Arquidiocese do Rio de Janeiro

26º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/10/2018

19 de Outubro de 2018

São Sebastião

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Outubro de 2018

São Sebastião

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

20/01/2018 07:34 - Atualizado em 20/01/2018 07:34

São Sebastião 0

20/01/2018 07:34 - Atualizado em 20/01/2018 07:34

Neste dia 20 de janeiro, temos a graça de celebrarmos o padroeiro de Nossa Arquidiocese e da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Inúmeras Paróquias, Igrejas, capelas, instituições levam o nome de São Sebastião. A nossa arquidiocese viveu intensamente a trezena de São Sebastião quando mais de 100 locais foram visitados anunciando o início do ano com São Sebastião que “superou tudo com amor” como indicou o tema deste ano. Por causa de sua poderosa intercessão e incontáveis milagres obtidos, ele se tornou também padroeiro de muitas cidades, bairros e entidades que por todo o Brasil receberam o nome de São Sebastião. Ele tem, portanto, um lugar de destaque no devocionário do povo brasileiro.

A história dos mártires dos primeiros séculos pode ser contada tanto pelos interrogatórios dos inquisidores do império romano, como pelas testemunhas oculares da épóca ou ainda pela tradição piedosa que costuma olhar o fato com olhos que, embora não reproduza exatamente o fato histórico, é segundo uma intenção do coração mas ressalta que atrás dos elogios dos antepassados existe uma pessoa que deu exemplo de vida cristã.

Segundo uma tradição, que se encontra inclusive presente nas redes sociais e nos sites de consultas da internet, Sebastião nasceu em Narbonne, na Gália, atual França; mas foram residir em Milão, na Itália, logo nos primeiros anos. A datação é de por volta do século terceiro. Recebeu a graça do santo batismo e zelou por ele em relação à sua vida e à dos irmãos.

Ao entrar para o serviço no Império como soldado, tinha muita saúde no físico, na mente e, principalmente, na alma. São Sebastião, desde cedo, foi muito generoso e dado ao serviço. Não demorou muito, tornou-se o primeiro capitão da guarda do Império. Esse grande homem de Deus ficou conhecido por muitos cristãos, pois, sem que as autoridades soubessem – nesse tempo, no Império de Diocleciano, a Igreja e os cristãos eram duramente perseguidos pois os cristãos não adoravam os deuses pagãos, mas as três Pessoas da Santíssima Trindade.

Esse mistério o levava a consolar secretamente os cristãos que eram presos, uma presença muito sábia; uma evangelização eficaz pelo testemunho que não podia ser explícito.

São Sebastião tornou-se defensor da Igreja como soldado, como capitão e também como apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. Também foi apóstolo dos mártires, os que confessavam Jesus em todas as situações, renunciando à própria vida. Um soldado denunciou-o para o Império e lá foi ele, diante do imperador, que estava muito decepcionado com ele por se sentir traído. Mas esse santo deixou claro, com muita sabedoria, auxiliado pelo Espírito Santo, que o melhor que ele fazia para o Império era esse serviço; denunciando o paganismo e a injustiça.

São Sebastião, defensor da verdade no amor apaixonado a Deus. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo por graça. Ela cuidou das feridas dele. Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, provavelmemte no ano de 288 foi duramente martirizado.

São Sebastião é um exemplo de coragem ante os obstáculos da vida e fidelidade mesmo diante das contrariedades e perseguições. Teve o empenho em fazer o bem ocultamente, aproveitando todas as circunstâncias para semear alegria, consolo e ânimo para as pessoas próximas, mesmo sabendo que quando fosse descoberto poderia ter complicações. São Sebastião também pode ser reconhecido por sua prontidão em fazer a Vontade de Deus e enorme espírito de serviço, pois após recobrar a saúde ele se volta para os outros e quer continuar fazendo o bem, sem achar que já fez muito na vida e que agora precisa repousar.

A vida de São Sebastião nos mostra que tudo ele venceu com muito amor, tanto que o tema da nossa trezena e da nossa festa neste ano é: “São Sebastião superou tudo com amor”. Olhando para vida deste grande santo, percebemos que só foi possível ser corajoso devido ao seu grande amor pelo Evangelho e por Jesus. Temos que aprender com São Sebastião a ter amor à Deus ao próximo e a vontade de se doar.

O exemplo de São Sebastião nos ensina a ser um exemplo de cristão. Amando sempre a Deus e ao nosso próximo. Queremos pedir a intercessão do nosso padroeiro para que reine em nossa Arquidiocese o dom do serviço e de se colocar em favor do outro. Ó glorioso São Sebastião, dai-nos a graça de sempre buscar a justiça e o reino de Deus.         


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

São Sebastião

20/01/2018 07:34 - Atualizado em 20/01/2018 07:34

Neste dia 20 de janeiro, temos a graça de celebrarmos o padroeiro de Nossa Arquidiocese e da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Inúmeras Paróquias, Igrejas, capelas, instituições levam o nome de São Sebastião. A nossa arquidiocese viveu intensamente a trezena de São Sebastião quando mais de 100 locais foram visitados anunciando o início do ano com São Sebastião que “superou tudo com amor” como indicou o tema deste ano. Por causa de sua poderosa intercessão e incontáveis milagres obtidos, ele se tornou também padroeiro de muitas cidades, bairros e entidades que por todo o Brasil receberam o nome de São Sebastião. Ele tem, portanto, um lugar de destaque no devocionário do povo brasileiro.

A história dos mártires dos primeiros séculos pode ser contada tanto pelos interrogatórios dos inquisidores do império romano, como pelas testemunhas oculares da épóca ou ainda pela tradição piedosa que costuma olhar o fato com olhos que, embora não reproduza exatamente o fato histórico, é segundo uma intenção do coração mas ressalta que atrás dos elogios dos antepassados existe uma pessoa que deu exemplo de vida cristã.

Segundo uma tradição, que se encontra inclusive presente nas redes sociais e nos sites de consultas da internet, Sebastião nasceu em Narbonne, na Gália, atual França; mas foram residir em Milão, na Itália, logo nos primeiros anos. A datação é de por volta do século terceiro. Recebeu a graça do santo batismo e zelou por ele em relação à sua vida e à dos irmãos.

Ao entrar para o serviço no Império como soldado, tinha muita saúde no físico, na mente e, principalmente, na alma. São Sebastião, desde cedo, foi muito generoso e dado ao serviço. Não demorou muito, tornou-se o primeiro capitão da guarda do Império. Esse grande homem de Deus ficou conhecido por muitos cristãos, pois, sem que as autoridades soubessem – nesse tempo, no Império de Diocleciano, a Igreja e os cristãos eram duramente perseguidos pois os cristãos não adoravam os deuses pagãos, mas as três Pessoas da Santíssima Trindade.

Esse mistério o levava a consolar secretamente os cristãos que eram presos, uma presença muito sábia; uma evangelização eficaz pelo testemunho que não podia ser explícito.

São Sebastião tornou-se defensor da Igreja como soldado, como capitão e também como apóstolo dos confessores, daqueles que eram presos. Também foi apóstolo dos mártires, os que confessavam Jesus em todas as situações, renunciando à própria vida. Um soldado denunciou-o para o Império e lá foi ele, diante do imperador, que estava muito decepcionado com ele por se sentir traído. Mas esse santo deixou claro, com muita sabedoria, auxiliado pelo Espírito Santo, que o melhor que ele fazia para o Império era esse serviço; denunciando o paganismo e a injustiça.

São Sebastião, defensor da verdade no amor apaixonado a Deus. O imperador, com o coração fechado, mandou prendê-lo num tronco e muitas flechadas sobre ele foram lançadas até o ponto de pensarem que estava morto. Mas uma mulher, esposa de um mártir, o conhecia, aproximou-se dele e percebeu que ele estava ainda vivo por graça. Ela cuidou das feridas dele. Ao recobrar sua saúde depois de um tempo, apresentou-se novamente para o imperador, pois queria o seu bem e o bem de todo o Império. Evangelizou, testemunhou, mas, dessa vez, provavelmemte no ano de 288 foi duramente martirizado.

São Sebastião é um exemplo de coragem ante os obstáculos da vida e fidelidade mesmo diante das contrariedades e perseguições. Teve o empenho em fazer o bem ocultamente, aproveitando todas as circunstâncias para semear alegria, consolo e ânimo para as pessoas próximas, mesmo sabendo que quando fosse descoberto poderia ter complicações. São Sebastião também pode ser reconhecido por sua prontidão em fazer a Vontade de Deus e enorme espírito de serviço, pois após recobrar a saúde ele se volta para os outros e quer continuar fazendo o bem, sem achar que já fez muito na vida e que agora precisa repousar.

A vida de São Sebastião nos mostra que tudo ele venceu com muito amor, tanto que o tema da nossa trezena e da nossa festa neste ano é: “São Sebastião superou tudo com amor”. Olhando para vida deste grande santo, percebemos que só foi possível ser corajoso devido ao seu grande amor pelo Evangelho e por Jesus. Temos que aprender com São Sebastião a ter amor à Deus ao próximo e a vontade de se doar.

O exemplo de São Sebastião nos ensina a ser um exemplo de cristão. Amando sempre a Deus e ao nosso próximo. Queremos pedir a intercessão do nosso padroeiro para que reine em nossa Arquidiocese o dom do serviço e de se colocar em favor do outro. Ó glorioso São Sebastião, dai-nos a graça de sempre buscar a justiça e o reino de Deus.         


Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro