Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/11/2018

19 de Novembro de 2018

Livros do Antigo Testamento (64)

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Novembro de 2018

Livros do Antigo Testamento (64)

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

27/07/2018 15:38 - Atualizado em 14/08/2018 17:15

Livros do Antigo Testamento (64) 0

27/07/2018 15:38 - Atualizado em 14/08/2018 17:15

Neste artigo damos continuidade à introdução ao livro do Deuteronômio. Um livro estratégico, pois à guisa de conclusão e de síntese do conjunto dos escritos do Pentateuco, nos oferece uma visão de conjunto da obra ‘mosaica’.

3) A Estrutura Literária do Deuteronômio:

O livro está estruturado em três grandes discursos atribuídos a Moisés.

Com estilo direto, num tom exortativo e profético, usando temas e frases estereotipadas e repetitivas, o redator final sintetiza o programa ou projeto, que torna possível fazer de Israel uma nova sociedade, segundo os ideais dos tempos puros da caminhada pelo deserto, num “hoje” de eterno presente.

Assim, temos:

I. Primeiro Discurso (1,6-4,43):

O Senhor, nosso Deus, falou-nos nestes termos em Horeb: tendes-vos demorado muito tempo neste monte. Voltai e parti. Tomai o caminho do monte dos amorreus e das regiões vizinhas; ide às planícies, às montanhas, aos vales, ao Negeb, às costas do mar, à terra dos cananeus, ao Líbano e até o grande rio Eufrates. Eis que eu vos entrego esta terra. Ide e possuí a terra que jurei dar a vossos pais Abraão, Isaac e Jacó, a eles e à sua posteridade. Eu disse-vos nessa mesma época: eu sozinho não posso tomar conta de vós. O Senhor, vosso Deus, vos multiplicou de tal modo que sois hoje tão numerosos como as estrelas do céu. Que o Senhor, o Deus de vossos pais, vos multiplique mil vezes mais e vos abençoe como prometeu. Como poderia eu sozinho encarregar-me de vós e levar o fardo de vossas contendas? Escolhei, de cada uma de vossas tribos, homens sábios, prudentes e experimentados, que eu ponha à vossa frente. Vós então me respondesses: é uma boa coisa o que nos propões (Dt 1, 6-14)

Esta unidade, de forma historicizante, recapitula o passado, desde a planície desértica da Arábia até a entrada na Terra Prometida de Canaã.

II. Segundo Discurso (4,44-28,68):

Eis a lei que Moisés apresentou aos israelitas: estes são os mandamentos, as leis e os preceitos que Moisés propôs aos israelitas depois de sua partida do Egito, do outro lado do Jordão, no vale situado em frente de Bet-Fogor, na terra de Seon, rei dos amorreus, que habitava em Hesebon. Moisés e os israelitas os tinham vencido depois de sua saída do Egito, e tinham conquistado a sua terra, assim como a de Og, rei de Basã (os dois reis dos amorreus que ocupavam a região além do Jordão), desde Aroer, situada sobre a margem da torrente do Arnon, até a montanha de Sirion, também chamada Hermon, e toda a planície que se estende além do Jordão, ao oriente, até o mar da planície, ao pé do Fasga (Dt 4, 44-49).

Nesta seção, Moisés apresenta os fundamentos da Aliança e as determinações da Lei: O Código Deuteronômico: (11,29-26,15):

Quando o Senhor, vosso Deus, te tiver introduzido na terra que vais possuir, pronunciarás a bênção sobre o monte Garizim, e a maldição sobre o monte Ebal. Essas montanhas encontram-se além do Jordão, do outro lado do caminho do ocidente, na terra dos cananeus que habitam nas planícies defronte de Gálgala, perto dos carvalhos de Moré. Com efeito, vós passareis o Jordão e tomareis posse da terra que te dá o Senhor. Quando a possuirdes e nela habitardes, cuidareis de praticar todos os preceitos e todas as leis que hoje vos proponho (Dt 11, 29-32)

III. Terceiro Discurso (28,69-30,20):

Esta unidade contém as últimas instruções de Moisés.

Quando, pois, tiverem acontecido todas essas coisas e postas diante de ti a bênção ou a maldição, se tu as tomares a peito no meio de todas as nações entre as quais o Senhor, teu Deus, te tiver espalhado, e voltares então para o Senhor, e obedeceres à sua voz de todo o teu coração e de toda a tua alma, tu e os teus filhos, conformando-vos a tudo o que hoje vos ordeno, então o Senhor, teu Deus, reconduzirá teus cativos e terá piedade de ti, e te ajuntará de novo do meio das nações entre as quais te houver espalhado. Ainda que os teus exilados se encontrassem na extremidade dos céus, dali te tiraria o Senhor, teu Deus, e ali mesmo iria ele buscar-te. O Senhor, teu Deus, te reconduzirá à terra que possuíam os teus pais e te dará a sua possessão. E far-te-á prosperar e multiplicar mais que os teus pais. O Senhor, teu Deus, circuncidar-te-á o coração e o de tua descendência, para que ames o Senhor de todo o teu coração e de toda a tua alma, a fim de que possas viver. O Senhor, teu Deus, fará cair todas essas maldições sobre os teus inimigos e sobre aqueles que te perseguem com ódio. Tu, porém, voltarás a ouvir a voz do Senhor, e porás em prática todas as ordens que hoje te prescrevo. O Senhor, teu Deus, encher-te-á de bens em todas as obras de tuas mãos, no fruto de tuas entranhas, no fruto de teus animais e nos produtos de teu solo, porque o Senhor se comprazerá de novo em fazer-te feliz, como se comprazia no tempo de teus pais, contanto que obedeças à voz do Senhor, teu Deus, observando seus mandamentos e seus preceitos escritos neste livro da lei, e que voltes para o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma. O mandamento que hoje te dou não está acima de tuas forças, nem fora de teu alcance. Ele não está nos céus, para que digas: quem subirá ao céu para no-lo buscar e no-lo fazer ouvir para que o observemos? Não está tampouco do outro lado do mar, para que digas: quem atravessará o mar para no-lo buscar e no-lo fazer ouvir para que o observemos? Mas essa palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração: e tu a podes cumprir. Olha que hoje ponho diante de ti a vida com o bem, e a morte com o mal. Mando-te hoje que ames o Senhor, teu Deus, que andes em seus caminhos, observes seus mandamentos, suas leis e seus preceitos, para que vivas e te multipliques, e que o Senhor, teu Deus, te abençoe na terra em que vais entrar para possuí-la. Se, porém, o teu coração se afastar, se não obedeceres e se te deixares seduzir para te prostrares diante de outros deuses e adorá-los, eu te declaro neste dia: perecereis seguramente e não prolongareis os vossos dias na terra em que ides entrar para possuí-la, ao passar o Jordão. Tomo hoje por testemunhas o céu e a terra contra vós: ponho diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe, pois, a vida, para que vivas com a I tua posteridade, amando o Senhor, teu Deus, obedecendo à sua voz e permanecendo unido a ele. Porque é esta a tua vida e a longevidade dos teus dias na terra que o Senhor jurou dar a Abraão, Isaac e Jacó, teus pais (Dt 30, 1-20).

IV. Apêndice (31,1-34,12):

Esta unidade narra os últimos dias de Moisés, com cânticos e bênçãos, bem como a sua morte.

Moisés dirigiu ainda a todo o Israel o discurso seguinte: Eis-me hoje com a idade de 120 anos; não posso mais ir e vir, e o Senhor disse-me que eu não passaria o Jordão. O Senhor, teu Deus, passará diante de ti; Ele mesmo exterminará essas nações para que possuas a sua terra. E Josué vos conduzirá, como o declarou o Senhor. O Senhor fará a esses povos como fez a Seon e a Og, reis dos amorreus, e à sua terra, aniquilando-os. O Senhor vo-los entregará, e vós os tratareis exatamente como vos ordenei. Coragem! E sede fortes. Nada vos atemorize, e não os temais, porque é o Senhor vosso Deus que marcha à vossa frente: ele não vos deixará nem vos abandonará (Dt 31, 1-6).

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Livros do Antigo Testamento (64)

27/07/2018 15:38 - Atualizado em 14/08/2018 17:15

Neste artigo damos continuidade à introdução ao livro do Deuteronômio. Um livro estratégico, pois à guisa de conclusão e de síntese do conjunto dos escritos do Pentateuco, nos oferece uma visão de conjunto da obra ‘mosaica’.

3) A Estrutura Literária do Deuteronômio:

O livro está estruturado em três grandes discursos atribuídos a Moisés.

Com estilo direto, num tom exortativo e profético, usando temas e frases estereotipadas e repetitivas, o redator final sintetiza o programa ou projeto, que torna possível fazer de Israel uma nova sociedade, segundo os ideais dos tempos puros da caminhada pelo deserto, num “hoje” de eterno presente.

Assim, temos:

I. Primeiro Discurso (1,6-4,43):

O Senhor, nosso Deus, falou-nos nestes termos em Horeb: tendes-vos demorado muito tempo neste monte. Voltai e parti. Tomai o caminho do monte dos amorreus e das regiões vizinhas; ide às planícies, às montanhas, aos vales, ao Negeb, às costas do mar, à terra dos cananeus, ao Líbano e até o grande rio Eufrates. Eis que eu vos entrego esta terra. Ide e possuí a terra que jurei dar a vossos pais Abraão, Isaac e Jacó, a eles e à sua posteridade. Eu disse-vos nessa mesma época: eu sozinho não posso tomar conta de vós. O Senhor, vosso Deus, vos multiplicou de tal modo que sois hoje tão numerosos como as estrelas do céu. Que o Senhor, o Deus de vossos pais, vos multiplique mil vezes mais e vos abençoe como prometeu. Como poderia eu sozinho encarregar-me de vós e levar o fardo de vossas contendas? Escolhei, de cada uma de vossas tribos, homens sábios, prudentes e experimentados, que eu ponha à vossa frente. Vós então me respondesses: é uma boa coisa o que nos propões (Dt 1, 6-14)

Esta unidade, de forma historicizante, recapitula o passado, desde a planície desértica da Arábia até a entrada na Terra Prometida de Canaã.

II. Segundo Discurso (4,44-28,68):

Eis a lei que Moisés apresentou aos israelitas: estes são os mandamentos, as leis e os preceitos que Moisés propôs aos israelitas depois de sua partida do Egito, do outro lado do Jordão, no vale situado em frente de Bet-Fogor, na terra de Seon, rei dos amorreus, que habitava em Hesebon. Moisés e os israelitas os tinham vencido depois de sua saída do Egito, e tinham conquistado a sua terra, assim como a de Og, rei de Basã (os dois reis dos amorreus que ocupavam a região além do Jordão), desde Aroer, situada sobre a margem da torrente do Arnon, até a montanha de Sirion, também chamada Hermon, e toda a planície que se estende além do Jordão, ao oriente, até o mar da planície, ao pé do Fasga (Dt 4, 44-49).

Nesta seção, Moisés apresenta os fundamentos da Aliança e as determinações da Lei: O Código Deuteronômico: (11,29-26,15):

Quando o Senhor, vosso Deus, te tiver introduzido na terra que vais possuir, pronunciarás a bênção sobre o monte Garizim, e a maldição sobre o monte Ebal. Essas montanhas encontram-se além do Jordão, do outro lado do caminho do ocidente, na terra dos cananeus que habitam nas planícies defronte de Gálgala, perto dos carvalhos de Moré. Com efeito, vós passareis o Jordão e tomareis posse da terra que te dá o Senhor. Quando a possuirdes e nela habitardes, cuidareis de praticar todos os preceitos e todas as leis que hoje vos proponho (Dt 11, 29-32)

III. Terceiro Discurso (28,69-30,20):

Esta unidade contém as últimas instruções de Moisés.

Quando, pois, tiverem acontecido todas essas coisas e postas diante de ti a bênção ou a maldição, se tu as tomares a peito no meio de todas as nações entre as quais o Senhor, teu Deus, te tiver espalhado, e voltares então para o Senhor, e obedeceres à sua voz de todo o teu coração e de toda a tua alma, tu e os teus filhos, conformando-vos a tudo o que hoje vos ordeno, então o Senhor, teu Deus, reconduzirá teus cativos e terá piedade de ti, e te ajuntará de novo do meio das nações entre as quais te houver espalhado. Ainda que os teus exilados se encontrassem na extremidade dos céus, dali te tiraria o Senhor, teu Deus, e ali mesmo iria ele buscar-te. O Senhor, teu Deus, te reconduzirá à terra que possuíam os teus pais e te dará a sua possessão. E far-te-á prosperar e multiplicar mais que os teus pais. O Senhor, teu Deus, circuncidar-te-á o coração e o de tua descendência, para que ames o Senhor de todo o teu coração e de toda a tua alma, a fim de que possas viver. O Senhor, teu Deus, fará cair todas essas maldições sobre os teus inimigos e sobre aqueles que te perseguem com ódio. Tu, porém, voltarás a ouvir a voz do Senhor, e porás em prática todas as ordens que hoje te prescrevo. O Senhor, teu Deus, encher-te-á de bens em todas as obras de tuas mãos, no fruto de tuas entranhas, no fruto de teus animais e nos produtos de teu solo, porque o Senhor se comprazerá de novo em fazer-te feliz, como se comprazia no tempo de teus pais, contanto que obedeças à voz do Senhor, teu Deus, observando seus mandamentos e seus preceitos escritos neste livro da lei, e que voltes para o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e de toda a tua alma. O mandamento que hoje te dou não está acima de tuas forças, nem fora de teu alcance. Ele não está nos céus, para que digas: quem subirá ao céu para no-lo buscar e no-lo fazer ouvir para que o observemos? Não está tampouco do outro lado do mar, para que digas: quem atravessará o mar para no-lo buscar e no-lo fazer ouvir para que o observemos? Mas essa palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração: e tu a podes cumprir. Olha que hoje ponho diante de ti a vida com o bem, e a morte com o mal. Mando-te hoje que ames o Senhor, teu Deus, que andes em seus caminhos, observes seus mandamentos, suas leis e seus preceitos, para que vivas e te multipliques, e que o Senhor, teu Deus, te abençoe na terra em que vais entrar para possuí-la. Se, porém, o teu coração se afastar, se não obedeceres e se te deixares seduzir para te prostrares diante de outros deuses e adorá-los, eu te declaro neste dia: perecereis seguramente e não prolongareis os vossos dias na terra em que ides entrar para possuí-la, ao passar o Jordão. Tomo hoje por testemunhas o céu e a terra contra vós: ponho diante de ti a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe, pois, a vida, para que vivas com a I tua posteridade, amando o Senhor, teu Deus, obedecendo à sua voz e permanecendo unido a ele. Porque é esta a tua vida e a longevidade dos teus dias na terra que o Senhor jurou dar a Abraão, Isaac e Jacó, teus pais (Dt 30, 1-20).

IV. Apêndice (31,1-34,12):

Esta unidade narra os últimos dias de Moisés, com cânticos e bênçãos, bem como a sua morte.

Moisés dirigiu ainda a todo o Israel o discurso seguinte: Eis-me hoje com a idade de 120 anos; não posso mais ir e vir, e o Senhor disse-me que eu não passaria o Jordão. O Senhor, teu Deus, passará diante de ti; Ele mesmo exterminará essas nações para que possuas a sua terra. E Josué vos conduzirá, como o declarou o Senhor. O Senhor fará a esses povos como fez a Seon e a Og, reis dos amorreus, e à sua terra, aniquilando-os. O Senhor vo-los entregará, e vós os tratareis exatamente como vos ordenei. Coragem! E sede fortes. Nada vos atemorize, e não os temais, porque é o Senhor vosso Deus que marcha à vossa frente: ele não vos deixará nem vos abandonará (Dt 31, 1-6).

Padre Pedro Paulo Alves dos Santos
Autor

Padre Pedro Paulo Alves dos Santos

Doutor em Teologia Bíblica