Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 20º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/04/2019

18 de Abril de 2019

Sejamos um templo santificado

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Abril de 2019

Sejamos um templo santificado

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

15/04/2019 10:28 - Atualizado em 15/04/2019 10:28

Sejamos um templo santificado 0

15/04/2019 10:28 - Atualizado em 15/04/2019 10:28

Na narração de Jesus que purifica o templo de Jerusalém, Ele fez um chicote de cordas e expulsou todos do templo. Fazer um chicote de cordas é uma coisa trabalhosa, é trançar aquelas cordinhas, e isso demora, exige paciência. Jesus não foi no ímpeto. Ele viu e ficou desolado com aquela situação deplorável do templo, a casa do Seu Pai.

Havia no templo uma verdadeira quadrilha, na qual entravam doutores da lei, fariseus, junto com negociantes, com aquelas concordatas deles para explorar o povo e tirar o máximo de lucro. Era uma pouca vergonha. E Jesus limpa o templo dizendo: Esta é a casa do meu Pai, e vós fizeste dela um covil de ladrões, de espertalhões, nos termos de hoje, de corruptos.

Do mesmo modo que Jesus purificou aquele templo, Ele quer purificar os templos de hoje. Meu filho, minha filha, “Acaso não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus mora em vós?” O santuário do Senhor precisa ser santo, cada vez mais. Veja a importância que Deus dá a cada um de nós. Por isso, precisamos progredir na santidade.

Deus nos chamou para a santidade. Nós temos que dizer um solene “não” a toda impureza. Jesus quer entrar na nossa casa e fazer uma limpeza. Eu, você, nossa família, todos  pertencemos a Deus!

Eu peço a Deus que não seja necessário Ele entrar na minha e na sua casa e fazer como fez no templo de Jerusalém, expulsar toda impureza, maldade. Vai ser doloroso, mas, se preciso for, que Jesus faça isso. Senhor dai-nos a graça da santidade!



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Sejamos um templo santificado

15/04/2019 10:28 - Atualizado em 15/04/2019 10:28

Na narração de Jesus que purifica o templo de Jerusalém, Ele fez um chicote de cordas e expulsou todos do templo. Fazer um chicote de cordas é uma coisa trabalhosa, é trançar aquelas cordinhas, e isso demora, exige paciência. Jesus não foi no ímpeto. Ele viu e ficou desolado com aquela situação deplorável do templo, a casa do Seu Pai.

Havia no templo uma verdadeira quadrilha, na qual entravam doutores da lei, fariseus, junto com negociantes, com aquelas concordatas deles para explorar o povo e tirar o máximo de lucro. Era uma pouca vergonha. E Jesus limpa o templo dizendo: Esta é a casa do meu Pai, e vós fizeste dela um covil de ladrões, de espertalhões, nos termos de hoje, de corruptos.

Do mesmo modo que Jesus purificou aquele templo, Ele quer purificar os templos de hoje. Meu filho, minha filha, “Acaso não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus mora em vós?” O santuário do Senhor precisa ser santo, cada vez mais. Veja a importância que Deus dá a cada um de nós. Por isso, precisamos progredir na santidade.

Deus nos chamou para a santidade. Nós temos que dizer um solene “não” a toda impureza. Jesus quer entrar na nossa casa e fazer uma limpeza. Eu, você, nossa família, todos  pertencemos a Deus!

Eu peço a Deus que não seja necessário Ele entrar na minha e na sua casa e fazer como fez no templo de Jerusalém, expulsar toda impureza, maldade. Vai ser doloroso, mas, se preciso for, que Jesus faça isso. Senhor dai-nos a graça da santidade!



Monsenhor Jonas Abib
Autor

Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova e presidente da Fundação João Paulo II