Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/05/2019

23 de Maio de 2019

O bem contagia

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Maio de 2019

O bem contagia

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

29/01/2014 16:33

O bem contagia 0

29/01/2014 16:33

Vivemos a trezena de São Sebastião entre o final do Tempo do Natal e o início do Tempo Comum. Com o início da vida pública de Jesus, começa o anúncio do Reino e a escolha dos discípulos. Na festa do Batismo do Senhor se estabelece esse momento. Com a manifestação da Trindade inicia-se o grande anúncio que o Filho de Deus, que se fez homem, está no meio de nós e é a vida do mundo. Celebrar este tempo quer demonstrar que a missão de Jesus na vida pública é uma missão da Igreja e de todos os que são batizados. Morrer para o homem velho e renascer para o homem novo! Isso tem tudo a ver com a missão de Jesus, que renova a nossa vida para viver a vida cristã.

O Ano da Caridade, que iniciamos no dia 20 de janeiro, quer lembrar que os cristãos, vivendo o batismo, transformam o mundo, a sociedade, a cultura, renascendo para a vida nova. Por isso, a nossa práxis cristã tem que renovar a vida, tem que ser vida nova. Assim sendo, a presença da Igreja no meio da sociedade, preocupando-se com o ser humano, torna a caridade como uma consequência de nosso batismo.

Nós nascemos e fomos batizados, mas nem sempre vivemos a vida como cristãos. Quem é batizado tem a sua vida transformada e passa a ter atitudes de caridade para com o outro, seja ele quem for. Por isso, preocupar-se com o outro, com o fazer o bem ao outro vem como uma consequência batismal.

A vida deve ser contagiada pelo bem! Na JMJ Rio 2013 experimentamos dificuldades, violências contra imagens, grupos intolerantes e violentos contrários à fé, atrasos de ônibus, paralização de metrô, filas para as refeições, mas o que somente apareceu foi a beleza dos cristãos que, cantando e rezando, deram uma demonstração de autêntica vida cristã, de paciência, de espírito de sacrifício e transpareceu na civilidade. Foi a semana com o menor índice de criminalidade no Rio, por que todos contagiaram os demais, procurando viver como irmãos, a exemplo do que Cristo nos ensinou.

Mesmo com os problemas cotidianos, os cristãos podem ser contagiados pelo bem. Nossa proposta é viver o batismo, que nos conduz a viver o amor mútuo, a acolher a virtude da caridade que vai além do trabalho caritativo, da defesa da vida por que o amor ao outro, até ao inimigo, estará presente entre nós, em todas as nossas atitudes.

Porém, temos a liberdade humana e há gente que quer fazer o mal. Mesmo com todas as dificuldades de hoje, somos chamados a contagiar o mundo com o bem e a paz que vem do Cristo Senhor.

A cidade do Rio de Janeiro vai fazer 450 anos! O presente que queremos dar para a nossa cidade é o bem; não tem decreto que instaure, mas a convicção e a conversão de cada um de nós. O Papa Francisco nos ensina algumas coisas importantes para fazer o bem e para ser feliz. É simples e bonito dizer: "com licença", "por favor", "muito obrigado", "me desculpe". O perdão pode mudar a realidade entre nós.

Deve ser possível entre nós viver o nosso batismo a partir do perdão. Viver no caminho do Cristo. Sejamos arautos da caridade! Sejamos promotores do amor e pratiquemos o perdão e a acolhida do irmão, sempre, sem nada esperar a não ser acolhendo a graça Deus, que nos ajudará neste bom propósito!

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

O bem contagia

29/01/2014 16:33

Vivemos a trezena de São Sebastião entre o final do Tempo do Natal e o início do Tempo Comum. Com o início da vida pública de Jesus, começa o anúncio do Reino e a escolha dos discípulos. Na festa do Batismo do Senhor se estabelece esse momento. Com a manifestação da Trindade inicia-se o grande anúncio que o Filho de Deus, que se fez homem, está no meio de nós e é a vida do mundo. Celebrar este tempo quer demonstrar que a missão de Jesus na vida pública é uma missão da Igreja e de todos os que são batizados. Morrer para o homem velho e renascer para o homem novo! Isso tem tudo a ver com a missão de Jesus, que renova a nossa vida para viver a vida cristã.

O Ano da Caridade, que iniciamos no dia 20 de janeiro, quer lembrar que os cristãos, vivendo o batismo, transformam o mundo, a sociedade, a cultura, renascendo para a vida nova. Por isso, a nossa práxis cristã tem que renovar a vida, tem que ser vida nova. Assim sendo, a presença da Igreja no meio da sociedade, preocupando-se com o ser humano, torna a caridade como uma consequência de nosso batismo.

Nós nascemos e fomos batizados, mas nem sempre vivemos a vida como cristãos. Quem é batizado tem a sua vida transformada e passa a ter atitudes de caridade para com o outro, seja ele quem for. Por isso, preocupar-se com o outro, com o fazer o bem ao outro vem como uma consequência batismal.

A vida deve ser contagiada pelo bem! Na JMJ Rio 2013 experimentamos dificuldades, violências contra imagens, grupos intolerantes e violentos contrários à fé, atrasos de ônibus, paralização de metrô, filas para as refeições, mas o que somente apareceu foi a beleza dos cristãos que, cantando e rezando, deram uma demonstração de autêntica vida cristã, de paciência, de espírito de sacrifício e transpareceu na civilidade. Foi a semana com o menor índice de criminalidade no Rio, por que todos contagiaram os demais, procurando viver como irmãos, a exemplo do que Cristo nos ensinou.

Mesmo com os problemas cotidianos, os cristãos podem ser contagiados pelo bem. Nossa proposta é viver o batismo, que nos conduz a viver o amor mútuo, a acolher a virtude da caridade que vai além do trabalho caritativo, da defesa da vida por que o amor ao outro, até ao inimigo, estará presente entre nós, em todas as nossas atitudes.

Porém, temos a liberdade humana e há gente que quer fazer o mal. Mesmo com todas as dificuldades de hoje, somos chamados a contagiar o mundo com o bem e a paz que vem do Cristo Senhor.

A cidade do Rio de Janeiro vai fazer 450 anos! O presente que queremos dar para a nossa cidade é o bem; não tem decreto que instaure, mas a convicção e a conversão de cada um de nós. O Papa Francisco nos ensina algumas coisas importantes para fazer o bem e para ser feliz. É simples e bonito dizer: "com licença", "por favor", "muito obrigado", "me desculpe". O perdão pode mudar a realidade entre nós.

Deve ser possível entre nós viver o nosso batismo a partir do perdão. Viver no caminho do Cristo. Sejamos arautos da caridade! Sejamos promotores do amor e pratiquemos o perdão e a acolhida do irmão, sempre, sem nada esperar a não ser acolhendo a graça Deus, que nos ajudará neste bom propósito!