Arquidiocese do Rio de Janeiro

27º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 14/08/2018

14 de Agosto de 2018

São Sebastião, Anunciador do Príncipe da Paz

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

14 de Agosto de 2018

São Sebastião, Anunciador do Príncipe da Paz

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

09/01/2018 00:00 - Atualizado em 10/01/2018 11:02

São Sebastião, Anunciador do Príncipe da Paz 0

09/01/2018 00:00 - Atualizado em 10/01/2018 11:02

Ainda ecoa nos nossos ouvidos o texto da profecia de Isaías, proclamado em nossas assembleias na celebração da noite de Natal: "porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e ele se chama: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz." (Is 9, 5). As palavras do profeta conduzem ao Cristo, aquele que veio nos dar a Paz através de uma vida nova.

Comumente, a paz é definida como um estado de calma ou tranquilidade, uma ausência de preocupações ou agitação. Em nível mundial os governantes e chefes das nações, de forma simplória, considerariam paz como a ausência de guerra. No plano pessoal, a paz seria um estado de espírito isento de ira, desconfiança, ou seja, ausência de perturbações. Entretanto, precisamos entender que tudo isso são somente características da paz, pois a paz verdadeira é aquela que é somente alcançada pelo Príncipe da Paz.  A paz que Ele quer nos dar não é a paz que o mundo oferece, não é uma simples ausência de perturbação, mas a plenitude da alma, a felicidade eterna que alcança quem O recebe em sua vida: "Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize!"  (Jo 14, 27).

São Sebastião recebeu o Príncipe da Paz em sua vida e, mesmo sendo soldado romano, mesmo sendo da guarda pessoal do imperador, a guarda pretoriana, soube viver a verdadeira paz que só Cristo pode dar, aquela que é fruto de sua ressurreição, como lemos nos relatos dos evangelhos após a Páscoa e de modo especial no encontro com os discípulos: "Na tarde do mesmo dia, que era o primeiro da semana, os discípulos tinham fechado as portas do lugar onde se achavam, por medo dos judeus. Jesus veio e pôs-se no meio deles. Disse-lhes ele: A paz esteja convosco!" (Jo 20, 19). A Paz é fruto da ressurreição e nós, seus discípulos, nos tornamos anunciadores do Ressuscitado, anunciadores da Paz. Podemos dizer que não é por acaso que nós cristãos nos saudamos eventualmente oferecendo a paz e inclusive na Santa Missa o bispo saúda os fiéis com a formula: “A Paz esteja convosco”. Isso se dá uma vez que a missão do verdadeiro discípulo é de comunicar a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vivemos em uma cidade marcada pela violência que é causada justamente pela falta de abertura a Cristo, ao doador da paz. São Sebastião vem nos dar o testemunho de que a verdadeira paz não consiste em acordos entre as nações ou em ausência de perturbações. A verdadeira paz tem aquele que se abre ao Cristo, aquele que vive a vida nova que só Ele pode dar. Para que a paz reine em nossas casas e em nossas famílias, precisamos deixar que o próprio Cristo nos traga a sua paz. Precisamos permitir que a paz de Cristo entre em nossas vidas para que nossas famílias possam viver em paz e, para que isso aconteça, vamos deixar Jesus, que é o príncipe da Paz, reinar dentro dos nossos lares, fazendo com que haja paz em nossas famílias. Façamos a nossa parte, como nosso padroeiro, nos tornando anunciadores da Paz de Cristo. Os que mataram São Sebastião não tiraram sua paz, ao contrário, eles o conduziram ao encontro com a Paz definitiva.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

São Sebastião, Anunciador do Príncipe da Paz

09/01/2018 00:00 - Atualizado em 10/01/2018 11:02

Ainda ecoa nos nossos ouvidos o texto da profecia de Isaías, proclamado em nossas assembleias na celebração da noite de Natal: "porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado; a soberania repousa sobre seus ombros, e ele se chama: Conselheiro admirável, Deus forte, Pai eterno, Príncipe da paz." (Is 9, 5). As palavras do profeta conduzem ao Cristo, aquele que veio nos dar a Paz através de uma vida nova.

Comumente, a paz é definida como um estado de calma ou tranquilidade, uma ausência de preocupações ou agitação. Em nível mundial os governantes e chefes das nações, de forma simplória, considerariam paz como a ausência de guerra. No plano pessoal, a paz seria um estado de espírito isento de ira, desconfiança, ou seja, ausência de perturbações. Entretanto, precisamos entender que tudo isso são somente características da paz, pois a paz verdadeira é aquela que é somente alcançada pelo Príncipe da Paz.  A paz que Ele quer nos dar não é a paz que o mundo oferece, não é uma simples ausência de perturbação, mas a plenitude da alma, a felicidade eterna que alcança quem O recebe em sua vida: "Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá. Não se perturbe o vosso coração, nem se atemorize!"  (Jo 14, 27).

São Sebastião recebeu o Príncipe da Paz em sua vida e, mesmo sendo soldado romano, mesmo sendo da guarda pessoal do imperador, a guarda pretoriana, soube viver a verdadeira paz que só Cristo pode dar, aquela que é fruto de sua ressurreição, como lemos nos relatos dos evangelhos após a Páscoa e de modo especial no encontro com os discípulos: "Na tarde do mesmo dia, que era o primeiro da semana, os discípulos tinham fechado as portas do lugar onde se achavam, por medo dos judeus. Jesus veio e pôs-se no meio deles. Disse-lhes ele: A paz esteja convosco!" (Jo 20, 19). A Paz é fruto da ressurreição e nós, seus discípulos, nos tornamos anunciadores do Ressuscitado, anunciadores da Paz. Podemos dizer que não é por acaso que nós cristãos nos saudamos eventualmente oferecendo a paz e inclusive na Santa Missa o bispo saúda os fiéis com a formula: “A Paz esteja convosco”. Isso se dá uma vez que a missão do verdadeiro discípulo é de comunicar a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vivemos em uma cidade marcada pela violência que é causada justamente pela falta de abertura a Cristo, ao doador da paz. São Sebastião vem nos dar o testemunho de que a verdadeira paz não consiste em acordos entre as nações ou em ausência de perturbações. A verdadeira paz tem aquele que se abre ao Cristo, aquele que vive a vida nova que só Ele pode dar. Para que a paz reine em nossas casas e em nossas famílias, precisamos deixar que o próprio Cristo nos traga a sua paz. Precisamos permitir que a paz de Cristo entre em nossas vidas para que nossas famílias possam viver em paz e, para que isso aconteça, vamos deixar Jesus, que é o príncipe da Paz, reinar dentro dos nossos lares, fazendo com que haja paz em nossas famílias. Façamos a nossa parte, como nosso padroeiro, nos tornando anunciadores da Paz de Cristo. Os que mataram São Sebastião não tiraram sua paz, ao contrário, eles o conduziram ao encontro com a Paz definitiva.

Autor

Padre Thiago Lemos dos Santos

Pároco da Paróquia Cristo Ressuscitado