamos ou deixamos de praticar, tende piedade de nós.
T. Senhor, tende piedade de nós.
P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.
T. Amém.


5. ORAÇÃO
P. Derramai, ó Deus, em nossos corações o vosso Espírito de Amor, para só pensarmos o que vos agrada e amar-vos com sinceridade, em nossos irmãos e irmãs. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
T. Amém.


6. PRIMEIRA LEITURA (Rm 12,1-2.9-13.13,8-10)

Leitura da carta de S. Paulo aos Romanos - 12,1. Irmãos, eu vos exorto, pela misericórdia de Deus, a oferecerdes vossos corpos como hóstia viva, santa e agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual. 2. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vossa mente, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito. 9. Que vossa caridade não seja fingida, detestando o mal e apegados ao bem, 10. com amor fraterno, tendo carinho uns para com os outros, cada um considerando o outro como mais digno de estima. 11. Não relaxeis o vosso zelo. Sede fervorosos de espírito. Servi ao Senhor. 12. Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração. 13. Socorrei às necessidades dos irmãos. Esmerai-vos na prática da hospitalidade. 13, 8. A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, a não ser o amor mútuo; porque aquele que ama o seu próximo cumpriu a Lei. 9. Pois os preceitos: Não cometerás adultério, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e ainda outros mandamentos que existam, eles se resumem nestas palavras: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 10. A caridade não pratica o mal contra o próximo. Portanto, a caridade é o pleno cumprimento da lei.

LEITURAS OPCIONAIS

(2 Cor 1,3-4.3,4-6.8,9)
Irmãos, 1,3 bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. 4 Ele nos consola em todas as nossas tribulações, para que possamos consolar os que estão em qualquer tribulação, mediante a consolação que nós mesmos recebemos de Deus. 3,4 Tal é a certeza que temos, graças a Cristo, diante de Deus. 5 Não como se fôssemos dotados de capacidade que pudéssemos atribuir a nós mesmos, mas é de Deus que vem a nossa capacidade. 6 Foi ele que nos tornou aptos para sermos ministros de uma Aliança nova, não da letra, mas sim, do Espírito, pois a letra mata, mas o Espírito comunica a vida. 8,9 Com efeito, conheceis a generosidade de nosso Senhor Jesus Cristo, que, por causa de vós, se fez pobre, embora fosse rico, para vos enriquecer com a sua pobreza.

(At 4,32-35)
32. A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava seu o que possuía, mas tudo era posto em comum entre eles. 33. Com grande vigor, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. E todos eles gozavam de grande aceitação. 34. Entre eles ninguém passava necessidade, pois aqueles que possuíam terras ou casas as vendiam, traziam o dinheiro 35. e o colocavam aos pés dos apóstolos; depois, ele era distribuído a cada um conforme a sua necessidade.


7. SALMO RESPONSORIAL [Sl 33 934]

Refrão: Provai e vede quão suave é o Senhor!

Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo!
Seu louvor estará sempre em minha boca.
Minha alma se gloria no Senhor.
Que ouçam os humildes e se alegrem!

Comigo engrandecei ao Senhor Deus.
Exaltemos todos juntos o seu nome!
Todas as vezes que o busquei, Ele me ouviu
e de todos os temores me livrou.

Contemplai a sua face e alegrai-vos.
Que vosso rosto não se cubra de vergonha.
Este infeliz clamou a Deus e foi ouvido
e o Senhor o libertou de toda angústia.

Ao Anjo do Senhor vem acampar
ao redor dos que o temem; e os salva.
Provai e vede quão suave é o Senhor!
Feliz de quem tem nele o seu refúgio.


TEXTOS OPCIONAIS

(Do Sl 144)
Refrão: Saciai os vossos filhos, ó Senhor!

Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem
e os vossos santos com louvores vos bendigam!
Narrem a glória e o esplendor do vosso reino
e saibam proclamar vosso poder!

Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam
e vós lhes dais no tempo certo o alimento.
Vós abris a vossa mão prodigamente
e saciais todo ser vivo com fartura.

É justo o Senhor em seus caminhos.
É santo em toda obra que Ele faz.
Ele está perto da pessoa que o invoca,
de todo aquele que o invoca lealmente.


[Do Sl. 120 (121)]
Refrão: Do Senhor é que me vem o meu socorro,
do Senhor que fez o céu e fez a terra!

Eu levanto meus olhos para os montes:
de onde pode vir o meu socorro?
Do Senhor é que me vem o meu socorro,
do Senhor que fez o céu e fez a terra.

Ele não deixa tropeçarem os meus pés
e não dorme quem te guarda e te vigia.
Oh! Não! Ele não dorme nem cochila,
Aquele que ó guarda de todo o povo.

O Senhor é o teu guarda, o teu vigia.
É uma sombra protetora à tua direita.
Não vai ferir-te o sol durante o dia,
nem a lua através de toda a noite.

O Senhor te guardará de todo o mal.
Ele mesmo vai cuidar da tua vida.
Deus te guarda na partida e na chegada.
Ele te guarda desde agora e para sempre.


8. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia! Aleluia! Como o Pai me amou, assim também eu vos amei!
Aleluia! Aleluia! Como estou no Pai, permanecei em mim!
Vós todos que sofreis, aflitos, vinde a mim. Repouso encontrarão os vossos corações.
Dou graças ao meu Pai que revelou ao pobre, ao pequenino, o seu grande amor.


9. EVANGELHO (Mt 9,35-38)

P. O Senhor esteja convosco.
T. Ele está no meio de nós.
P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
T. Glória a vós, Senhor.
P. Naquele tempo, 35 Jesus percorria todas as cidades e aldeias ensinando nas sinagogas e pregando o Evangelho do Reino, enquanto curava toda espécie de doenças e enfermidades. 36 Ao ver as multidões, teve compaixão delas porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas sem pastor. 37 Então, disse aos seus discípulos: ‘A colheita é grande, mas os operários são poucos! 38 Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie operários para a sua colheita.’ *** Palavra da Salvação.
T. Glória a vós, Senhor.


TEXTOS OPCIONAIS

(Mt 25,31-46)
Naquele tempo, Jesus contou a seguinte parábola: 31 Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso. 32 Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33 Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 34 Então o Rei dirá aos que estão à direita: Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo,. 35 porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes;. 36 nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim. 37 Então os justos vão perguntar: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber? 38 Quando foi que te vimos peregrino e te acolhemos, nu e te vestimos? 39 Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar? 40 Responderá o Rei: Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes. 41 Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos. 42 Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber; 43 era peregrino e não me acolhestes; nu e não me vestistes; enfermo e na prisão e não me visitastes. 44 Também estes lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, peregrino, nu, enfermo, ou na prisão e não te socorremos? 45 E ele responderá: Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que deixastes de fazer isso a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer. 46 E estes irão para o castigo eterno, e os justos, para a vida eterna.


(Mt 15,32-38)
Naquele tempo, 32. Jesus chamou seus discípulos, e disse: "Tenho compaixão dessa multidão, porque já faz três dias que está comigo, e não tem nada para comer. Não quero mandá-los embora sem comer, para que não desmaiem pelo caminho." 33. Os discípulos disseram: "Onde vamos buscar, nesse deserto, tantos pães para matar a fome de tão grande multidão?" 34. Jesus perguntou: "Quantos pães vocês têm?" Eles responderam: "Sete, e alguns peixinhos." 35. Jesus mandou que a multidão se sentasse no chão. 36. Depois pegou os sete pães e os peixes, agradeceu, partiu-os, e ia dando aos discípulos, e os discípulos para as multidões. 37. Todos comeram, e ficaram satisfeitos. E encheram sete cestos com os pedaços que sobraram. 38. Os que tinham comido eram quatro mil homens, sem contar mulheres e crianças.


10. PRECES

P. Elevemos ao Deus de Amor nossas preces, implorando a graça de fazer de cada dia de nossas vidas um tempo de contínua caridade.
1) Pela Santa Igreja de Deus, para que, sempre mais alicerçada no mandamento do Amor, testemunhe sua Fé através de atos de Caridade, rezemos ao Senhor.
T. Senhor, escutai a nossa prece.
2) Pelo Santo Padre Francisco, por nosso bispo Orani, pelo clero e por todos os batizados para que, no testemunho da graça batismal, contagiem outras pessoas a seguir o caminho da caridade, da justiça e da paz, rezemos ao Senhor.
3) Pelo Ano da Caridade, celebrado no Rio de Janeiro, para que seja um tempo fecundo para o fortalecimento da prática do bem individual, comunitária e socialmente, rezemos ao Senhor.
4) Pelas pessoas que, em suas vidas, são ricos testemunhos da caridade, para que não sejam apenas admiradas, mas, acima de tudo, imitadas, rezemos ao Senhor.
5) Pelas entidades que se destinam à prática do bem nas suas mais diversas formas, para que, através da união, do apoio fraterno e da ajuda de todos, vejam crescer seus esforços pelo bem comum, rezemos ao Senhor.
6) Pelos corações endurecidos à dor alheia, para que, tocados pela graça de Deus e pelo testemunho dos que praticam a caridade, libertem-se das algemas do egoísmo e se convertam ao amor a Deus e ao próximo, rezemos ao Senhor.
(Outras preces)
P. Deus de Amor, vós que fazeis chover sobre bons e maus e brilhar o sol sobre justos e injustos, ouvi compassivo as preces que vos apresentamos e dai-nos a graça de, acolhendo vosso amor, partilhá-lo com os irmãos e irmãs que sofrem. Por Cristo, nosso Senhor.
T. Amém.


11. CANTO DAS OFERENDAS

Se eu pudesse hoje transformar a tristeza e o pranto em sorriso
e a felicidade aos homens dar, eu faria deste mundo um paraíso.
Para o amor ter aí o seu lugar, eu poria, se assim fosse preciso,
nos corações, um lembrete ou aviso: A dor e o mal é proibido semear!

Mas sei que tu podes, ó Senhor, sobre o mundo estender a tua mão.
Toma - eu te peço - cada dor. Somente Tu consolarás o coração.

Se eu pudesse hoje o mundo ver povoado só de alegria
e o jardim da vida florescer, eu faria da noite eterno dia.
Ninguém mais haveria de temer da tristeza a nuvem tão sombria.
E, então, quem sabe, o amor construiria aqui sua casa para em nós sempre viver.


12. CONVITE À ORAÇÃO
P. Orai, irmãos e irmãs, para que, levando ao altar as alegrias e fadigas de cada dia, nos disponhamos a oferecer um sacrifício aceito por Deus Pai todo-poderoso.
T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.


13. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS
P. Santificai, ó Deus, esta oferenda e, acolhendo este sacrifício espiritual, dai-nos estender a todos vossa infinita caridade. Por Cristo, nosso Senhor.
T. Amém.


14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA (VI D – Jesus que passa fazendo o bem)

P. O Senhor esteja convosco.
T. Ele está no meio de nós.
P. Corações ao alto.
T. O nosso coração está em Deus.
P. Demos graças ao Senhor nosso Deus.
T. É nosso dever e nossa salvação.
P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação, dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Pai misericordioso e Deus fiel. Vós nos destes vosso Filho Jesus Cristo, Nosso senhor Redentor. Ele sempre se mostrou cheio de misericórdia pelos pequenos e pobres, pelos doentes de pecadores, colocando-se ao lado dos perseguidos e marginalizados. Com a vida e a palavra, anunciou o mundo que sois Pai e cuidais de todos como filhos e filhos. Por essa razão, com todos os Anjos e Santos, nós vos louvamos e bendizemos e proclamamos o hino de vossa glória, cantando [dizendo] a uma só voz:
T. Santo, Santo, Santo ...
P. Na verdade, vós sois santo e digno de louvor, ó Deus, quer amais os seres humanos e sempre os assistis no caminho da vida. Na verdade, é bendito o vosso filho, presente no meio de nós, quando nos reunimos por seu amor. Como outrora aos discípulos, ele nos revela as escrituras e parte o pão para nós.
T. O vosso filho permaneça entre nós!
P. Nós vós suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para santificar estes dons do pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.
T. Mandai o vosso Espírito Santo!
P. Na véspera de sua paixão, durante a última Ceia, Ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: : TOMAI TODOS. E COMEI. ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o entregou a seus discípulos, dizendo: TOMAI TODOS. E BEBEI. ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé!
T. Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e ressurreição.
P. Celebrando, pois, ó Pai santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador, que pela paixão e morte de cruz fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes à vossa direita, anunciamos a obra do vosso amor até que ele venha e vos oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção. Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresentamos o sacrifício pascal de Cristo, que vos foi entregue. E concedei que, pela força do Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a eternidade, entre os membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos.
T. Aceitai, ó Senhor, a nossa oferta!
P. Senhor Deus, conduzi a vossa Igreja à perfeição na fé e no amor, em comunhão com o nosso Papa Francisco, o nosso Bispo Orani, com todos os bispos, presbíteros e diáconos e todo o povo que conquistastes.
T. Confirmai o vosso povo na unidade!
P. Dai-nos olhos para ver as necessidades e os sofrimentos dos nossos irmãos e irmãs. Inspirai-nos palavras e ações para confortar os desanimados e oprimidos. Fazei que, a exemplo de Cristo, e seguindo o seu mandamento nos empenhemos lealmente no serviço a eles. Vossa Igreja seja testemunha viva da verdade e da liberdade, da justiça e da paz, para que toda a humanidade se abra à esperança de um mundo novo.
T. Ajudai-nos a criar um mundo novo!
P. Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs (N. e N.) que adormeceram na paz do vosso Cristo e de todos os falecidos, cuja fé só vós conhecestes. Acolhei-os na luz da vossa face e concedei-lhes, no dia da Ressurreição, a plenitude da vida.
T. Concedei-lhes, ó Senhor, a luz eterna!
P. Concedei-nos ainda, no fim de nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à morada eterna, onde viveremos sempre convosco. E, em comunhão com a bem-aventurada Virgem Maria, com os Apóstolos e Mártires e todos os Santos, vos louvaremos e glorificaremos por Jesus Cristo, vosso Filho. Por Cristo ....
T. Amém.


15. CANTO DA COMUNHÃO

1. Vejam: eu andei pelas vilas, apontei as saídas como o Pai me pediu. Portas eu cheguei para abri-las. Eu curei as feridas como nunca se viu.

Por onde formos também nós, / que brilhe a tua luz! / Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida. / Nosso caminho então conduz. / Queremos ser assim! / Que o Pão da Vida nos revigore no nosso Sim

2. Vejam: fiz de novo a leitura das raízes da vida, que meu Pai vê melhor. Luzes, acendi com brandura. Para a ovelha perdida não medi meu suor.
3. Vejam: procurei bem aqueles que ninguém procurava e falei de meu Pai. Pobres, a esperança que é deles eu não quis ver escrava de um poder que retrai.
4. Vejam: semeei consciência nos caminhos do povo, pois o Pai quer assim. Tramas, enfrentei prepotência dos que temem o novo qual perigo sem fim.
5. Vejam: eu quebrei as algemas, levantei os caídos,do meu Pai fui as mãos. Laços, recusei os esquemas. Eu não quero oprimidos. Quero um povo de irmãos.
6. Vejam: procurei ser bem claro. O meu Reino é diverso. Não precisa de rei, Tronos. Outro jeito mais raro de juntar o disperso, o meu Pai tem por lei.
7. Vejam: do meu Pai a vontade eu cumpri passo a passo. Foi pra isso que eu vim. Dores, enfrentei a maldade, mesmo frente ao fracasso eu mantive o meu Sim.
8. Vejam: fui além das fronteiras, espalhei boa nova: “Todos filhos de Deus!” Vida, não se deixe nas beiras. Quem quiser maior prova venha ser um dos meus.


16. CANTO DE AÇÃO DE GRAÇAS

Não dá para viver sem Tua Paz!
Não dá para viver sem Tua Luz!
Estreito é o caminho que nos conduz à vida.
Veredas tem demais para dispersar-nos.
Ensina-nos, Senhor, a caminhar,
vencendo as injustiças e todo o mal.
Que nada nos impeça de proteger a vida
e que nada nos impeça de lutar:
pela paz, pela vida!
Com Jesus, encontraremos saída.
pela paz, pela vida!
Com Jesus, encontraremos saída.
Só ama a paz quem defende a vida!
Só ama a paz quem defende a vida!


17. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO
P. Ó Deus, que nos alimentastes com o mesmo pão, derramai em nós a graça do Espírito Santo e restaurai-nos plenamente na doçura da vossa caridade. Por Cristo, nosso Senhor.
T. Amém.


18. BÊNÇÃO FINAL

P. O Senhor esteja convosco.
T. Ele está no meio de nós.
P. Deus vos abençoe com todas as bênçãos do céu e vos torne santos e puros diante dele; derrame sobre vós as riquezas da sua glória, instruindo-vos com as palavras da verdade, formando-vos pelo evangelho da salvação e inflamando-vos de amor pelos irmãos. Por Cristo, nosso Senhor.
T. Amém.
P. Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo
T. Amém.
P. Glorificai o Senhor com vossa vida; ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
T. Graças a Deus.


19. CANTO FINAL

Quero ouvir teu apelo, Senhor. Ao teu chamado de amor responder. Na alegria te quero servir e anunciar o teu reino de amor.
E pelo mundo eu vou, cantando o teu amor, pois disponível estou para servir-te, Senhor.
Dia a dia, tua graça me dás. Nela se apóia o meu caminhar. Se estás ao meu lado, Senhor, o que, então, poderei eu temer?!

Missa votiva para pedir a caridade.
Cantos: Entrada: Irmã Míria T. Kolling
Aclamação.: D. Carlos Alberto Navarro e Waldeci Farias;
Oferendas: Irmã Míria T. Kolling
Comunhão.: J. Thomaz Filho e Fr. Fabretti
Ação de Graças: Francisco dos Santos
Final: Irmã Míria T. Kolling

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA

07/02/2014 18:42 - Atualizado em 07/02/2014 18:43

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA
(Para uso nas comunidades, nos encontros vicariais e arquidiocesanos, quando as orientações litúrgicas não prescreverem diferente)

Irmãos e irmãs, a Arquidiocese de S. Sebastião do Rio de Janeiro celebra, em 2014, o Ano da Caridade. Trata-se de uma etapa do 11º Plano Arquidiocesano de Pastoral e quer ser um convite a que todos nós, pessoas, grupos e instituições, possamos rever nossas atitudes e atividades a fim de nos tornarmos ainda mais uma igreja samaritana, capaz de compreender e acolher as dores dos irmãos e irmãs, indo até as causas mais profundas destas dores. Que o Ano da Caridade, celebrado entre 20 de janeiro e 23 de novembro, nos ajude a seguir e testemunhar o conselho que a Palavra de Deus nos apresenta: “Não nos cansemos de fazer o bem! (Gl 6,9)”


1. CANTO INICIAL

Belos, formosos são, sobre os montes, os pés daqueles que anunciam a paz, o amor.
Feliz, bendita, qual pura fonte é a voz daqueles que louvam e cantam o seu Senhor.

És mensageiro do amor primeiro.
Canta a esperança e vai, então.
O amor te impele a caminhar
por montes, vales, por terra e mar.
É rico e não se cansa
quem vai ao outro, o irmão,
pois Deus é seu quinhão.

Vai, anuncia que é pleno dia,
que no horizonte brilha uma luz.
Para cantar há uma razão:
ninguém caminha no mundo em vão.
Serás como uma fonte,
estrela que reluz,
mostrando o sol: Jesus.


2. SAUDAÇÃO

P. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
T. Amém.
P. O Senhor, que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo, esteja convosco.
T. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.


3. ANTÍFONA DA ENTRADA
Que o Senhor te responda no dia da angústia! Que o nome do Deus de Jacó te proteja! ([Sl 19 (20)]

ANTÍFONAS OPCIONAIS:
 O amor do Senhor é para sempre! [cf Sl 135 (136)]
 Tu, Senhor, és o escudo que me protege, minha glória e o que me ergue a cabeça! (cf Sl 3,4)
 Em ti confiam os que conhecem o teu nome, pois não abandonas os que te procuram, ó Senhor! ( Sl 9,10)


4. ATO PENITENCIAL

P. Irmãos e irmãs, Deus, em sua misericórdia nos acolhe e nos convida a acolher os irmãos e irmãs, especialmente os que sofrem. Examinemos nossa consciência para bem celebrarmos estes santos mistérios.
P. Senhor, que tendes compaixão das ovelhas sem pastor, tende piedade de nós.
T. Senhor, tende piedade de nós.
P. Cristo, que nos enviais por toda a terra a testemunhar vosso amor, tende piedade de nós.
T. Cristo, tende piedade de nós.
P. Senhor, que nos julgarás pelo amor que praticamos ou deixamos de praticar, tende piedade de nós.
T. Senhor, tende piedade de nós.
P. Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.
T. Amém.


5. ORAÇÃO
P. Derramai, ó Deus, em nossos corações o vosso Espírito de Amor, para só pensarmos o que vos agrada e amar-vos com sinceridade, em nossos irmãos e irmãs. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.
T. Amém.


6. PRIMEIRA LEITURA (Rm 12,1-2.9-13.13,8-10)

Leitura da carta de S. Paulo aos Romanos - 12,1. Irmãos, eu vos exorto, pela misericórdia de Deus, a oferecerdes vossos corpos como hóstia viva, santa e agradável a Deus: é este o vosso culto espiritual. 2. Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vossa mente, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito. 9. Que vossa caridade não seja fingida, detestando o mal e apegados ao bem, 10. com amor fraterno, tendo carinho uns para com os outros, cada um considerando o outro como mais digno de estima. 11. Não relaxeis o vosso zelo. Sede fervorosos de espírito. Servi ao Senhor. 12. Sede alegres na esperança, pacientes na tribulação e perseverantes na oração. 13. Socorrei às necessidades dos irmãos. Esmerai-vos na prática da hospitalidade. 13, 8. A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, a não ser o amor mútuo; porque aquele que ama o seu próximo cumpriu a Lei. 9. Pois os preceitos: Não cometerás adultério, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e ainda outros mandamentos que existam, eles se resumem nestas palavras: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. 10. A caridade não pratica o mal contra o próximo. Portanto, a caridade é o pleno cumprimento da lei.

LEITURAS OPCIONAIS

(2 Cor 1,3-4.3,4-6.8,9)
Irmãos, 1,3 bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação. 4 Ele nos consola em todas as nossas tribulações, para que possamos consolar os que estão em qualquer tribulação, mediante a consolação que nós mesmos recebemos de Deus. 3,4 Tal é a certeza que temos, graças a Cristo, diante de Deus. 5 Não como se fôssemos dotados de capacidade que pudéssemos atribuir a nós mesmos, mas é de Deus que vem a nossa capacidade. 6 Foi ele que nos tornou aptos para sermos ministros de uma Aliança nova, não da letra, mas sim, do Espírito, pois a letra mata, mas o Espírito comunica a vida. 8,9 Com efeito, conheceis a generosidade de nosso Senhor Jesus Cristo, que, por causa de vós, se fez pobre, embora fosse rico, para vos enriquecer com a sua pobreza.

(At 4,32-35)
32. A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava seu o que possuía, mas tudo era posto em comum entre eles. 33. Com grande vigor, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. E todos eles gozavam de grande aceitação. 34. Entre eles ninguém passava necessidade, pois aqueles que possuíam terras ou casas as vendiam, traziam o dinheiro 35. e o colocavam aos pés dos apóstolos; depois, ele era distribuído a cada um conforme a sua necessidade.


7. SALMO RESPONSORIAL [Sl 33 934]

Refrão: Provai e vede quão suave é o Senhor!

Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo!
Seu louvor estará sempre em minha boca.
Minha alma se gloria no Senhor.
Que ouçam os humildes e se alegrem!

Comigo engrandecei ao Senhor Deus.
Exaltemos todos juntos o seu nome!
Todas as vezes que o busquei, Ele me ouviu
e de todos os temores me livrou.

Contemplai a sua face e alegrai-vos.
Que vosso rosto não se cubra de vergonha.
Este infeliz clamou a Deus e foi ouvido
e o Senhor o libertou de toda angústia.

Ao Anjo do Senhor vem acampar
ao redor dos que o temem; e os salva.
Provai e vede quão suave é o Senhor!
Feliz de quem tem nele o seu refúgio.


TEXTOS OPCIONAIS

(Do Sl 144)
Refrão: Saciai os vossos filhos, ó Senhor!

Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem
e os vossos santos com louvores vos bendigam!
Narrem a glória e o esplendor do vosso reino
e saibam proclamar vosso poder!

Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam
e vós lhes dais no tempo certo o alimento.
Vós abris a vossa mão prodigamente
e saciais todo ser vivo com fartura.

É justo o Senhor em seus caminhos.
É santo em toda obra que Ele faz.
Ele está perto da pessoa que o invoca,
de todo aquele que o invoca lealmente.


[Do Sl. 120 (121)]
Refrão: Do Senhor é que me vem o meu socorro,
do Senhor que fez o céu e fez a terra!

Eu levanto meus olhos para os montes:
de onde pode vir o meu socorro?
Do Senhor é que me vem o meu socorro,
do Senhor que fez o céu e fez a terra.

Ele não deixa tropeçarem os meus pés
e não dorme quem te guarda e te vigia.
Oh! Não! Ele não dorme nem cochila,
Aquele que ó guarda de todo o povo.

O Senhor é o teu guarda, o teu vigia.
É uma sombra protetora à tua direita.
Não vai ferir-te o sol durante o dia,
nem a lua através de toda a noite.

O Senhor te guardará de todo o mal.
Ele mesmo vai cuidar da tua vida.
Deus te guarda na partida e na chegada.
Ele te guarda desde agora e para sempre.


8. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia! Aleluia! Como o Pai me amou, assim também eu vos amei!
Aleluia! Aleluia! Como estou no Pai, permanecei em mim!
Vós todos que sofreis, aflitos, vinde a mim. Repouso encontrarão os vossos corações.
Dou graças ao meu Pai que revelou ao pobre, ao pequenino, o seu grande amor.


9. EVANGELHO (Mt 9,35-38)

P. O Senhor esteja convosco.
T. Ele está no meio de nós.
P. Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
T. Glória a vós, Senhor.
P. Naquele tempo, 35 Jesus percorria todas as cidades e aldeias ensinando nas sinagogas e pregando o Evangelho do Reino, enquanto curava toda espécie de doenças e enfermidades. 36 Ao ver as multidões, teve compaixão delas porque estavam cansadas e abatidas como ovelhas sem pastor. 37 Então, disse aos seus discípulos: ‘A colheita é grande, mas os operários são poucos! 38 Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie operários para a sua colheita.’ *** Palavra da Salvação.
T. Glória a vós, Senhor.


TEXTOS OPCIONAIS

(Mt 25,31-46)
Naquele tempo, Jesus contou a seguinte parábola: 31 Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso. 32 Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33 Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 34 Então o Rei dirá aos que estão à direita: Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo,. 35 porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes;. 36 nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim. 37 Então os justos vão perguntar: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber? 38 Quando foi que te vimos peregrino e te acolhemos, nu e te vestimos? 39 Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar? 40 Responderá o Rei: Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes. 41 Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos. 42 Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber; 43 era peregrino e não me acolhestes; nu e não me vestistes; enfermo e na prisão e não me visitastes. 44 Também estes lhe perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, peregrino, nu, enfermo, ou na prisão e não te socorremos? 45 E ele responderá: Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que deixastes de fazer isso a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer. 46 E estes irão para o castigo eterno, e os justos, para a vida eterna.


(Mt 15,32-38)
Naquele tempo, 32. Jesus chamou seus discípulos, e disse: "Tenho compaixão dessa multidão, porque já faz três dias que está comigo, e não tem nada para comer. Não quero mandá-los embora sem comer, para que não desmaiem pelo caminho." 33. Os discípulos disseram: "Onde vamos buscar, nesse deserto, tantos pães para matar a fome de tão grande multidão?" 34. Jesus perguntou: "Quantos pães vocês têm?" Eles responderam: "Sete, e alguns peixinhos." 35. Jesus mandou que a multidão se sentasse no chão. 36. Depois pegou os sete pães e os peixes, agradeceu, partiu-os, e ia dando aos discípulos, e os discípulos para as multidões. 37. Todos comeram, e ficaram satisfeitos. E encheram sete cestos com os pedaços que sobraram. 38. Os que tinham comido eram quatro mil homens, sem contar mulheres e crianças.


10. PRECES

P. Elevemos ao Deus de Amor nossas preces, implorando a graça de fazer de cada dia de nossas vidas um tempo de contínua caridade.
1) Pela Santa Igreja de Deus, para que, sempre mais alicerçada no mandamento do Amor, testemunhe sua Fé através de atos de Caridade, rezemos ao Senhor.
T. Senhor, escutai a nossa prece.
2) Pelo Santo Padre Francisco, por nosso bispo Orani, pelo clero e por todos os batizados para que, no testemunho da graça batismal, contagiem outras pessoas a seguir o caminho da caridade, da justiça e da paz, rezemos ao Senhor.
3) Pelo Ano da Caridade, celebrado no Rio de Janeiro, para que seja um tempo fecundo para o fortalecimento da prática do bem individual, comunitária e socialmente, rezemos ao Senhor.
4) Pelas pessoas que, em suas vidas, são ricos testemunhos da caridade, para que não sejam apenas admiradas, mas, acima de tudo, imitadas, rezemos ao Senhor.
5) Pelas entidades que se destinam à prática do bem nas suas mais diversas formas, para que, através da união, do apoio fraterno e da ajuda de todos, vejam crescer seus esforços pelo bem comum, rezemos ao Senhor.
6) Pelos corações endurecidos à dor alheia, para que, tocados pela graça de Deus e pelo testemunho dos que praticam a caridade, libertem-se das algemas do egoísmo e se convertam ao amor a Deus e ao próximo, rezemos ao Senhor.
(Outras preces)
P. Deus de Amor, vós que fazeis chover sobre bons e maus e brilhar o sol sobre justos e injustos, ouvi compassivo as preces que vos apresentamos e dai-nos a graça de, acolhendo vosso amor, partilhá-lo com os irmãos e irmãs que sofrem. Por Cristo, nosso Senhor.
T. Amém.


11. CANTO DAS OFERENDAS

Se eu pudesse hoje transformar a tristeza e o pranto em sorriso
e a felicidade aos homens dar, eu faria deste mundo um paraíso.
Para o amor ter aí o seu lugar, eu poria, se assim fosse preciso,
nos corações, um lembrete ou aviso: A dor e o mal é proibido semear!

Mas sei que tu podes, ó Senhor, sobre o mundo estender a tua mão.
Toma - eu te peço - cada dor. Somente Tu consolarás o coração.

Se eu pudesse hoje o mundo ver povoado só de alegria
e o jardim da vida florescer, eu faria da noite eterno dia.
Ninguém mais haveria de temer da tristeza a nuvem tão sombria.
E, então, quem sabe, o amor construiria aqui sua casa para em nós sempre viver.


12. CONVITE À ORAÇÃO
P. Orai, irmãos e irmãs, para que, levando ao altar as alegrias e fadigas de cada dia, nos disponhamos a oferecer um sacrifício aceito por Deus Pai todo-poderoso.
T. Receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício para glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja.


13. ORAÇÃO SOBRE AS OFERENDAS
P. Santificai, ó Deus, esta oferenda e, acolhendo este sacrifício espiritual, dai-nos estender a todos vossa infinita caridade. Por Cristo, nosso Senhor.
T. Amém.


14. ORAÇÃO EUCARÍSTICA (VI D – Jesus que passa fazendo o bem)

P. O Senhor esteja convosco.
T. Ele está no meio de nós.
P. Corações ao alto.
T. O nosso coração está em Deus.
P. Demos graças ao Senhor nosso Deus.
T. É nosso dever e nossa salvação.
P. Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação, dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Pai misericordioso e Deus fiel. Vós nos destes vosso Filho Jesus Cristo, Nosso senhor Redentor. Ele sempre se mostrou cheio de misericórdia pelos pequenos e pobres, pelos doentes de pecadores, colocando-se ao lado dos perseguidos e marginalizados. Com a vida e a palavra, anunciou o mundo que sois Pai e cuidais de todos como filhos e filhos. Por essa razão, com todos os Anjos e Santos, nós vos louvamos e bendizemos e proclamamos o hino de vossa glória, cantando [dizendo] a uma só voz:
T. Santo, Santo, Santo ...
P. Na verdade, vós sois santo e digno de louvor, ó Deus, quer amais os seres humanos e sempre os assistis no caminho da vida. Na verdade, é bendito o vosso filho, presente no meio de nós, quando nos reunimos por seu amor. Como outrora aos discípulos, ele nos revela as escrituras e parte o pão para nós.
T. O vosso filho permaneça entre nós!
P. Nós vós suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para santificar estes dons do pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo e o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.
T. Mandai o vosso Espírito Santo!
P. Na véspera de sua paixão, durante a última Ceia, Ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo: : TOMAI TODOS. E COMEI. ISTO É O MEU CORPO, QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS. Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente, e o entregou a seus discípulos, dizendo: TOMAI TODOS. E BEBEI. ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM. Eis o mistério da fé!
T. Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e ressurreição.
P. Celebrando, pois, ó Pai santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador, que pela paixão e morte de cruz fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes à vossa direita, anunciamos a obra do vosso amor até que ele venha e vos oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção. Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresentamos o sacrifício pascal de Cristo, que vos foi entregue. E concedei que, pela força do Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a eternidade, entre os membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos.
T. Aceitai, ó Senhor, a nossa oferta!
P. Senhor Deus, conduzi a vossa Igreja à perfeição na fé e no amor, em comunhão com o nosso Papa Francisco, o nosso Bispo Orani, com todos os bispos, presbíteros e diáconos e todo o povo que conquistastes.
T. Confirmai o vosso povo na unidade!
P. Dai-nos olhos para ver as necessidades e os sofrimentos dos nossos irmãos e irmãs. Inspirai-nos palavras e ações para confortar os desanimados e oprimidos. Fazei que, a exemplo de Cristo, e seguindo o seu mandamento nos empenhemos lealmente no serviço a eles. Vossa Igreja seja testemunha viva da verdade e da liberdade, da justiça e da paz, para que toda a humanidade se abra à esperança de um mundo novo.
T. Ajudai-nos a criar um mundo novo!
P. Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs (N. e N.) que adormeceram na paz do vosso Cristo e de todos os falecidos, cuja fé só vós conhecestes. Acolhei-os na luz da vossa face e concedei-lhes, no dia da Ressurreição, a plenitude da vida.
T. Concedei-lhes, ó Senhor, a luz eterna!
P. Concedei-nos ainda, no fim de nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à morada eterna, onde viveremos sempre convosco. E, em comunhão com a bem-aventurada Virgem Maria, com os Apóstolos e Mártires e todos os Santos, vos louvaremos e glorificaremos por Jesus Cristo, vosso Filho. Por Cristo ....
T. Amém.


15. CANTO DA COMUNHÃO

1. Vejam: eu andei pelas vilas, apontei as saídas como o Pai me pediu. Portas eu cheguei para abri-las. Eu curei as feridas como nunca se viu.

Por onde formos também nós, / que brilhe a tua luz! / Fala, Senhor, na nossa voz, em nossa vida. / Nosso caminho então conduz. / Queremos ser assim! / Que o Pão da Vida nos revigore no nosso Sim

2. Vejam: fiz de novo a leitura das raízes da vida, que meu Pai vê melhor. Luzes, acendi com brandura. Para a ovelha perdida não medi meu suor.
3. Vejam: procurei bem aqueles que ninguém procurava e falei de meu Pai. Pobres, a esperança que é deles eu não quis ver escrava de um poder que retrai.
4. Vejam: semeei consciência nos caminhos do povo, pois o Pai quer assim. Tramas, enfrentei prepotência dos que temem o novo qual perigo sem fim.
5. Vejam: eu quebrei as algemas, levantei os caídos,do meu Pai fui as mãos. Laços, recusei os esquemas. Eu não quero oprimidos. Quero um povo de irmãos.
6. Vejam: procurei ser bem claro. O meu Reino é diverso. Não precisa de rei, Tronos. Outro jeito mais raro de juntar o disperso, o meu Pai tem por lei.
7. Vejam: do meu Pai a vontade eu cumpri passo a passo. Foi pra isso que eu vim. Dores, enfrentei a maldade, mesmo frente ao fracasso eu mantive o meu Sim.
8. Vejam: fui além das fronteiras, espalhei boa nova: “Todos filhos de Deus!” Vida, não se deixe nas beiras. Quem quiser maior prova venha ser um dos meus.


16. CANTO DE AÇÃO DE GRAÇAS

Não dá para viver sem Tua Paz!
Não dá para viver sem Tua Luz!
Estreito é o caminho que nos conduz à vida.
Veredas tem demais para dispersar-nos.
Ensina-nos, Senhor, a caminhar,
vencendo as injustiças e todo o mal.
Que nada nos impeça de proteger a vida
e que nada nos impeça de lutar:
pela paz, pela vida!
Com Jesus, encontraremos saída.
pela paz, pela vida!
Com Jesus, encontraremos saída.
Só ama a paz quem defende a vida!
Só ama a paz quem defende a vida!


17. ORAÇÃO APÓS A COMUNHÃO
P. Ó Deus, que nos alimentastes com o mesmo pão, derramai em nós a graça do Espírito Santo e restaurai-nos plenamente na doçura da vossa caridade. Por Cristo, nosso Senhor.
T. Amém.


18. BÊNÇÃO FINAL

P. O Senhor esteja convosco.
T. Ele está no meio de nós.
P. Deus vos abençoe com todas as bênçãos do céu e vos torne santos e puros diante dele; derrame sobre vós as riquezas da sua glória, instruindo-vos com as palavras da verdade, formando-vos pelo evangelho da salvação e inflamando-vos de amor pelos irmãos. Por Cristo, nosso Senhor.
T. Amém.
P. Abençoe-vos o Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo
T. Amém.
P. Glorificai o Senhor com vossa vida; ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
T. Graças a Deus.


19. CANTO FINAL

Quero ouvir teu apelo, Senhor. Ao teu chamado de amor responder. Na alegria te quero servir e anunciar o teu reino de amor.
E pelo mundo eu vou, cantando o teu amor, pois disponível estou para servir-te, Senhor.
Dia a dia, tua graça me dás. Nela se apóia o meu caminhar. Se estás ao meu lado, Senhor, o que, então, poderei eu temer?!

Missa votiva para pedir a caridade.
Cantos: Entrada: Irmã Míria T. Kolling
Aclamação.: D. Carlos Alberto Navarro e Waldeci Farias;
Oferendas: Irmã Míria T. Kolling
Comunhão.: J. Thomaz Filho e Fr. Fabretti
Ação de Graças: Francisco dos Santos
Final: Irmã Míria T. Kolling

Dom Joel Portella Amado
Autor

Dom Joel Portella Amado

Bispo Auxiliar da Arquidiocese do Rio de Janeiro