Arquidiocese do Rio de Janeiro

26º 14º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 14/08/2018

14 de Agosto de 2018

Festa da unidade

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

14 de Agosto de 2018

Festa da unidade

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

01/12/2017 22:02 - Atualizado em 01/12/2017 22:03

Festa da unidade 0

01/12/2017 22:02 - Atualizado em 01/12/2017 22:03

A Igreja é una. Somos chamados a viver a unidade como nos pediu Jesus. O que nós lemos na Bíblia a respeito da unidade da Igreja é que Jesus revelou o mistério dessa unidade em algumas parábolas, como por exemplo a da videira (João 15,1-17); do Reino (Mateus 12, 25-28); do Bom Pastor (João 10,1-18). Todas elas demonstram que Jesus quer que sua Igreja seja una, assim como Ele e o Pai são um. Jesus também orou pela unidade da Igreja na véspera da sua Paixão, como podemos ler no capítulo 17 do Evangelho de São João. A Igreja de Cristo nasce unida, pois tudo o que os primeiros cristãos faziam era em comum, como lemos em Atos dos Apóstolos 2,42: “Eles mostravam-se assíduos ao ensinamento dos apóstolos, à comunhão fraterna, à fração do pão e às orações".

A unidade da Igreja, conforme ensina o Catecismo da Igreja Católica no nº 814, se apresenta com uma grande diversidade. Esta se dá, primeiro, pela riqueza de dons, carismas e ministérios que o Espírito Santo dota a Igreja a fim de que ela cumpra sua missão. Uma segunda é o número de culturas que assimilam o Evangelho. Cada povo, com suas próprias peculiaridades, vai acolhendo e iluminando seu jeito de ser pelas palavras de Jesus. Uma única Igreja se espalha pelo mundo todo e, nas diferentes culturas, testemunha a fé em Jesus, nosso Senhor.

O anúncio e o advento do Reino colocam a Igreja permanentemente em estado de penitência e missão. A missão da Igreja, que emerge de sua origem e estrutura trinitária, é defender a plenitude da vida de todos e a integridade da vida de cada um. Essa luta pela vida que Deus nos deu inclui os espaços particulares e regionais, e, ao mesmo tempo, ultrapassa todas as fronteiras geográficas, étnicas e culturais.

Este ano será a nossa 5ª edição da Festa da Unidade. Esta ocorrerá no dia 02 de dezembro, a partir das 7h, os fiéis da Arquidiocese estarão reunidos na Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro O tema é “Vós sois o sal da terra, vós sois a luz do mundo” (Mt 5, 13-16). A Catedral fica na Avenida Chile, 245, no Centro. As atrações deste ano incluem apresentações musicais da cantora Olívia Ferreira e de Jadir Barcelos e banda. O apresentador da Rádio Catedral FM, Silvio Júnior, será o animador, e também haverá um concerto musical da Oficina Viva. A Missa “O Rio Celebra” será às 9h, presidida por mim e transmitida pela Rádio Catedral FM e pela Rede Vida de Televisão, que gera imagens e sons para a TV Nazaré e para a Rádio Canção Nova Rio de Janeiro. Em seguida, haverá adoração ao Santíssimo Sacramento.

A festa da unidade começa a partir do meu lema episcopal, “Que todos sejam um”, e tem como objetivo celebrar a unidade de toda a Arquidiocese. A maior parte das atividades que foram pensadas coletivamente pelas forças vivas da Arquidiocese tem como objetivo a atuação conjunta por meio de rede para o fortalecimento das atividades pastorais em nossa diversificada e pujante Igreja Particular. Celebrar a Festa da Unidade é celebrar novamente nossa vocação advinda do Batismo. Somos um com Cristo e um corpo de membros diferentes que compõem esse ‘edifício’ que é a Igreja. Celebrar essa festa é celebrar a vitalidade da Igreja.

Ora, o Senhor ao falar que somos “sal da terra” quer nos dizer que somos aqueles em quem Ele confia para perenizar entre os homens o seu amor, sua aliança, para construir o Reino de Justiça. E o sal não perde o sabor, nos alerta o Mestre, dizendo da necessidade de nos mantermos fiéis à nossa missão, caso contrário, se perdermos o sabor, seremos jogados no chão para sermos pisados, desprezados, pois perdemos nossa sublime missão. A luz brilha e Jesus nos chamou de luz do mundo. Deveremos brilhar no mundo, iluminá-lo para levá-lo ao Senhor. “A luz de vocês brilhe diante das pessoas, para que elas vejam as boas obras que vocês fazem, e louvem o Pai que está no céu”.

A Igreja una se apresenta com uma grande diversidade, que provém ao mesmo tempo da variedade dos dons de Deus e da multiplicidade das pessoas que o recebem.  E por causa de sua própria vocação a unidade da Igreja está destinada desde o princípio em obter a plenitude de sua realidade interior, que já se manifesta pela “própria estrutura visível da Igreja”, isto é, pelos seus vínculos de comunhão. A cada ano, temos também um gesto concreto. Este ano o convite é que cada participante traga um livro, pois, estes serão doados para os jovens que se encontram em recuperação no Degase. Também na celebração da festa na unidade, cada vicariato usará uma cor: Urbano, branco; Norte, verde; Santa Cruz, azul escuro; Sul, azul claro; suburbano, cinza; Oeste, vermelho; Leopoldina, amarelo; Jacarepaguá, laranja.

Que a Igreja do Rio seja uma no anúncio do Evangelho e no seguimento do Cristo Redentor! Creio na Igreja UNA, Santa, Católica e Apostolica!

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Festa da unidade

01/12/2017 22:02 - Atualizado em 01/12/2017 22:03

A Igreja é una. Somos chamados a viver a unidade como nos pediu Jesus. O que nós lemos na Bíblia a respeito da unidade da Igreja é que Jesus revelou o mistério dessa unidade em algumas parábolas, como por exemplo a da videira (João 15,1-17); do Reino (Mateus 12, 25-28); do Bom Pastor (João 10,1-18). Todas elas demonstram que Jesus quer que sua Igreja seja una, assim como Ele e o Pai são um. Jesus também orou pela unidade da Igreja na véspera da sua Paixão, como podemos ler no capítulo 17 do Evangelho de São João. A Igreja de Cristo nasce unida, pois tudo o que os primeiros cristãos faziam era em comum, como lemos em Atos dos Apóstolos 2,42: “Eles mostravam-se assíduos ao ensinamento dos apóstolos, à comunhão fraterna, à fração do pão e às orações".

A unidade da Igreja, conforme ensina o Catecismo da Igreja Católica no nº 814, se apresenta com uma grande diversidade. Esta se dá, primeiro, pela riqueza de dons, carismas e ministérios que o Espírito Santo dota a Igreja a fim de que ela cumpra sua missão. Uma segunda é o número de culturas que assimilam o Evangelho. Cada povo, com suas próprias peculiaridades, vai acolhendo e iluminando seu jeito de ser pelas palavras de Jesus. Uma única Igreja se espalha pelo mundo todo e, nas diferentes culturas, testemunha a fé em Jesus, nosso Senhor.

O anúncio e o advento do Reino colocam a Igreja permanentemente em estado de penitência e missão. A missão da Igreja, que emerge de sua origem e estrutura trinitária, é defender a plenitude da vida de todos e a integridade da vida de cada um. Essa luta pela vida que Deus nos deu inclui os espaços particulares e regionais, e, ao mesmo tempo, ultrapassa todas as fronteiras geográficas, étnicas e culturais.

Este ano será a nossa 5ª edição da Festa da Unidade. Esta ocorrerá no dia 02 de dezembro, a partir das 7h, os fiéis da Arquidiocese estarão reunidos na Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro O tema é “Vós sois o sal da terra, vós sois a luz do mundo” (Mt 5, 13-16). A Catedral fica na Avenida Chile, 245, no Centro. As atrações deste ano incluem apresentações musicais da cantora Olívia Ferreira e de Jadir Barcelos e banda. O apresentador da Rádio Catedral FM, Silvio Júnior, será o animador, e também haverá um concerto musical da Oficina Viva. A Missa “O Rio Celebra” será às 9h, presidida por mim e transmitida pela Rádio Catedral FM e pela Rede Vida de Televisão, que gera imagens e sons para a TV Nazaré e para a Rádio Canção Nova Rio de Janeiro. Em seguida, haverá adoração ao Santíssimo Sacramento.

A festa da unidade começa a partir do meu lema episcopal, “Que todos sejam um”, e tem como objetivo celebrar a unidade de toda a Arquidiocese. A maior parte das atividades que foram pensadas coletivamente pelas forças vivas da Arquidiocese tem como objetivo a atuação conjunta por meio de rede para o fortalecimento das atividades pastorais em nossa diversificada e pujante Igreja Particular. Celebrar a Festa da Unidade é celebrar novamente nossa vocação advinda do Batismo. Somos um com Cristo e um corpo de membros diferentes que compõem esse ‘edifício’ que é a Igreja. Celebrar essa festa é celebrar a vitalidade da Igreja.

Ora, o Senhor ao falar que somos “sal da terra” quer nos dizer que somos aqueles em quem Ele confia para perenizar entre os homens o seu amor, sua aliança, para construir o Reino de Justiça. E o sal não perde o sabor, nos alerta o Mestre, dizendo da necessidade de nos mantermos fiéis à nossa missão, caso contrário, se perdermos o sabor, seremos jogados no chão para sermos pisados, desprezados, pois perdemos nossa sublime missão. A luz brilha e Jesus nos chamou de luz do mundo. Deveremos brilhar no mundo, iluminá-lo para levá-lo ao Senhor. “A luz de vocês brilhe diante das pessoas, para que elas vejam as boas obras que vocês fazem, e louvem o Pai que está no céu”.

A Igreja una se apresenta com uma grande diversidade, que provém ao mesmo tempo da variedade dos dons de Deus e da multiplicidade das pessoas que o recebem.  E por causa de sua própria vocação a unidade da Igreja está destinada desde o princípio em obter a plenitude de sua realidade interior, que já se manifesta pela “própria estrutura visível da Igreja”, isto é, pelos seus vínculos de comunhão. A cada ano, temos também um gesto concreto. Este ano o convite é que cada participante traga um livro, pois, estes serão doados para os jovens que se encontram em recuperação no Degase. Também na celebração da festa na unidade, cada vicariato usará uma cor: Urbano, branco; Norte, verde; Santa Cruz, azul escuro; Sul, azul claro; suburbano, cinza; Oeste, vermelho; Leopoldina, amarelo; Jacarepaguá, laranja.

Que a Igreja do Rio seja uma no anúncio do Evangelho e no seguimento do Cristo Redentor! Creio na Igreja UNA, Santa, Católica e Apostolica!

Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro