Arquidiocese do Rio de Janeiro

34º 25º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/01/2021

18 de Janeiro de 2021

Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Janeiro de 2021

Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

10/01/2021 00:00 - Atualizado em 11/01/2021 01:56

Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo 0

10/01/2021 00:00 - Atualizado em 11/01/2021 01:56

Celebramos no segundo domingo do ano de 2021 a Festa do Batismo do Senhor, e com ela encerramos o tempo litúrgico do Natal e na segunda feira iniciaremos a primeira parte do Tempo Comum. O Tempo Comum relata Jesus em sua vida pública, anunciando o Reino de Deus e isso Ele faz após o Batismo e depois de passar pelas tentações no deserto, e isso, sendo sinal para todos nós cristãos, pois somos chamados para sair em missão, assumindo a nossa missão, depois sermos batizados.

O mesmo Espírito Santo que naquele momento batizou Jesus, também nos Batiza. Somos marcados pelo selo indelével do Espírito Santo e através da ação desse mesmo Espírito Divino conseguimos vencer as tentações do mal, assim como Jesus as venceu.

Hoje cabe a nós uma pergunta: Você lembra a data em que foi batizado? Muitas vezes esquecemos, mas é um dia importante, que todo cristão católico deveria comemorar, pois o batismo é um novo nascimento, o nascimento para vida em Deus. Por isso podemos puxar na memória, procurar a nossa lembrança do batismo (nossa certidão) e a partir de agora nos lembrarmos com mais alegria dessa data.

O batismo é um só, ninguém pode ser batizado mais de uma vez. Muitas vezes quem muda de religião e vai para outra que não é a católica acaba sendo batizado lá. Mas o batismo válido mesmo é aquele que recebeu primeiro.

Jesus foi batizado com 30 anos, pois era tradição do povo judeu da época e, como dissemos, o batismo de Jesus tinha um intuito diferente: com o batismo Jesus iniciaria a sua vida pública. Então, por vezes surge algumas perguntas do porquê que a Igreja Católica batiza crianças, se Jesus foi batizado adulto. A Igreja batiza crianças, para que essas crianças sejam cristãs o mais breve possível e possam receber o Espírito Santo e ter a sua vida em Deus garantida e poder participar dos demais sacramentos. Ademais o batismo lava o pecado original e transforma a pessoa batizada em filho de Deus.

 Na primeira leitura deste domingo (Is 42,1-4.6-7), o Senhor fala ao profeta que Ele irá ungi-lo, que estará sempre com Ele por meio do Espírito Santo. O Senhor deu poder ao profeta para mostrar um caminho de justiça para todos os povos e guiá-los para a luz que nunca se acaba.

No salmo responsorial 28(29), o salmista pede que o Senhor abençoe com a paz o seu povo e devemos dar glórias ao Senhor por tudo, pois Ele está em tudo que existe e tudo só existe por causa dele.

Na segunda leitura (At 10, 34-38), São Pedro toma a palavra e diz que o Senhor se revelou para todos os povos da terra e não somente para um povo. A salvação de Deus é para todos os povos e não para um povo só. E Pedro conta ainda o que aconteceu após o batismo de Jesus, Ele iniciou sua vida pública e Deus estava com Ele em tudo o que ele fazia.

No Evangelho (Mc 1,7-11), Marcos inicia apresentando João Batista que realizava o batismo no Rio Jordão. Era um batismo de conversão, ele batizava com água e quem ia até ele batizava-se no intuito de mudar de vida. Mas depois dele viria aquele que batizaria não somente com água, mas com a água e o Espírito Santo.

Na sequência do Evangelho de hoje Jesus vai até João para ser batizado e após ser batizado desce sobre ele o Espírito Santo e a voz do céu que dizia: “Eis meu filho muito amado, no qual eu ponho o meu agrado”. (cf. Mc 1,11).
Após o batismo Jesus é conduzido ao deserto onde sofre as tentações e depois disso inicia a sua vida pública, anunciando o Reino de Deus e seu amor.

O batismo é o início da vida espiritual, que encontra a sua plenitude por meio da Igreja. No momento propício do Sacramento, enquanto a Comunidade eclesial reza e confia a Deus um novo filho, os pais e os padrinhos comprometem-se a acolher o recém-batizado apoiando-o na formação e na educação cristã. Essa é uma grande responsabilidade, que deriva de um grande dom!

Por isso, desejo encorajar todos os fiéis a redescobrir a beleza de ser batizados e a dar jubiloso testemunho da própria fé, para que esta fé gere frutos de bem e de concórdia. Peçamos a intercessão da Bem-Aventurada Virgem Maria, auxílio dos cristãos, à qual confiamos os pais que se estão a preparar para o Batismo dos seus filhos, assim como os catequistas. Toda a comunidade participe da alegria do renascimento na água e no Espírito Santo!

Celebremos com alegria a festa do Batismo do Senhor encerrando o tempo litúrgico do Natal, após essa celebração somos convidados a desmontar os enfeites natalinos, a nossa árvore de Natal e o nosso presépio, guardando-os com carinho para montá-los novamente no fim do ano. Permanece, no entanto, a experiência de fé que vivemos.

Que essa celebração do Batismo do Senhor nos convide a assumirmos de fato o nosso batismo, a nossa fé e nos encoraje para anunciar com amor e alegria o Evangelho da salvação. E que o Espírito Santo esteja sempre conosco, nos livrando das tentações do maligno.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ




Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Eu vos batizei com água, mas ele vos batizará com o Espírito Santo

10/01/2021 00:00 - Atualizado em 11/01/2021 01:56

Celebramos no segundo domingo do ano de 2021 a Festa do Batismo do Senhor, e com ela encerramos o tempo litúrgico do Natal e na segunda feira iniciaremos a primeira parte do Tempo Comum. O Tempo Comum relata Jesus em sua vida pública, anunciando o Reino de Deus e isso Ele faz após o Batismo e depois de passar pelas tentações no deserto, e isso, sendo sinal para todos nós cristãos, pois somos chamados para sair em missão, assumindo a nossa missão, depois sermos batizados.

O mesmo Espírito Santo que naquele momento batizou Jesus, também nos Batiza. Somos marcados pelo selo indelével do Espírito Santo e através da ação desse mesmo Espírito Divino conseguimos vencer as tentações do mal, assim como Jesus as venceu.

Hoje cabe a nós uma pergunta: Você lembra a data em que foi batizado? Muitas vezes esquecemos, mas é um dia importante, que todo cristão católico deveria comemorar, pois o batismo é um novo nascimento, o nascimento para vida em Deus. Por isso podemos puxar na memória, procurar a nossa lembrança do batismo (nossa certidão) e a partir de agora nos lembrarmos com mais alegria dessa data.

O batismo é um só, ninguém pode ser batizado mais de uma vez. Muitas vezes quem muda de religião e vai para outra que não é a católica acaba sendo batizado lá. Mas o batismo válido mesmo é aquele que recebeu primeiro.

Jesus foi batizado com 30 anos, pois era tradição do povo judeu da época e, como dissemos, o batismo de Jesus tinha um intuito diferente: com o batismo Jesus iniciaria a sua vida pública. Então, por vezes surge algumas perguntas do porquê que a Igreja Católica batiza crianças, se Jesus foi batizado adulto. A Igreja batiza crianças, para que essas crianças sejam cristãs o mais breve possível e possam receber o Espírito Santo e ter a sua vida em Deus garantida e poder participar dos demais sacramentos. Ademais o batismo lava o pecado original e transforma a pessoa batizada em filho de Deus.

 Na primeira leitura deste domingo (Is 42,1-4.6-7), o Senhor fala ao profeta que Ele irá ungi-lo, que estará sempre com Ele por meio do Espírito Santo. O Senhor deu poder ao profeta para mostrar um caminho de justiça para todos os povos e guiá-los para a luz que nunca se acaba.

No salmo responsorial 28(29), o salmista pede que o Senhor abençoe com a paz o seu povo e devemos dar glórias ao Senhor por tudo, pois Ele está em tudo que existe e tudo só existe por causa dele.

Na segunda leitura (At 10, 34-38), São Pedro toma a palavra e diz que o Senhor se revelou para todos os povos da terra e não somente para um povo. A salvação de Deus é para todos os povos e não para um povo só. E Pedro conta ainda o que aconteceu após o batismo de Jesus, Ele iniciou sua vida pública e Deus estava com Ele em tudo o que ele fazia.

No Evangelho (Mc 1,7-11), Marcos inicia apresentando João Batista que realizava o batismo no Rio Jordão. Era um batismo de conversão, ele batizava com água e quem ia até ele batizava-se no intuito de mudar de vida. Mas depois dele viria aquele que batizaria não somente com água, mas com a água e o Espírito Santo.

Na sequência do Evangelho de hoje Jesus vai até João para ser batizado e após ser batizado desce sobre ele o Espírito Santo e a voz do céu que dizia: “Eis meu filho muito amado, no qual eu ponho o meu agrado”. (cf. Mc 1,11).
Após o batismo Jesus é conduzido ao deserto onde sofre as tentações e depois disso inicia a sua vida pública, anunciando o Reino de Deus e seu amor.

O batismo é o início da vida espiritual, que encontra a sua plenitude por meio da Igreja. No momento propício do Sacramento, enquanto a Comunidade eclesial reza e confia a Deus um novo filho, os pais e os padrinhos comprometem-se a acolher o recém-batizado apoiando-o na formação e na educação cristã. Essa é uma grande responsabilidade, que deriva de um grande dom!

Por isso, desejo encorajar todos os fiéis a redescobrir a beleza de ser batizados e a dar jubiloso testemunho da própria fé, para que esta fé gere frutos de bem e de concórdia. Peçamos a intercessão da Bem-Aventurada Virgem Maria, auxílio dos cristãos, à qual confiamos os pais que se estão a preparar para o Batismo dos seus filhos, assim como os catequistas. Toda a comunidade participe da alegria do renascimento na água e no Espírito Santo!

Celebremos com alegria a festa do Batismo do Senhor encerrando o tempo litúrgico do Natal, após essa celebração somos convidados a desmontar os enfeites natalinos, a nossa árvore de Natal e o nosso presépio, guardando-os com carinho para montá-los novamente no fim do ano. Permanece, no entanto, a experiência de fé que vivemos.

Que essa celebração do Batismo do Senhor nos convide a assumirmos de fato o nosso batismo, a nossa fé e nos encoraje para anunciar com amor e alegria o Evangelho da salvação. E que o Espírito Santo esteja sempre conosco, nos livrando das tentações do maligno.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ




Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro