Arquidiocese do Rio de Janeiro

37º 20º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 14/10/2019

14 de Outubro de 2019

Fomos criados para a máxima Felicidade

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

14 de Outubro de 2019

Fomos criados para a máxima Felicidade

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

02/04/2019 10:06 - Atualizado em 02/04/2019 10:07

Fomos criados para a máxima Felicidade 0

02/04/2019 10:06 - Atualizado em 02/04/2019 10:07

Estamos apenas de passagem nesta terra, como turistas que visitam um lugar. Porém, esse pequeno tempo que passamos aqui deve ser bem vivido, pois é de nossas ações que o Senhor tira a matéria-prima para construir a nossa morada no Céu. E ela não será somente para nós, mas para toda a nossa família. Por isso vale a pena todo esforço, suor, toda luta e lágrimas derramadas. Você combate por si e por todos eles!

No tempo de uma enfermidade, o meu relacionamento com Deus foi terrível. Eu estava num vazio enorme, apesar de não ter parado de orar. Mesmo sem sentir nada, eu rezava o ofício divino que todos os padres rezam, as orações do “O bom cristão”, até porque não podia fazer outras coisas.

Embora não “tocando em Deus”, eu buscava a fé, e conseguia coisas maravilhosas para as outras pessoas. Para mim não, mas ficava contente pelos outros estarem sendo beneficiados, e Deus servido.

Foi uma aventura de fé que vivi na minha enfermidade. Como digo, foi terrível, foi duro mesmo, mas ao mesmo tempo foi muito lindo. O proveito espiritual que tirei desta experiência não dá para contar.

Deus nos criou para Si, para a suprema alegria de viver em Sua companhia para sempre, na eternidade. O lugar que Jesus reserva para nós no céu foi conquistado pelo preço do Seu sangue. Ele morreu para que eu e você tivéssemos vida. Não apenas esta vida, mas a vida eterna: a máxima felicidade!

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Fomos criados para a máxima Felicidade

02/04/2019 10:06 - Atualizado em 02/04/2019 10:07

Estamos apenas de passagem nesta terra, como turistas que visitam um lugar. Porém, esse pequeno tempo que passamos aqui deve ser bem vivido, pois é de nossas ações que o Senhor tira a matéria-prima para construir a nossa morada no Céu. E ela não será somente para nós, mas para toda a nossa família. Por isso vale a pena todo esforço, suor, toda luta e lágrimas derramadas. Você combate por si e por todos eles!

No tempo de uma enfermidade, o meu relacionamento com Deus foi terrível. Eu estava num vazio enorme, apesar de não ter parado de orar. Mesmo sem sentir nada, eu rezava o ofício divino que todos os padres rezam, as orações do “O bom cristão”, até porque não podia fazer outras coisas.

Embora não “tocando em Deus”, eu buscava a fé, e conseguia coisas maravilhosas para as outras pessoas. Para mim não, mas ficava contente pelos outros estarem sendo beneficiados, e Deus servido.

Foi uma aventura de fé que vivi na minha enfermidade. Como digo, foi terrível, foi duro mesmo, mas ao mesmo tempo foi muito lindo. O proveito espiritual que tirei desta experiência não dá para contar.

Deus nos criou para Si, para a suprema alegria de viver em Sua companhia para sempre, na eternidade. O lugar que Jesus reserva para nós no céu foi conquistado pelo preço do Seu sangue. Ele morreu para que eu e você tivéssemos vida. Não apenas esta vida, mas a vida eterna: a máxima felicidade!

 

Monsenhor Jonas Abib
Autor

Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova e presidente da Fundação João Paulo II