Arquidiocese do Rio de Janeiro

26º 21º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 06/06/2020

06 de Junho de 2020

A dignidade do Trabalhador

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

06 de Junho de 2020

A dignidade do Trabalhador

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

03/05/2020 16:46

A dignidade do Trabalhador 0

03/05/2020 16:46

Neste momento difícil em que estamos passando em que muitas pessoas se encontram desempregadas, aqueles que tem o emprego garantido devem agradecer muito a Deus. É claro que não só neste momento, mas sempre devemos agradecer a Deus pelo nosso emprego. Qualquer emprego seja ele qual for feito com dignidade, respeito e amor as pessoas é um emprego digno. O trabalho dignifica o homem e com o suor do trabalho ele honra a Deus e tem o seu salário como fruto. 

O Papa emérito Bento XVI em 2011 já destacava que o trabalho nos aproxima de Deus, porque eu fazendo com amor aquilo que eu me propus estou mais perto de Deus. Ajudando o meu colega de trabalho com o serviço, sendo educado com as pessoas, responsável com as minhas obrigações, não cultivando o “mal” dentro do meu ambiente de trabalho, mas o “Bem” isso me aproxima de Deus. Estou de certa maneira fazendo a vontade dele, e “gentileza gera gentileza” e “amor gera amor”, o que eu colho eu também planto, aonde eu estiver.

Se eu quiser “crescer” dentro do meu ambiente de trabalho eu vou “crescer” praticando o bem, o amor e sendo leal comigo mesmo e com os colegas de serviço. E se acontecer uma promoção para eu crescer dentro do meu emprego, devo agir da mesma maneira como antes e não só porque subiu de cargo tratar os outros de maneira diferente.

Em toda empresa principalmente naquelas que em inspiração católica poderiam ter a imagem de São José, para que por meio dele que é o exemplo de trabalhador, possa interceder por todos que ali trabalham e possam servir de sinal e exemplo para quem ali está.

Neste dia 1º de Maio elevemos uma prece especial a São José operário para que abençoe e interceda por todos aqueles que tem emprego, para que possam se manter firmes em seus empregos levando o sustento digno para casa e rezar por aqueles que se encontram desempregados, desejosos de tão logo conseguirem uma recolocação no mercado de trabalho. Para que ao conseguir o emprego, possam ter este Santo como exemplo para as suas vidas de trabalho e doação.

Este ano a celebração de São José Operário será de maneira diferente, não poderemos ir fisicamente até a Igreja física enquanto templo, mas poderemos acompanhar as celebrações das Missas por meio da Internet, mídias sociais, TV e Rádio. De uma forma ou de outra estaremos unidos, uns rezando pelos outros, de suas casas, pedindo assim a manutenção dos empregos para quem está empregado e pedindo o emprego para quem se encontra desempregado. Neste momento de Pandemia em que estaremos em casa impossibilitados de ir à Igreja, peçamos com Fé a intercessão de São José para a nossa vida e de nossa família.

O Papa Bento XVI nos recordou que o trabalho ajuda a “sentirmo-nos mais perto de Deus e dos outros”, e lembrou que Jesus foi um operário, tendo passado grande parte de sua vida terrena em Nazaré, na marcenaria de José.

Ainda nesta perspectiva o Papa Bento XVI nos diz: “O trabalho deve ser entendido na perspectiva cristã, ao invés de ser visto apenas como um meio de ganho, ou de exploração, como em muitas partes do mundo, onde é ofendida a própria dignidade da pessoa. Em relação ao trabalho aos domingos, o Papa acenou para o risco de que o ritmo do consumo possa subtrair-nos o sentido da festividade e do Domingo como dia do Senhor e da comunidade.

Juntamente com Maria, sua esposa, São José vele sobre todos os trabalhadores e obtenha a serenidade e a paz para as famílias e para toda a humanidade. Fixando o seu olhar neste grande Santo, os cristãos aprendam a testemunhar, em todos os ambientes de trabalho, o amor de Cristo, fonte de solidariedade genuína e de paz estável.

O Papa Francisco ressalta a importância do trabalho: “Trabalho quer dizer dignidade, trabalho significa trazer o pão para casa, trabalho quer dizer amar!” (visita pastoral a Cagliari, 22 de setembro de 2013). “O do trabalho é o primeiro dom dos pais e das mães aos filhos e às filhas, é o primeiro patrimônio de uma sociedade. É o primeiro dote com o qual os ajudamos a levantar voo para a vida adulta.” (Discurso aos delegados da Confederação Italiana Sindical dos Trabalhadores, 28 de junho de 2017).

Aos empresários, o Sumo Pontífice pede uma atenção especial para a qualidade da vida laboral dos funcionários, que são o recurso mais precioso de uma empresa; em particular, para favorecer a harmonização entre trabalho e família: “Penso sobretudo nas trabalhadoras: o desafio é tutelar, ao mesmo tempo, quer o seu direito a um trabalho plenamente reconhecido quer a sua vocação à maternidade e à presença na família. Quantas vezes, quantas vezes ouvimos que uma mulher foi ter com o chefe para lhe dizer: ‘Tenho que lhe comunicar que estou grávida’ — ‘A partir do fim de mês já não vais trabalhar’. A mulher deve ser preservada, ajudada neste duplo trabalho: o direito a trabalhar e o direito à maternidade.” (Discurso à União Cristã de Empresários Dirigentes, 31 de outubro de 2015).

“Sem trabalho não há dignidade”, recorda o Papa Francisco, mas “nem todos os trabalhos são trabalhos dignos. Há trabalhos que humilham a dignidade das pessoas, os que nutrem as guerras com a construção de armas, que vendem o corpo para a prostituição e que exploram os menores.” O Papa Francisco denuncia de modo contundente também o trabalho precário: “É uma ferida aberta para muitos trabalhadores, que vivem no medo de perder o próprio trabalho. Precariedade total. Isso é imoral. Isso mata: mata a dignidade, mata a saúde, mata a família, mata a sociedade”. (Vídeo-mensagem para a Semana Social da Conferência Episcopal Italiana 26 de outubro de 2017).

O mundo do trabalho é uma prioridade humana: “Por conseguinte, é uma prioridade cristã, nossa, e inclusive uma prioridade do Papa. Porque se origina daquele primeiro mandamento que Deus deu a Adão: «Vai, faz crescer a terra, trabalha a terra, domina-a». Sempre houve uma amizade entre a Igreja e o trabalho, a partir de Jesus trabalhador. Onde houver um trabalhador ali estarão o interesse e o olhar de amor do Senhor e da Igreja. Penso que isto é claro. (Visita pastoral a Gênova, 27 de maio de 2017).

Creio que nestes tempos de pandemia do COVID 19, em que muitas pessoas estão passando dificuldades na manutenção de seu trabalho reitero meu clamor de pedir dignidade para os trabalhadores, igualdade na retribuição salarial entre homens e mulheres e respeito pelos direitos conquistados.

Portanto celebremos com alegria o dia de São José Operário, primeiramente agradecendo o trabalho digno que temos e o sustento que podemos levar para as nossas famílias e nos espelhar em São José que era muito dedicado ao seu trabalho. E aqueles que se encontram desempregados que logo consigam um emprego digno para poder levar o sustento para as vossas famílias.

E que possamos ver o emprego com um olhar Cristão, amando os nossos semelhantes, praticando o bem e guardando os domingos e dias de festas para o Senhor.

Por intercessão de São José Operário, que Deus nos conserve e abençoe.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ


 
 
Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

A dignidade do Trabalhador

03/05/2020 16:46

Neste momento difícil em que estamos passando em que muitas pessoas se encontram desempregadas, aqueles que tem o emprego garantido devem agradecer muito a Deus. É claro que não só neste momento, mas sempre devemos agradecer a Deus pelo nosso emprego. Qualquer emprego seja ele qual for feito com dignidade, respeito e amor as pessoas é um emprego digno. O trabalho dignifica o homem e com o suor do trabalho ele honra a Deus e tem o seu salário como fruto. 

O Papa emérito Bento XVI em 2011 já destacava que o trabalho nos aproxima de Deus, porque eu fazendo com amor aquilo que eu me propus estou mais perto de Deus. Ajudando o meu colega de trabalho com o serviço, sendo educado com as pessoas, responsável com as minhas obrigações, não cultivando o “mal” dentro do meu ambiente de trabalho, mas o “Bem” isso me aproxima de Deus. Estou de certa maneira fazendo a vontade dele, e “gentileza gera gentileza” e “amor gera amor”, o que eu colho eu também planto, aonde eu estiver.

Se eu quiser “crescer” dentro do meu ambiente de trabalho eu vou “crescer” praticando o bem, o amor e sendo leal comigo mesmo e com os colegas de serviço. E se acontecer uma promoção para eu crescer dentro do meu emprego, devo agir da mesma maneira como antes e não só porque subiu de cargo tratar os outros de maneira diferente.

Em toda empresa principalmente naquelas que em inspiração católica poderiam ter a imagem de São José, para que por meio dele que é o exemplo de trabalhador, possa interceder por todos que ali trabalham e possam servir de sinal e exemplo para quem ali está.

Neste dia 1º de Maio elevemos uma prece especial a São José operário para que abençoe e interceda por todos aqueles que tem emprego, para que possam se manter firmes em seus empregos levando o sustento digno para casa e rezar por aqueles que se encontram desempregados, desejosos de tão logo conseguirem uma recolocação no mercado de trabalho. Para que ao conseguir o emprego, possam ter este Santo como exemplo para as suas vidas de trabalho e doação.

Este ano a celebração de São José Operário será de maneira diferente, não poderemos ir fisicamente até a Igreja física enquanto templo, mas poderemos acompanhar as celebrações das Missas por meio da Internet, mídias sociais, TV e Rádio. De uma forma ou de outra estaremos unidos, uns rezando pelos outros, de suas casas, pedindo assim a manutenção dos empregos para quem está empregado e pedindo o emprego para quem se encontra desempregado. Neste momento de Pandemia em que estaremos em casa impossibilitados de ir à Igreja, peçamos com Fé a intercessão de São José para a nossa vida e de nossa família.

O Papa Bento XVI nos recordou que o trabalho ajuda a “sentirmo-nos mais perto de Deus e dos outros”, e lembrou que Jesus foi um operário, tendo passado grande parte de sua vida terrena em Nazaré, na marcenaria de José.

Ainda nesta perspectiva o Papa Bento XVI nos diz: “O trabalho deve ser entendido na perspectiva cristã, ao invés de ser visto apenas como um meio de ganho, ou de exploração, como em muitas partes do mundo, onde é ofendida a própria dignidade da pessoa. Em relação ao trabalho aos domingos, o Papa acenou para o risco de que o ritmo do consumo possa subtrair-nos o sentido da festividade e do Domingo como dia do Senhor e da comunidade.

Juntamente com Maria, sua esposa, São José vele sobre todos os trabalhadores e obtenha a serenidade e a paz para as famílias e para toda a humanidade. Fixando o seu olhar neste grande Santo, os cristãos aprendam a testemunhar, em todos os ambientes de trabalho, o amor de Cristo, fonte de solidariedade genuína e de paz estável.

O Papa Francisco ressalta a importância do trabalho: “Trabalho quer dizer dignidade, trabalho significa trazer o pão para casa, trabalho quer dizer amar!” (visita pastoral a Cagliari, 22 de setembro de 2013). “O do trabalho é o primeiro dom dos pais e das mães aos filhos e às filhas, é o primeiro patrimônio de uma sociedade. É o primeiro dote com o qual os ajudamos a levantar voo para a vida adulta.” (Discurso aos delegados da Confederação Italiana Sindical dos Trabalhadores, 28 de junho de 2017).

Aos empresários, o Sumo Pontífice pede uma atenção especial para a qualidade da vida laboral dos funcionários, que são o recurso mais precioso de uma empresa; em particular, para favorecer a harmonização entre trabalho e família: “Penso sobretudo nas trabalhadoras: o desafio é tutelar, ao mesmo tempo, quer o seu direito a um trabalho plenamente reconhecido quer a sua vocação à maternidade e à presença na família. Quantas vezes, quantas vezes ouvimos que uma mulher foi ter com o chefe para lhe dizer: ‘Tenho que lhe comunicar que estou grávida’ — ‘A partir do fim de mês já não vais trabalhar’. A mulher deve ser preservada, ajudada neste duplo trabalho: o direito a trabalhar e o direito à maternidade.” (Discurso à União Cristã de Empresários Dirigentes, 31 de outubro de 2015).

“Sem trabalho não há dignidade”, recorda o Papa Francisco, mas “nem todos os trabalhos são trabalhos dignos. Há trabalhos que humilham a dignidade das pessoas, os que nutrem as guerras com a construção de armas, que vendem o corpo para a prostituição e que exploram os menores.” O Papa Francisco denuncia de modo contundente também o trabalho precário: “É uma ferida aberta para muitos trabalhadores, que vivem no medo de perder o próprio trabalho. Precariedade total. Isso é imoral. Isso mata: mata a dignidade, mata a saúde, mata a família, mata a sociedade”. (Vídeo-mensagem para a Semana Social da Conferência Episcopal Italiana 26 de outubro de 2017).

O mundo do trabalho é uma prioridade humana: “Por conseguinte, é uma prioridade cristã, nossa, e inclusive uma prioridade do Papa. Porque se origina daquele primeiro mandamento que Deus deu a Adão: «Vai, faz crescer a terra, trabalha a terra, domina-a». Sempre houve uma amizade entre a Igreja e o trabalho, a partir de Jesus trabalhador. Onde houver um trabalhador ali estarão o interesse e o olhar de amor do Senhor e da Igreja. Penso que isto é claro. (Visita pastoral a Gênova, 27 de maio de 2017).

Creio que nestes tempos de pandemia do COVID 19, em que muitas pessoas estão passando dificuldades na manutenção de seu trabalho reitero meu clamor de pedir dignidade para os trabalhadores, igualdade na retribuição salarial entre homens e mulheres e respeito pelos direitos conquistados.

Portanto celebremos com alegria o dia de São José Operário, primeiramente agradecendo o trabalho digno que temos e o sustento que podemos levar para as nossas famílias e nos espelhar em São José que era muito dedicado ao seu trabalho. E aqueles que se encontram desempregados que logo consigam um emprego digno para poder levar o sustento para as vossas famílias.

E que possamos ver o emprego com um olhar Cristão, amando os nossos semelhantes, praticando o bem e guardando os domingos e dias de festas para o Senhor.

Por intercessão de São José Operário, que Deus nos conserve e abençoe.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ


 
 
Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro