Arquidiocese do Rio de Janeiro

37º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 16/12/2018

16 de Dezembro de 2018

Visitar os enfermos

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

16 de Dezembro de 2018

Visitar os enfermos

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

10/02/2018 00:00 - Atualizado em 11/02/2018 13:45

Visitar os enfermos 0

10/02/2018 00:00 - Atualizado em 11/02/2018 13:45

O Papa Francisco assinou no dia da Solenidade de Cristo Rei de 2017 a mensagem para o XXVI dia Mundial do Enfermo. Neste ano o tema é: “Mater Ecclesiae: “Eis o teu filho! (…) Eis a tua mãe!” E, desde aquela hora, o discípulo acolheu-a como sua” (Jo 19, 26-27).

A mensagem do Papa para esse Dia mundial dos Enfermos começa trabalhando a temática que é a dor da Virgem Maria no alto da Cruz, Maria que é Mãe da Igreja e dos homens e a figura de João que acolhe Maria.

A mensagem possui 7 pontos. O fio condutor de toda a mensagem são as palavras de Jesus no alto da Cruz. “Em primeiro lugar, as palavras de Jesus dão origem à vocação materna de Maria em relação a toda a humanidade. Será, de uma forma particular, a mãe dos discípulos do seu Filho e cuidará deles e do seu caminho. E, como sabemos, o cuidado materno dum filho ou duma filha engloba tanto os aspetos materiais como os espirituais da sua educação. O sofrimento indescritível da cruz trespassa a alma de Maria (cf. Lc 2, 35), mas não a paralisa. Pelo contrário, lá começa para Ela um novo caminho de doação, como Mãe do Senhor. Na cruz, Jesus preocupa-Se com a Igreja e toda a humanidade, e Maria é chamada a partilhar esta mesma preocupação. Os Atos dos Apóstolos, ao descrever a grande efusão do Espírito Santo no Pentecostes, mostram-nos que Maria começou a desempenhar a sua tarefa na primeira comunidade da Igreja. Uma tarefa que não mais terá fim” (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/12/11/mensagem_do_xxvi_dia_mundial_do_doente_texto_integral/1354169/ acessado pela última vez em: 28/12/2017).

“João, como discípulo que partilhou tudo com Jesus, sabe que o Mestre quer conduzir todos os homens ao encontro do Pai. Pode testemunhar que Jesus encontrou muitas pessoas doentes no espírito, porque cheias de orgulho (cf. Jo 8, 31-39), e doentes no corpo (cf. Jo 5, 6). A todos, concedeu misericórdia e perdão e, aos doentes, também a cura física, sinal da vida abundante do Reino, onde se enxugam todas as lágrimas. Como Maria, os discípulos são chamados a cuidar uns dos outros; mas não só: eles sabem que o Coração de Jesus está aberto a todos, sem exclusão. A todos deve ser anunciado o Evangelho do Reino, e a caridade dos cristãos deve estender-se a todos quantos passam necessidade, simplesmente porque são pessoas, filhos de Deus” (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/12/11/mensagem_do_xxvi_dia_mundial_do_doente_texto_integral/1354169/ acessado pela última vez em: 28/12/2017).

Celebrando esse dia incentivo para que os sacerdotes de nossa Arquidiocese continuem dando assistência religiosa e espiritual aos nossos enfermos. Convido a todos os homens e mulheres de boa vontade a tirarem um tempo de sua semana para visitarem os doentes. É a graça de Cristo que vem ao encontro dos que estão nos leitos dos hospitais, casas de saúde, e, mesmo em suas próprias residências. Visitar um doente é um sublime ato de amor, de caridade e de misericórdia. Que neste ano do laicato nossos fiéis possam se conscientizar que visitar os doentes é obra de evangelização e de solidariedade cristã!

O Papa Francisco em sua mensagem pede também aos hospitais católicos para que estes não entrem na lógica empresarial, ou seja, para que estes não coloquem os interesses financeiros acima da pessoa, pois, a dignidade humana deve ser salvaguardada. A mensagem termina fazendo uma invocação a Bem-Aventurada Virgem Maria, onde sob o aparo Dela queremos oferecer todos os doentes do corpo e do espírito.

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Visitar os enfermos

10/02/2018 00:00 - Atualizado em 11/02/2018 13:45

O Papa Francisco assinou no dia da Solenidade de Cristo Rei de 2017 a mensagem para o XXVI dia Mundial do Enfermo. Neste ano o tema é: “Mater Ecclesiae: “Eis o teu filho! (…) Eis a tua mãe!” E, desde aquela hora, o discípulo acolheu-a como sua” (Jo 19, 26-27).

A mensagem do Papa para esse Dia mundial dos Enfermos começa trabalhando a temática que é a dor da Virgem Maria no alto da Cruz, Maria que é Mãe da Igreja e dos homens e a figura de João que acolhe Maria.

A mensagem possui 7 pontos. O fio condutor de toda a mensagem são as palavras de Jesus no alto da Cruz. “Em primeiro lugar, as palavras de Jesus dão origem à vocação materna de Maria em relação a toda a humanidade. Será, de uma forma particular, a mãe dos discípulos do seu Filho e cuidará deles e do seu caminho. E, como sabemos, o cuidado materno dum filho ou duma filha engloba tanto os aspetos materiais como os espirituais da sua educação. O sofrimento indescritível da cruz trespassa a alma de Maria (cf. Lc 2, 35), mas não a paralisa. Pelo contrário, lá começa para Ela um novo caminho de doação, como Mãe do Senhor. Na cruz, Jesus preocupa-Se com a Igreja e toda a humanidade, e Maria é chamada a partilhar esta mesma preocupação. Os Atos dos Apóstolos, ao descrever a grande efusão do Espírito Santo no Pentecostes, mostram-nos que Maria começou a desempenhar a sua tarefa na primeira comunidade da Igreja. Uma tarefa que não mais terá fim” (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/12/11/mensagem_do_xxvi_dia_mundial_do_doente_texto_integral/1354169/ acessado pela última vez em: 28/12/2017).

“João, como discípulo que partilhou tudo com Jesus, sabe que o Mestre quer conduzir todos os homens ao encontro do Pai. Pode testemunhar que Jesus encontrou muitas pessoas doentes no espírito, porque cheias de orgulho (cf. Jo 8, 31-39), e doentes no corpo (cf. Jo 5, 6). A todos, concedeu misericórdia e perdão e, aos doentes, também a cura física, sinal da vida abundante do Reino, onde se enxugam todas as lágrimas. Como Maria, os discípulos são chamados a cuidar uns dos outros; mas não só: eles sabem que o Coração de Jesus está aberto a todos, sem exclusão. A todos deve ser anunciado o Evangelho do Reino, e a caridade dos cristãos deve estender-se a todos quantos passam necessidade, simplesmente porque são pessoas, filhos de Deus” (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/12/11/mensagem_do_xxvi_dia_mundial_do_doente_texto_integral/1354169/ acessado pela última vez em: 28/12/2017).

Celebrando esse dia incentivo para que os sacerdotes de nossa Arquidiocese continuem dando assistência religiosa e espiritual aos nossos enfermos. Convido a todos os homens e mulheres de boa vontade a tirarem um tempo de sua semana para visitarem os doentes. É a graça de Cristo que vem ao encontro dos que estão nos leitos dos hospitais, casas de saúde, e, mesmo em suas próprias residências. Visitar um doente é um sublime ato de amor, de caridade e de misericórdia. Que neste ano do laicato nossos fiéis possam se conscientizar que visitar os doentes é obra de evangelização e de solidariedade cristã!

O Papa Francisco em sua mensagem pede também aos hospitais católicos para que estes não entrem na lógica empresarial, ou seja, para que estes não coloquem os interesses financeiros acima da pessoa, pois, a dignidade humana deve ser salvaguardada. A mensagem termina fazendo uma invocação a Bem-Aventurada Virgem Maria, onde sob o aparo Dela queremos oferecer todos os doentes do corpo e do espírito.

 

Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro