Arquidiocese do Rio de Janeiro

31º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 02/04/2020

02 de Abril de 2020

Ardoroso Missionário

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

02 de Abril de 2020

Ardoroso Missionário

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

12/01/2020 00:00

Ardoroso Missionário 0

12/01/2020 00:00

Há poucos dias iniciávamos com alegria e esperança o novo ano civil, 2020, quando com a celebração de Santa Maria Mãe de Deus consagramos nosso novo ano aos cuidados de Nossa Senhora e, com a celebração do Dia Mundial da Paz e da fraternidade universal, renovamos nossos votos de estar comprometidos a cada dia em sermos instrumentos de paz onde quer que nos encontremos. Que a cada dia tenhamos um gesto concreto de paz. Deus nos dá a graça, mas faz-se necessária nossa colaboração com os planos do Senhor, dizendo o nosso “sim”.

Dentro deste clima de renovação de nossas esperanças, nossa cidade e nossa arquidiocese iniciam o novo ano com uma missão popular que é uma oportunidade de renovação de nossa fé: a celebração do padroeiro de nossa cidade: São Sebastião, no dia 20 de janeiro. E para entrar nesse ambiente propício para renovar o nosso fervor é que, no dia 7 de janeiro, damos início à Trezena de São Sebastião.

Chamamos de Trezena os 13 dias de preparações e orações, quando a imagem peregrina do santo visita os mais variados ambientes de nossa cidade: repartições públicas, hospitais, centros de recuperação, sedes da imprensa, capelas que tem São Sebastião como padroeiro, entre tantos outros lugares. A presença da imagem peregrina em tantos lugares é sinal do nosso compromisso, de, como São Sebastião, sermos ardorosos missionários em nossa cidade e para que, o mistério da encarnação que vivemos, possam todos ter consciência da proximidade de Deus, que está sempre próximo de todos os homens, caminhando conosco, nos sustentando em nossas lutas e em nossas dificuldades, nos acolhendo assim como somos e nos chamando sempre a uma vida melhor. A imagem peregrina é também sinal da missão da Igreja, que é essencialmente missionária e que deve buscar a cada dia iluminar todos os ambientes com a luz de Cristo.

A experiência de iniciar o novo ano com a caminhada junto ao nosso padroeiro pelas ruas e avenidas da cidade, a cada ano nos proporciona oportunidades novas ao ver os desafios de levar a nossa grande cidade a ser um lugar de paz e fraternidade. Vemos sempre belos sinais e exemplos, e pedimos a Deus que sejam multiplicados.

Em especial neste ano em que aprofundamos a consciência da missão permanente que estamos vivenciando em nossa arquidiocese, a presença da imagem peregrina quer renovar nosso ardor missionário e nosso compromisso em estar em estado permanente de missão, como nos recorda o Documento de Aparecida. Ser missionário não é um anexo da nossa vida de fé, é a consequência necessária de quem se encontrou com Deus e transborda de sua presença.

Nossa Trezena deste ano tem como tema: São Sebastião, Ardoroso Missionário, pois, contemplando a vida deste santo soldado, pediremos sua intercessão para que não desanimemos em nossa tarefa de buscar ser a cada dia mais fiéis e atentos à vontade de Deus, e semear a presença do Senhor em meio aos homens. Nesses tempos em que a imagem de Cristo é ridicularizada e a Igreja perseguida e caluniada, por defender o bem e a verdade, que São Sebastião, que não deixou nem mesmo que as flechadas calassem sua voz, seja nosso modelo de perseverança e nosso intercessor.

São Sebastião foi um soldado do Império Romano que viveu entre o final do séc. III e início do séc. IV. Era cristão numa época em que os cristãos eram perseguidos pelas leis do Império. Sebastião foi denunciado, por praticar a sua fé e fazer o bem. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas, até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo, por graça. Ela cuidou das feridas dele. Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, Sebastião apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, no ano de 288, foi duramente martirizado.

Sebastião sofreu o martírio em Roma, em virtude da sua fidelidade a Cristo e à Igreja. Em 1565, há mais de 450 anos, foi colocado como padroeiro de nossa cidade, para cujos fiéis é modelo de fé, coragem, constância e disponibilidade. São Sebastião foi um grande missionário do seu tempo, levando o nome de Jesus a todos, fortalecendo os que estavam cansados e abatidos pela perseguição religiosa daquela época.

Que a imagem peregrina, réplica da histórica de São Sebastião, aqui trazida por Estácio de Sá, peregrinando pela cidade do Rio de Janeiro, seja penhor de graças para todo o nosso amado povo!

Aproveito aqui para convidar a todos para que participem com fervor e devoção na Trezena do nosso padroeiro. A programação da nossa Trezena pode ser acessada no site da arquidiocese e nesta edição do TF na página.... Vamos rezar com nosso padroeiro e fazer a Trezena em nossas comunidades, paróquias, comércio, locais públicos e particulares, pedindo sempre a proteção de São Sebastião em favor da amada cidade do Rio de Janeiro. São Sebastião, nosso glorioso padroeiro, rogai por nós!

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Ardoroso Missionário

12/01/2020 00:00

Há poucos dias iniciávamos com alegria e esperança o novo ano civil, 2020, quando com a celebração de Santa Maria Mãe de Deus consagramos nosso novo ano aos cuidados de Nossa Senhora e, com a celebração do Dia Mundial da Paz e da fraternidade universal, renovamos nossos votos de estar comprometidos a cada dia em sermos instrumentos de paz onde quer que nos encontremos. Que a cada dia tenhamos um gesto concreto de paz. Deus nos dá a graça, mas faz-se necessária nossa colaboração com os planos do Senhor, dizendo o nosso “sim”.

Dentro deste clima de renovação de nossas esperanças, nossa cidade e nossa arquidiocese iniciam o novo ano com uma missão popular que é uma oportunidade de renovação de nossa fé: a celebração do padroeiro de nossa cidade: São Sebastião, no dia 20 de janeiro. E para entrar nesse ambiente propício para renovar o nosso fervor é que, no dia 7 de janeiro, damos início à Trezena de São Sebastião.

Chamamos de Trezena os 13 dias de preparações e orações, quando a imagem peregrina do santo visita os mais variados ambientes de nossa cidade: repartições públicas, hospitais, centros de recuperação, sedes da imprensa, capelas que tem São Sebastião como padroeiro, entre tantos outros lugares. A presença da imagem peregrina em tantos lugares é sinal do nosso compromisso, de, como São Sebastião, sermos ardorosos missionários em nossa cidade e para que, o mistério da encarnação que vivemos, possam todos ter consciência da proximidade de Deus, que está sempre próximo de todos os homens, caminhando conosco, nos sustentando em nossas lutas e em nossas dificuldades, nos acolhendo assim como somos e nos chamando sempre a uma vida melhor. A imagem peregrina é também sinal da missão da Igreja, que é essencialmente missionária e que deve buscar a cada dia iluminar todos os ambientes com a luz de Cristo.

A experiência de iniciar o novo ano com a caminhada junto ao nosso padroeiro pelas ruas e avenidas da cidade, a cada ano nos proporciona oportunidades novas ao ver os desafios de levar a nossa grande cidade a ser um lugar de paz e fraternidade. Vemos sempre belos sinais e exemplos, e pedimos a Deus que sejam multiplicados.

Em especial neste ano em que aprofundamos a consciência da missão permanente que estamos vivenciando em nossa arquidiocese, a presença da imagem peregrina quer renovar nosso ardor missionário e nosso compromisso em estar em estado permanente de missão, como nos recorda o Documento de Aparecida. Ser missionário não é um anexo da nossa vida de fé, é a consequência necessária de quem se encontrou com Deus e transborda de sua presença.

Nossa Trezena deste ano tem como tema: São Sebastião, Ardoroso Missionário, pois, contemplando a vida deste santo soldado, pediremos sua intercessão para que não desanimemos em nossa tarefa de buscar ser a cada dia mais fiéis e atentos à vontade de Deus, e semear a presença do Senhor em meio aos homens. Nesses tempos em que a imagem de Cristo é ridicularizada e a Igreja perseguida e caluniada, por defender o bem e a verdade, que São Sebastião, que não deixou nem mesmo que as flechadas calassem sua voz, seja nosso modelo de perseverança e nosso intercessor.

São Sebastião foi um soldado do Império Romano que viveu entre o final do séc. III e início do séc. IV. Era cristão numa época em que os cristãos eram perseguidos pelas leis do Império. Sebastião foi denunciado, por praticar a sua fé e fazer o bem. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas, até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo, por graça. Ela cuidou das feridas dele. Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, Sebastião apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, no ano de 288, foi duramente martirizado.

Sebastião sofreu o martírio em Roma, em virtude da sua fidelidade a Cristo e à Igreja. Em 1565, há mais de 450 anos, foi colocado como padroeiro de nossa cidade, para cujos fiéis é modelo de fé, coragem, constância e disponibilidade. São Sebastião foi um grande missionário do seu tempo, levando o nome de Jesus a todos, fortalecendo os que estavam cansados e abatidos pela perseguição religiosa daquela época.

Que a imagem peregrina, réplica da histórica de São Sebastião, aqui trazida por Estácio de Sá, peregrinando pela cidade do Rio de Janeiro, seja penhor de graças para todo o nosso amado povo!

Aproveito aqui para convidar a todos para que participem com fervor e devoção na Trezena do nosso padroeiro. A programação da nossa Trezena pode ser acessada no site da arquidiocese e nesta edição do TF na página.... Vamos rezar com nosso padroeiro e fazer a Trezena em nossas comunidades, paróquias, comércio, locais públicos e particulares, pedindo sempre a proteção de São Sebastião em favor da amada cidade do Rio de Janeiro. São Sebastião, nosso glorioso padroeiro, rogai por nós!

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.
Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro


Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro