Arquidiocese do Rio de Janeiro

30º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 16/10/2018

16 de Outubro de 2018

Todo dom de Deus é inteiramente gratuito

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

16 de Outubro de 2018

Todo dom de Deus é inteiramente gratuito

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

17/04/2018 11:15 - Atualizado em 17/04/2018 11:15

Todo dom de Deus é inteiramente gratuito 0

17/04/2018 11:15 - Atualizado em 17/04/2018 11:15

Deus faz todas as coisas gratuitamente, e o mais importante: ninguém de nós pode “comprar” nada de Deus, nem pelas próprias virtudes. Muita gente reclama que tal doença surgiu, que uma morte inesperada atingiu a família, que tem um filho viciado, e a justificativa para essas queixas costuma ser assim: “Mas eu sou uma pessoa boa e sensata; um pai de família correto; uma mãe de família aplicada; como isso tudo pode acontecer?” Não use essas desculpas!

Os dons de Deus são completamente gratuitos, portanto, não é a nossa bondade, nem são as nossas virtudes que vão “comprar” as graças de Deus. E tampouco é por falta de virtude que Deus nos manda essa ou aquela situação. Ao contrário, muitas vezes, acontece conosco como aconteceu com Jó ou com Tobit - o pai de Tobias -, que eram homens muito justos.

A Bíblia fala que até o demônio quis prová-lo para mostrar para Deus que ele haveria de pecar, e Jó não pecou. Jó sofreu muito com aquilo que o demônio fez contra ele, mas nem sequer murmurou.

Com Tobit, o pai de Tobias, foi a mesma coisa. Sofreu muito injustamente, sem culpa nenhuma. Os mais justos, aqueles que teriam mais méritos, são provados. Se quisermos a prova, pensemos: Quem teria mais mérito que Jesus? E nós sabemos tudo aquilo que Jesus suportou na sua paixão, crucificação e morte.

Nenhum de nós recebe graças por merecimento. Nem é por promessas que se garantem graças. Nossas promessas são válidas no sentido de que estamos fazendo uma oferta gratuita a Deus, algo precioso para nós ou para nossa vida. Não significa que eu vá receber a graça de que eu preciso só por causa da promessa que eu fiz a Ele. Não!

Todas as graças, todos os dons de Deus são inteiramente gratuitos. E digo ainda: os homens e as mulheres mais virtuosos são provados. Não é por nenhum merecimento nosso que vamos conseguir a cura, mas é por uma total entrega a Deus.

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Todo dom de Deus é inteiramente gratuito

17/04/2018 11:15 - Atualizado em 17/04/2018 11:15

Deus faz todas as coisas gratuitamente, e o mais importante: ninguém de nós pode “comprar” nada de Deus, nem pelas próprias virtudes. Muita gente reclama que tal doença surgiu, que uma morte inesperada atingiu a família, que tem um filho viciado, e a justificativa para essas queixas costuma ser assim: “Mas eu sou uma pessoa boa e sensata; um pai de família correto; uma mãe de família aplicada; como isso tudo pode acontecer?” Não use essas desculpas!

Os dons de Deus são completamente gratuitos, portanto, não é a nossa bondade, nem são as nossas virtudes que vão “comprar” as graças de Deus. E tampouco é por falta de virtude que Deus nos manda essa ou aquela situação. Ao contrário, muitas vezes, acontece conosco como aconteceu com Jó ou com Tobit - o pai de Tobias -, que eram homens muito justos.

A Bíblia fala que até o demônio quis prová-lo para mostrar para Deus que ele haveria de pecar, e Jó não pecou. Jó sofreu muito com aquilo que o demônio fez contra ele, mas nem sequer murmurou.

Com Tobit, o pai de Tobias, foi a mesma coisa. Sofreu muito injustamente, sem culpa nenhuma. Os mais justos, aqueles que teriam mais méritos, são provados. Se quisermos a prova, pensemos: Quem teria mais mérito que Jesus? E nós sabemos tudo aquilo que Jesus suportou na sua paixão, crucificação e morte.

Nenhum de nós recebe graças por merecimento. Nem é por promessas que se garantem graças. Nossas promessas são válidas no sentido de que estamos fazendo uma oferta gratuita a Deus, algo precioso para nós ou para nossa vida. Não significa que eu vá receber a graça de que eu preciso só por causa da promessa que eu fiz a Ele. Não!

Todas as graças, todos os dons de Deus são inteiramente gratuitos. E digo ainda: os homens e as mulheres mais virtuosos são provados. Não é por nenhum merecimento nosso que vamos conseguir a cura, mas é por uma total entrega a Deus.

 

Monsenhor Jonas Abib
Autor

Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova e presidente da Fundação João Paulo II