Arquidiocese do Rio de Janeiro

36º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 13/12/2018

13 de Dezembro de 2018

Peregrinação da REDEVIDA

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

13 de Dezembro de 2018

Peregrinação da REDEVIDA

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

08/05/2017 00:00 - Atualizado em 09/05/2017 15:58

Peregrinação da REDEVIDA 0

08/05/2017 00:00 - Atualizado em 09/05/2017 15:58

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_9_09052017155203

Maio é o mês de Maria, das mães, mas é também o mês da inauguração da Rede Vida. São 22 anos de serviço à causa do bem, da família, dos valores que constroem uma pátria com dignidade. A Rede Vida, antes mesmo de ir ao ar, foi consagrada a Nossa Senhora, tanto em Aparecida como em Fátima. Por isso, aproveitando o ensejo do Ano Mariano (300 anos de Aparecida) e do Centenário de Fátima, estivemos no dia 8 de maio em peregrinação com todos os diretores, alguns funcionários e colaboradores, assim como com os sacerdotes que celebram as missas na RedeVida em peregrinação no Santuário Nacional. Todos que compõem o INBRAC – Instituto Brasileiro de Comunicação, mantenedor da Rede Vida de Televisão, quando, na qualidade de presidente do Conselho do INBRAC, presidi a Missa Festiva dessa peregrinação, transmitida para todo o Brasil.

A chegada de uma rede de televisão de inspiração católica foi uma grande novidade na época. Já tínhamos muitas experiências na Televisão, mas não em uma emissora de inspiração católica, como é a RedeVida. Aqui no Rio de Janeiro mesmo, tínhamos várias transmissões de missa pela Televisão. Apenas para recordar e deixar fixo para a posteridade: Na antiga TV Educativa, (hoje TV Brasil) desde 1974, na Rede Globo desde 1968, na extinta TV Excelsior entre 1963 e 1967. Programas como a Voz do Pastor, na antiga TV Tupi entre 1971 e 1974 e TV Rio entre 1972 e 1973; Palavra de Vida na TV Educativa (hoje TV Brasil) desde 1972, e Noticiário da Arquidiocese na TV Globo em 1971 (local) e nacional de 1974 a 2008.

Hoje, quando temos uma situação em que muitos maldosamente identificam “estado laico” como “estado ateu ou laicista”, e colocam muitos obstáculos aos cidadãos brasileiros que querem manifestar sua fé, sem dúvida é bom recordar essa história. Assim como a história da presença da Arquidiocese do Rio de Janeiro, teremos também de muitas outras em muitas cidades do Brasil, com várias programações. Creio que faltaria ainda uma bela história positiva sobre essas presenças da Igreja na mídia televisiva no Brasil.

Mas, sem dúvida, a primeira rede de televisão que abriu caminhos para tantas outras que se sucederam foi a Rede Vida. A inspiração de um leigo (Monteiro Filho) que procurou o seu bispo (D. Mucciolo) e que se submeterem às orientações da CNBB (na época D. Luciano Mendes de Almeida, hoje servo de Deus) fez nascer um novo canal no Brasil, que antes da inauguração difundia seu sinal fixo com a estrela característica, pelo sinal do satélite para todo o país. O tempo passa, os tempos mudam, as questões aparecem e se solucionam, e nesta segunda-feira, dia 8 de Maio pudemos agradecer a Deus, junto com a nossa mãe Maria, por esse serviço ao Brasil e aos valores que constroem a nossa pátria, e pedir luzes para continuar com criatividade essa missão.

Para mim foi uma graça retornar a Aparecida, onde estive entre os dias 25 de abril e 05 de maio de 2017, participando da 55ª. Assembleia Geral da CNBB. Nós observamos, como bispos no Brasil irmanados em Conferência Episcopal, que o contato com o povo santo de Deus nas missas de cada manhã no Santuário Nacional é como uma efusão do Espírito Santo a iluminar o Episcopado Brasileiro, em sintonia com seu Povo Santo de Deus, de levar adiante o mandato missionário dado por Cristo e confiado a cada um dos batizados e batizadas. Sempre presentes em meu coração as palavras prenhes de beleza espiritual do Papa Francisco na missa que celebrou em Aparecida, em 24 de julho de 2013: “Queria dizer-lhes, primeiramente, uma coisa. Neste Santuário, seis anos atrás, quando aqui se realizou a V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, pude dar-me conta pessoalmente de um fato belíssimo: ver como os Bispos – que trabalharam sobre o tema do encontro com Cristo, discipulado e missão – eram animados, acompanhados e, em certo sentido, inspirados pelos milhares de peregrinos que vinham diariamente confiar a sua vida a Nossa Senhora: aquela Conferência foi um grande momento de vida da Igreja. E, de fato, pode-se dizer que o Documento de Aparecida nasceu justamente deste encontro entre os trabalhos dos Pastores e a fé simples dos romeiros, sob a proteção maternal de Maria. A Igreja, quando busca Cristo, bate sempre à casa da Mãe e pede: “Mostrai-nos Jesus”. É de Maria que se aprende o verdadeiro discipulado. E, por isso, a Igreja sai em missão sempre na esteira de Maria”. (Cf. https://w2.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2013/documents/papa-francesco_20130724_gmg-omelia-aparecida.html). Último acesso em 07 de maio de 2017.

Assim, nós, família INBRAC e RedeVida de Televisão, nos fizemos romeiros com os romeiros. Escutamos a voz de Deus, que se faz forte, poderosa e santa, junto à pequena imagem da Bem-Aventurada Virgem Maria, Rainha e Padroeira do Brasil. Recebemos uma réplica da imagem para ser entronizada na segunda-feira, dia 15 de maio, no Santuário de Jesus Luz da Vida, em São José do Rio Preto.

Há dez anos, em 13 de maio de 2007, assim dirigia a nós, delegados da V Conferência Geral do CELAM, o Papa Bento XVI, que exprime o sentido de todo romeiro peregrinar até o Santuário Nacional de Aparecida: “Considero um dom especial da Providência que esta Santa Missa seja celebrada neste tempo e neste lugar. O tempo é o litúrgico do VI Domingo de Páscoa (atenção-era na época): está próxima a Festa de Pentecostes, e a Igreja é convidada a intensificar a invocação ao Espírito Santo. O lugar é o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, coração mariano do Brasil: Maria nos acolhe neste Cenáculo e, como Mãe e Mestra, nos ajuda a elevar a Deus uma prece unânime e confiante. Esta celebração litúrgica constitui o fundamento mais sólido da V Conferência, porque põe na sua base a oração e a Eucaristia, Sacramentum caritatis. Com efeito, só a caridade de Cristo, emanada pelo Espírito Santo, pode fazer desta reunião um autêntico acontecimento eclesial, um momento de graça para este Continente e para o mundo inteiro. Esta tarde terei a possibilidade de entrar no mérito dos conteúdos sugeridos pelo tema da vossa Conferência. Demos agora espaço à Palavra de Deus, que com alegria acolhemos, com o coração aberto e dócil, a exemplo de Maria, Nossa Senhora da Conceição, a fim de que, pelo poder do Espírito Santo, Cristo possa novamente “fazer-se carne” no hoje da nossa história”. (Cf. http://www.veritatis.com.br/fe-em-deus-nao-ideologias-homilia-do-papa-bento-xvi-em-aparecida). Último acesso em 07 de maio de 2017.

Com o amado Papa Francisco, como romeiros de Nossa Senhora Aparecida, queremos repetir o seu desejo: “também eu venho hoje bater à porta da casa de Maria, que amou e educou Jesus, para que ajude a todos nós, os Pastores do Povo de Deus, aos pais e aos educadores, a transmitir aos nossos jovens os valores que farão deles construtores de um País e de um mundo mais justo, solidário e fraterno. Para tal, gostaria de chamar a atenção para três simples posturas, três simples posturas: conservar a esperança; deixar-se surpreender por Deus; viver na alegria”. (Cf. https://w2.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2013/documents/papa-francesco_20130724_gmg-omelia-aparecida.html) Último acesso em 07 de maio de 2017.

Realmente, conservando a esperança, deixando-se surpreender por Deus e vivendo, no cotidiano e testemunhando no mundo do trabalho e das relações sociais, na alegria do Evangelho é o desejo do INBRAC e da RedeVida de Televisão. Que nos fazendo romeiros, todos nós nos consagramos a Mãe de Deus e Nossa, suplicando as luzes e graças necessárias para que o trabalho da RedeVida de Televisão, pela sua evangelização em favor da família brasileira, seja um permanente testemunho do que pediu Nossa Senhora nas bodas de Caná da Galileia: “Fazei tudo o que Ele vos disser”! Que Jesus nos ensine a sermos homens e mulheres ardorosos na vivência do Evangelho da Vida, da promoção da paz e na construção da civilização do amor. Rezando por todos em Aparecida, confiamos à maternal proteção de Nossa Senhora Aparecida, suplicando pelo Brasil e pelas nossas comunidades eclesiais, para que sejam lugares privilegiados da vivência da vida cristã e da transmissão da fé, maior tesouro que nossas famílias nos legaram e que devemos transmitir. Que na mensagem simples e eloquente de Nossa Senhora Aparecida nós sejamos ardorosos e autênticos discípulos-missionários de Jesus Cristo.

Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós que recorremos a Vós!

temp_titleRomaria_INBRAC___Matheus_Andrade_1_09052017155148

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_7_09052017155200

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_2_09052017155152

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_3_09052017155154

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_5_09052017155158

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_13_09052017155205

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_1_09052017155150

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_4_09052017155156

Fotos: Matheus Andrade e Victor Hugo / Santuário Nacional

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Peregrinação da REDEVIDA

08/05/2017 00:00 - Atualizado em 09/05/2017 15:58

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_9_09052017155203

Maio é o mês de Maria, das mães, mas é também o mês da inauguração da Rede Vida. São 22 anos de serviço à causa do bem, da família, dos valores que constroem uma pátria com dignidade. A Rede Vida, antes mesmo de ir ao ar, foi consagrada a Nossa Senhora, tanto em Aparecida como em Fátima. Por isso, aproveitando o ensejo do Ano Mariano (300 anos de Aparecida) e do Centenário de Fátima, estivemos no dia 8 de maio em peregrinação com todos os diretores, alguns funcionários e colaboradores, assim como com os sacerdotes que celebram as missas na RedeVida em peregrinação no Santuário Nacional. Todos que compõem o INBRAC – Instituto Brasileiro de Comunicação, mantenedor da Rede Vida de Televisão, quando, na qualidade de presidente do Conselho do INBRAC, presidi a Missa Festiva dessa peregrinação, transmitida para todo o Brasil.

A chegada de uma rede de televisão de inspiração católica foi uma grande novidade na época. Já tínhamos muitas experiências na Televisão, mas não em uma emissora de inspiração católica, como é a RedeVida. Aqui no Rio de Janeiro mesmo, tínhamos várias transmissões de missa pela Televisão. Apenas para recordar e deixar fixo para a posteridade: Na antiga TV Educativa, (hoje TV Brasil) desde 1974, na Rede Globo desde 1968, na extinta TV Excelsior entre 1963 e 1967. Programas como a Voz do Pastor, na antiga TV Tupi entre 1971 e 1974 e TV Rio entre 1972 e 1973; Palavra de Vida na TV Educativa (hoje TV Brasil) desde 1972, e Noticiário da Arquidiocese na TV Globo em 1971 (local) e nacional de 1974 a 2008.

Hoje, quando temos uma situação em que muitos maldosamente identificam “estado laico” como “estado ateu ou laicista”, e colocam muitos obstáculos aos cidadãos brasileiros que querem manifestar sua fé, sem dúvida é bom recordar essa história. Assim como a história da presença da Arquidiocese do Rio de Janeiro, teremos também de muitas outras em muitas cidades do Brasil, com várias programações. Creio que faltaria ainda uma bela história positiva sobre essas presenças da Igreja na mídia televisiva no Brasil.

Mas, sem dúvida, a primeira rede de televisão que abriu caminhos para tantas outras que se sucederam foi a Rede Vida. A inspiração de um leigo (Monteiro Filho) que procurou o seu bispo (D. Mucciolo) e que se submeterem às orientações da CNBB (na época D. Luciano Mendes de Almeida, hoje servo de Deus) fez nascer um novo canal no Brasil, que antes da inauguração difundia seu sinal fixo com a estrela característica, pelo sinal do satélite para todo o país. O tempo passa, os tempos mudam, as questões aparecem e se solucionam, e nesta segunda-feira, dia 8 de Maio pudemos agradecer a Deus, junto com a nossa mãe Maria, por esse serviço ao Brasil e aos valores que constroem a nossa pátria, e pedir luzes para continuar com criatividade essa missão.

Para mim foi uma graça retornar a Aparecida, onde estive entre os dias 25 de abril e 05 de maio de 2017, participando da 55ª. Assembleia Geral da CNBB. Nós observamos, como bispos no Brasil irmanados em Conferência Episcopal, que o contato com o povo santo de Deus nas missas de cada manhã no Santuário Nacional é como uma efusão do Espírito Santo a iluminar o Episcopado Brasileiro, em sintonia com seu Povo Santo de Deus, de levar adiante o mandato missionário dado por Cristo e confiado a cada um dos batizados e batizadas. Sempre presentes em meu coração as palavras prenhes de beleza espiritual do Papa Francisco na missa que celebrou em Aparecida, em 24 de julho de 2013: “Queria dizer-lhes, primeiramente, uma coisa. Neste Santuário, seis anos atrás, quando aqui se realizou a V Conferência Geral do Episcopado da América Latina e do Caribe, pude dar-me conta pessoalmente de um fato belíssimo: ver como os Bispos – que trabalharam sobre o tema do encontro com Cristo, discipulado e missão – eram animados, acompanhados e, em certo sentido, inspirados pelos milhares de peregrinos que vinham diariamente confiar a sua vida a Nossa Senhora: aquela Conferência foi um grande momento de vida da Igreja. E, de fato, pode-se dizer que o Documento de Aparecida nasceu justamente deste encontro entre os trabalhos dos Pastores e a fé simples dos romeiros, sob a proteção maternal de Maria. A Igreja, quando busca Cristo, bate sempre à casa da Mãe e pede: “Mostrai-nos Jesus”. É de Maria que se aprende o verdadeiro discipulado. E, por isso, a Igreja sai em missão sempre na esteira de Maria”. (Cf. https://w2.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2013/documents/papa-francesco_20130724_gmg-omelia-aparecida.html). Último acesso em 07 de maio de 2017.

Assim, nós, família INBRAC e RedeVida de Televisão, nos fizemos romeiros com os romeiros. Escutamos a voz de Deus, que se faz forte, poderosa e santa, junto à pequena imagem da Bem-Aventurada Virgem Maria, Rainha e Padroeira do Brasil. Recebemos uma réplica da imagem para ser entronizada na segunda-feira, dia 15 de maio, no Santuário de Jesus Luz da Vida, em São José do Rio Preto.

Há dez anos, em 13 de maio de 2007, assim dirigia a nós, delegados da V Conferência Geral do CELAM, o Papa Bento XVI, que exprime o sentido de todo romeiro peregrinar até o Santuário Nacional de Aparecida: “Considero um dom especial da Providência que esta Santa Missa seja celebrada neste tempo e neste lugar. O tempo é o litúrgico do VI Domingo de Páscoa (atenção-era na época): está próxima a Festa de Pentecostes, e a Igreja é convidada a intensificar a invocação ao Espírito Santo. O lugar é o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, coração mariano do Brasil: Maria nos acolhe neste Cenáculo e, como Mãe e Mestra, nos ajuda a elevar a Deus uma prece unânime e confiante. Esta celebração litúrgica constitui o fundamento mais sólido da V Conferência, porque põe na sua base a oração e a Eucaristia, Sacramentum caritatis. Com efeito, só a caridade de Cristo, emanada pelo Espírito Santo, pode fazer desta reunião um autêntico acontecimento eclesial, um momento de graça para este Continente e para o mundo inteiro. Esta tarde terei a possibilidade de entrar no mérito dos conteúdos sugeridos pelo tema da vossa Conferência. Demos agora espaço à Palavra de Deus, que com alegria acolhemos, com o coração aberto e dócil, a exemplo de Maria, Nossa Senhora da Conceição, a fim de que, pelo poder do Espírito Santo, Cristo possa novamente “fazer-se carne” no hoje da nossa história”. (Cf. http://www.veritatis.com.br/fe-em-deus-nao-ideologias-homilia-do-papa-bento-xvi-em-aparecida). Último acesso em 07 de maio de 2017.

Com o amado Papa Francisco, como romeiros de Nossa Senhora Aparecida, queremos repetir o seu desejo: “também eu venho hoje bater à porta da casa de Maria, que amou e educou Jesus, para que ajude a todos nós, os Pastores do Povo de Deus, aos pais e aos educadores, a transmitir aos nossos jovens os valores que farão deles construtores de um País e de um mundo mais justo, solidário e fraterno. Para tal, gostaria de chamar a atenção para três simples posturas, três simples posturas: conservar a esperança; deixar-se surpreender por Deus; viver na alegria”. (Cf. https://w2.vatican.va/content/francesco/pt/homilies/2013/documents/papa-francesco_20130724_gmg-omelia-aparecida.html) Último acesso em 07 de maio de 2017.

Realmente, conservando a esperança, deixando-se surpreender por Deus e vivendo, no cotidiano e testemunhando no mundo do trabalho e das relações sociais, na alegria do Evangelho é o desejo do INBRAC e da RedeVida de Televisão. Que nos fazendo romeiros, todos nós nos consagramos a Mãe de Deus e Nossa, suplicando as luzes e graças necessárias para que o trabalho da RedeVida de Televisão, pela sua evangelização em favor da família brasileira, seja um permanente testemunho do que pediu Nossa Senhora nas bodas de Caná da Galileia: “Fazei tudo o que Ele vos disser”! Que Jesus nos ensine a sermos homens e mulheres ardorosos na vivência do Evangelho da Vida, da promoção da paz e na construção da civilização do amor. Rezando por todos em Aparecida, confiamos à maternal proteção de Nossa Senhora Aparecida, suplicando pelo Brasil e pelas nossas comunidades eclesiais, para que sejam lugares privilegiados da vivência da vida cristã e da transmissão da fé, maior tesouro que nossas famílias nos legaram e que devemos transmitir. Que na mensagem simples e eloquente de Nossa Senhora Aparecida nós sejamos ardorosos e autênticos discípulos-missionários de Jesus Cristo.

Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós que recorremos a Vós!

temp_titleRomaria_INBRAC___Matheus_Andrade_1_09052017155148

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_7_09052017155200

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_2_09052017155152

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_3_09052017155154

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_5_09052017155158

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_13_09052017155205

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_1_09052017155150

temp_titleRomaria_INBRAC___Victor_Hugo_Barros_4_09052017155156

Fotos: Matheus Andrade e Victor Hugo / Santuário Nacional

Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro