Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 23/05/2019

23 de Maio de 2019

Adoremos a Deus sem outros interesses

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

23 de Maio de 2019

Adoremos a Deus sem outros interesses

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

19/02/2019 10:56 - Atualizado em 19/02/2019 11:00

Adoremos a Deus sem outros interesses 0

19/02/2019 10:56 - Atualizado em 19/02/2019 11:00

Louvo muito a Deus por ter colocado a realidade da Adoração na vida da Canção Nova, desde 1978, quando Ele colocou em nosso coração que fôssemos uma “Comunidade de Amor e Adoração”.

Todas as quintas-feiras, na Canção Nova, vivemos um dia de adoração. Empunhamos o ostensório, como Clara de Assis, para que o Senhor derrote os que querem atingir e destruir nossas famílias, nossos filhos, nossos casamentos. Cada vez que fazemos isso, é uma “guerra” que travamos.

Cada quinta-feira, na Canção Nova, levantamos o Santíssimo Sacramento para que Cristo Jesus seja adorado e amado, nesta Terra de Santa Cruz.

A adoração é um dom de Deus e não um esforço nosso. O primeiro passo sempre é de Deus. É Ele quem toma a iniciativa de estar conosco, de se relacionar conosco para estabelecer uma relação íntima, de amizade. Por isso, a adoração não é apenas um desejo do nosso coração, mas, mais do que isto, é um desejo de Deus.

Cada um de nós tem um coração de adorador que precisa ser trabalhado e desenvolvido para crescer no dom da Adoração. Insisto, essa indisposição que você sente para adorar não é sua. Esse trabalho para crescer na adoração consiste em um acolhimento da graça de Deus. Ele quer nos dar pela ação do Espírito Santo. Se é um dom, é preciso em primeiro lugar acolher.

Adoremos a Deus sem outros interesses, porque Deus é Deus. Tudo nos virá por acréscimo, porque saímos do sistema do mundo que nos colocava como centro e colocamos Deus como único centro de nossa vida.

Adorar em Espírito e em verdade. A adoração lá dentro de nós, dentro do coração, a adoração no Espírito, conduzida pelo Espírito Santo.

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Adoremos a Deus sem outros interesses

19/02/2019 10:56 - Atualizado em 19/02/2019 11:00

Louvo muito a Deus por ter colocado a realidade da Adoração na vida da Canção Nova, desde 1978, quando Ele colocou em nosso coração que fôssemos uma “Comunidade de Amor e Adoração”.

Todas as quintas-feiras, na Canção Nova, vivemos um dia de adoração. Empunhamos o ostensório, como Clara de Assis, para que o Senhor derrote os que querem atingir e destruir nossas famílias, nossos filhos, nossos casamentos. Cada vez que fazemos isso, é uma “guerra” que travamos.

Cada quinta-feira, na Canção Nova, levantamos o Santíssimo Sacramento para que Cristo Jesus seja adorado e amado, nesta Terra de Santa Cruz.

A adoração é um dom de Deus e não um esforço nosso. O primeiro passo sempre é de Deus. É Ele quem toma a iniciativa de estar conosco, de se relacionar conosco para estabelecer uma relação íntima, de amizade. Por isso, a adoração não é apenas um desejo do nosso coração, mas, mais do que isto, é um desejo de Deus.

Cada um de nós tem um coração de adorador que precisa ser trabalhado e desenvolvido para crescer no dom da Adoração. Insisto, essa indisposição que você sente para adorar não é sua. Esse trabalho para crescer na adoração consiste em um acolhimento da graça de Deus. Ele quer nos dar pela ação do Espírito Santo. Se é um dom, é preciso em primeiro lugar acolher.

Adoremos a Deus sem outros interesses, porque Deus é Deus. Tudo nos virá por acréscimo, porque saímos do sistema do mundo que nos colocava como centro e colocamos Deus como único centro de nossa vida.

Adorar em Espírito e em verdade. A adoração lá dentro de nós, dentro do coração, a adoração no Espírito, conduzida pelo Espírito Santo.

 

Monsenhor Jonas Abib
Autor

Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova e presidente da Fundação João Paulo II