Arquidiocese do Rio de Janeiro

33º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 18/11/2018

18 de Novembro de 2018

“Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos!” (Sl 117)

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

18 de Novembro de 2018

“Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos!” (Sl 117)

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

01/04/2018 00:00 - Atualizado em 02/04/2018 14:20

“Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos!” (Sl 117) 0

01/04/2018 00:00 - Atualizado em 02/04/2018 14:20

Estamos na Páscoa: “este é o dia que o Senhor fez para nós”, e assim o preparou, com a Vitória Pascal sobre a morte, “ressuscitando Jesus dos mortos, ressuscitou também a humanidade das profundezas do sepulcro”[1]. Somos contagiados pela Alegria da Vida que nos leva a exultar, como ensina o salmista.

A sequência de Páscoa deste belo dia leva-nos a irromper com alegria e gritos de júbilo: “Cantai, cristãos, afinal: Vi, Cristo Ressuscitado. Ressuscitou de verdade”! Todas as experiências de morte, perseguição, intolerância, violências, maldades, injustiças, tristezas e tantas situações sociais, religiosas e econômicas degradantes desta “mudança de época” são iluminadas pela certeza da vida que vence a morte como nos lembra o canto da proclamação da páscoa no sábado santo: “Ó noite de alegria verdadeira”.

A Alegria da “Vida em Cristo” (cf. Cl 3,4) é mesmo aquela que impulsiona os díscipulos “correrem ao encontro do mestre” e, consequentemente, anunciá-Lo aos que ainda não o conhecem! “O bem tende sempre a comunicar-se. Toda a experiência autêntica de verdade e de beleza procura, por si mesma, a sua expansão; e qualquer pessoa que viva uma libertação profunda adquire maior sensibilidade face às necessidades dos outros. E, uma vez comunicado, o bem radica-se e desenvolve-se. Por isso, quem deseja viver com dignidade e em plenitude, não tem outro caminho senão reconhecer o outro e buscar o seu bem. Assim, não nos deveriam surpreender frases de São Paulo como estas: ‘O amor de Cristo nos absorve completamente» (2 Cor 5, 14); ‘ai de mim, se eu não evangelizar!’ (1 Cor 9, 16).[2]

De fato, a Alegria verdadeira se encontra em Cristo Jesus que é o princípio e fim de todas as coisas. No Evangelho pascal narrado por São João (20, 1-9), destaca-se a importância que o discípulo amado detalha o acontecimento da ressurreição como sendo “o primeiro dia da semana”. Com um pouco mais de profundidade, encontramos ainda elementos de uma verdadeira “catequese” para uma Vida Feliz, plena da Alegria Pascal.

Quando iniciamos a nossa semana, isto é, o “primeiro dia da semana”, o Dia do Senhor, celebrando a Vitória de Cristo sobre a morte em cada Eucaristia, estamos a dar largos passos em direção a Alegria que não passa, pois, uma semana que se inicia com Cristo é uma semana que se inicia com a verdadeira Alegria. Já, uma semana que se inicia sem Cristo, certamente será uma semana sem Alegria.

Vemos Maria Madalena que vai ao sepulcro, “de madrugada”, e contemplamos a fé de alguém cheia de expectativas boas! Para uma Vida Feliz, é importante a fé expectante! Precisamos pedir a Deus a graça de uma fé que nos encha de esperança, mas que também encha a vida das pessoas ao nosso redor de boas esperanças. Maria Madalena provou e colheu aquilo que sua fé a impulsionou experimentar.

Um outro elemento para uma Vida Feliz, é “compartilhar da Alegria do ressuscitado”! Jesus deixa “pistas”, detalhes específicos a cada discípulo seu, pois sabia que cada um, com seu jeito, iria compartilhar de uma maneira muito própria. Neste sentido, compartilhar a Alegria do Evangelho, é fazer parte da Nova Evangelização, onde cada um, a partir de uma experiência pessoal com o ressuscitado, é capaz de anunciar.

Maria Madalena, tem a sensibilidade, própria da mulher, de se intuir e, como que antecipar, o ocorrido no sepulcro, depois vai anunciar aos demais. João, por sua vez, chega por primeiro no sepulcro, pois era o mais jovem, sana a doce curiosidade, típica da juventude, e vê com os próprios olhos que ali, só haviam os panos, mas espera a Pedro para poder entrar e acreditar! Pedro, como chefe da Igreja, adentra ao sepulcro, também “vê as faixas de linho por terra e o sudário que cobrira a cabeça de Jesus” (cf Jo 20,7);

A cada um, Jesus permite uma experiência muito própria de sua ressurreição, mas em todos estes faz brotar a Alegria que tem de ser compartilhada!

Somos hoje chamados a fazer de nossas vidas o reflexo da Páscoa de Cristo que é Alegria perene! Somos chamados a anunciar que verdadeiramente “este é o dia que o Senhor fez para nós”.

Guardemos no coração esses ensinamentos do Evangelho pascal para sermos Felizes e fazermos as pessoas felizes. Consequentemente iremos contagiar este mundo pela Vida Nova que em Cristo recebemos!

Iniciemos sempre nossa semana celebrando a Páscoa do Senhor, vivamos sempre uma fé expectante, e compartilhemos a Alegria do Evangelho com aqueles que ainda não viram o Ressuscitado. Assim, certamente, experimentaremos deste “Dia que não terminará”, pois é “o dia que o Senhor fez para nós!”

Como cristãos que “fazem páscoa” cantemos com a vida esse grande anúncio e continuemos a nossa missão evangelizadora tendo como essencial o grande anúncio do Mistério Pascal que nos impulsiona a sermos sinais de esperança e vida neste mundo de escuridões.

Santa Páscoa a todos, extensiva a seus entes queridos. Santo Dia do Senhor, o Domingo, primeiro dia da Semana. Jesus Cristo Ressuscitou verdadeiramente, aleluia, aleluia!

 



[1] Da Homilia sobre a Páscoa, de Melitão de Sardes, bispo.

[2] Papa Francisco, A Alegria do Evangelho.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

“Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos!” (Sl 117)

01/04/2018 00:00 - Atualizado em 02/04/2018 14:20

Estamos na Páscoa: “este é o dia que o Senhor fez para nós”, e assim o preparou, com a Vitória Pascal sobre a morte, “ressuscitando Jesus dos mortos, ressuscitou também a humanidade das profundezas do sepulcro”[1]. Somos contagiados pela Alegria da Vida que nos leva a exultar, como ensina o salmista.

A sequência de Páscoa deste belo dia leva-nos a irromper com alegria e gritos de júbilo: “Cantai, cristãos, afinal: Vi, Cristo Ressuscitado. Ressuscitou de verdade”! Todas as experiências de morte, perseguição, intolerância, violências, maldades, injustiças, tristezas e tantas situações sociais, religiosas e econômicas degradantes desta “mudança de época” são iluminadas pela certeza da vida que vence a morte como nos lembra o canto da proclamação da páscoa no sábado santo: “Ó noite de alegria verdadeira”.

A Alegria da “Vida em Cristo” (cf. Cl 3,4) é mesmo aquela que impulsiona os díscipulos “correrem ao encontro do mestre” e, consequentemente, anunciá-Lo aos que ainda não o conhecem! “O bem tende sempre a comunicar-se. Toda a experiência autêntica de verdade e de beleza procura, por si mesma, a sua expansão; e qualquer pessoa que viva uma libertação profunda adquire maior sensibilidade face às necessidades dos outros. E, uma vez comunicado, o bem radica-se e desenvolve-se. Por isso, quem deseja viver com dignidade e em plenitude, não tem outro caminho senão reconhecer o outro e buscar o seu bem. Assim, não nos deveriam surpreender frases de São Paulo como estas: ‘O amor de Cristo nos absorve completamente» (2 Cor 5, 14); ‘ai de mim, se eu não evangelizar!’ (1 Cor 9, 16).[2]

De fato, a Alegria verdadeira se encontra em Cristo Jesus que é o princípio e fim de todas as coisas. No Evangelho pascal narrado por São João (20, 1-9), destaca-se a importância que o discípulo amado detalha o acontecimento da ressurreição como sendo “o primeiro dia da semana”. Com um pouco mais de profundidade, encontramos ainda elementos de uma verdadeira “catequese” para uma Vida Feliz, plena da Alegria Pascal.

Quando iniciamos a nossa semana, isto é, o “primeiro dia da semana”, o Dia do Senhor, celebrando a Vitória de Cristo sobre a morte em cada Eucaristia, estamos a dar largos passos em direção a Alegria que não passa, pois, uma semana que se inicia com Cristo é uma semana que se inicia com a verdadeira Alegria. Já, uma semana que se inicia sem Cristo, certamente será uma semana sem Alegria.

Vemos Maria Madalena que vai ao sepulcro, “de madrugada”, e contemplamos a fé de alguém cheia de expectativas boas! Para uma Vida Feliz, é importante a fé expectante! Precisamos pedir a Deus a graça de uma fé que nos encha de esperança, mas que também encha a vida das pessoas ao nosso redor de boas esperanças. Maria Madalena provou e colheu aquilo que sua fé a impulsionou experimentar.

Um outro elemento para uma Vida Feliz, é “compartilhar da Alegria do ressuscitado”! Jesus deixa “pistas”, detalhes específicos a cada discípulo seu, pois sabia que cada um, com seu jeito, iria compartilhar de uma maneira muito própria. Neste sentido, compartilhar a Alegria do Evangelho, é fazer parte da Nova Evangelização, onde cada um, a partir de uma experiência pessoal com o ressuscitado, é capaz de anunciar.

Maria Madalena, tem a sensibilidade, própria da mulher, de se intuir e, como que antecipar, o ocorrido no sepulcro, depois vai anunciar aos demais. João, por sua vez, chega por primeiro no sepulcro, pois era o mais jovem, sana a doce curiosidade, típica da juventude, e vê com os próprios olhos que ali, só haviam os panos, mas espera a Pedro para poder entrar e acreditar! Pedro, como chefe da Igreja, adentra ao sepulcro, também “vê as faixas de linho por terra e o sudário que cobrira a cabeça de Jesus” (cf Jo 20,7);

A cada um, Jesus permite uma experiência muito própria de sua ressurreição, mas em todos estes faz brotar a Alegria que tem de ser compartilhada!

Somos hoje chamados a fazer de nossas vidas o reflexo da Páscoa de Cristo que é Alegria perene! Somos chamados a anunciar que verdadeiramente “este é o dia que o Senhor fez para nós”.

Guardemos no coração esses ensinamentos do Evangelho pascal para sermos Felizes e fazermos as pessoas felizes. Consequentemente iremos contagiar este mundo pela Vida Nova que em Cristo recebemos!

Iniciemos sempre nossa semana celebrando a Páscoa do Senhor, vivamos sempre uma fé expectante, e compartilhemos a Alegria do Evangelho com aqueles que ainda não viram o Ressuscitado. Assim, certamente, experimentaremos deste “Dia que não terminará”, pois é “o dia que o Senhor fez para nós!”

Como cristãos que “fazem páscoa” cantemos com a vida esse grande anúncio e continuemos a nossa missão evangelizadora tendo como essencial o grande anúncio do Mistério Pascal que nos impulsiona a sermos sinais de esperança e vida neste mundo de escuridões.

Santa Páscoa a todos, extensiva a seus entes queridos. Santo Dia do Senhor, o Domingo, primeiro dia da Semana. Jesus Cristo Ressuscitou verdadeiramente, aleluia, aleluia!

 



[1] Da Homilia sobre a Páscoa, de Melitão de Sardes, bispo.

[2] Papa Francisco, A Alegria do Evangelho.

Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro