Arquidiocese do Rio de Janeiro

38º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 15/12/2018

15 de Dezembro de 2018

Mensagem do Papa para a Quaresma

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

15 de Dezembro de 2018

Mensagem do Papa para a Quaresma

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

26/02/2017 00:00

Mensagem do Papa para a Quaresma 0

26/02/2017 00:00

O Santo Padre, o Papa Francisco, enviou sua mensagem para a Quaresma deste ano, como acontece todos os anos. Ao nos aproximarmos desse momento forte do ano litúrgico, é importante refletir sobre o direcionamento que o Santo Padre dá à nossa prática quaresmal neste ano. Ele escreveu no dia 18 de dezembro de 2016 a sua mensagem, que tem como tema: “A Palavra é um dom. O outro é um dom”.

O Papa começa falando em sua mensagem sobre o sentido da Quaresma: “A Quaresma é um novo começo, uma estrada que leva a um destino seguro: a Páscoa da Ressurreição, a vitória de Cristo sobre a morte. E este tempo não cessa de nos dirigir um forte convite à conversão: o cristão é chamado a voltar para Deus ‘de todo o coração’ (Jl 2, 12), não se contentando com uma vida medíocre, mas crescendo na amizade do Senhor” (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_pa ra_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

Ele nos lembra que Jesus é o amigo fiel que nunca nos abandona, pois, mesmo quando pecamos, espera pacientemente pelo nosso regresso a Ele e, com esta espera, manifesta a Sua vontade de perdão. (Cf. Homilia na Santa Missa, 8 de janeiro de 2016). O tempo da Quaresma tem por finalidade preparar a Páscoa: a liturgia quaresmal conduz à celebração do mistério pascal: sejam os catecúmenos, através dos diversos graus da iniciação cristã, sejam os fiéis, mediante a atualização do batismo e a prática da penitência.

Como outrora, o povo de Deus caminhou 40 anos no deserto, rumo à Terra prometida, e Jesus que se retirou 40 dias no deserto, preparando sua paixão, morte e ressurreição, assim os cristãos, hoje, acompanham os passos do Divino salvador, preparando devotamente a santa Páscoa.

O Santo Padre, em sua mensagem, nos fala de três pontos: 1- O Outro é um dom, 2 - O pecado cega-nos e 3 - A Palavra é um dom.

1- O Outro é um dom

No início, o Papa recorda a passagem do homem rico e do pobre Lázaro. “A liturgia de Quarta-Feira de Cinzas convida-nos a viver uma experiência semelhante à que faz, de forma tão dramática, o rico. Quando impõe as cinzas sobre a cabeça, o sacerdote repete estas palavras: “Lembra-te, homem, que és pó da terra e à terra hás de voltar”. De fato, tanto o rico como o pobre morrem, e a parte principal da parábola desenrola-se no Além. Dum momento para o outro, os dois personagens descobrem que nós “nada trouxemos ao mundo e nada podemos levar dele”. (1 Tm 6, 7). (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_para_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

Diz o Santo Padre: “Lázaro ensina-nos que o outro é um dom. A justa relação com as pessoas consiste em reconhecer, com gratidão, o seu valor. O próprio pobre à porta do rico não é um empecilho fastidioso, mas um apelo a converter-se e mudar de vida. O primeiro convite que nos faz esta parábola é o de abrir a porta do nosso coração ao outro, porque cada pessoa é um dom, seja ela o nosso vizinho ou o pobre desconhecido. A Quaresma é um tempo propício para abrir a porta a cada necessitado e nele reconhecer o rosto de Cristo”. (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_para_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

2- O pecado cega-nos

Quanto à perícope, esta nos faz ver que a raiz do pecado está na ganância do dinheiro. O apóstolo Paulo diz que “a raiz de todos os males é a ganância do dinheiro” (1 Tm 6, 10). Esta é o motivo principal da corrupção e uma fonte de invejas, contendas e suspeitas. O dinheiro pode chegar a dominar-nos até ao ponto de se tornar um ídolo tirânico. (Cf. Exortação Apostólica Evangelii gaudium, 55). Em vez de instrumento ao nosso dispor para fazer o bem e exercer a solidariedade com os outros, o dinheiro pode nos subjugar, a nós e ao mundo inteiro, numa lógica egoísta que não deixa espaço ao amor e dificulta a paz.

“A parábola mostra-nos que a ganância do rico fá-lo vaidoso. A sua personalidade vive de aparências, fazendo ver aos outros aquilo que se pode permitir. Mas a aparência serve de máscara para o seu vazio interior. A sua vida está prisioneira da exterioridade, da dimensão mais superficial e efémera da existência (cf. ibid., 62)” (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_para_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

3- A Palavra é um dom

O Papa continua sua reflexão sobre esta perícope e nesta ele fala do grande problema que tinha o rico. O problema era de não escutar e de fechar o seu coração para Deus. “A Palavra de Deus é uma força viva, capaz de suscitar a conversão no coração dos homens e orientar de novo a pessoa para Deus. Fechar o coração ao dom de Deus que fala, tem como consequência fechar o coração ao dom do irmão”. (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_para_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

Consequentemente, a Quaresma é um tempo propício para a nossa reflexão e conversão. Só assim poderemos ter um coração mais próximo à vontade de Deus. Por isso, é agora o tempo para todos adentrarem neste mistério do tempo quaresmal, pois assim poderemos celebrar com amor e eficácia o tempo da graça do Senhor. Vivamos com intensidade o tempo da Quaresma para chegarmos santos e puros na Páscoa do Senhor!

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Mensagem do Papa para a Quaresma

26/02/2017 00:00

O Santo Padre, o Papa Francisco, enviou sua mensagem para a Quaresma deste ano, como acontece todos os anos. Ao nos aproximarmos desse momento forte do ano litúrgico, é importante refletir sobre o direcionamento que o Santo Padre dá à nossa prática quaresmal neste ano. Ele escreveu no dia 18 de dezembro de 2016 a sua mensagem, que tem como tema: “A Palavra é um dom. O outro é um dom”.

O Papa começa falando em sua mensagem sobre o sentido da Quaresma: “A Quaresma é um novo começo, uma estrada que leva a um destino seguro: a Páscoa da Ressurreição, a vitória de Cristo sobre a morte. E este tempo não cessa de nos dirigir um forte convite à conversão: o cristão é chamado a voltar para Deus ‘de todo o coração’ (Jl 2, 12), não se contentando com uma vida medíocre, mas crescendo na amizade do Senhor” (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_pa ra_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

Ele nos lembra que Jesus é o amigo fiel que nunca nos abandona, pois, mesmo quando pecamos, espera pacientemente pelo nosso regresso a Ele e, com esta espera, manifesta a Sua vontade de perdão. (Cf. Homilia na Santa Missa, 8 de janeiro de 2016). O tempo da Quaresma tem por finalidade preparar a Páscoa: a liturgia quaresmal conduz à celebração do mistério pascal: sejam os catecúmenos, através dos diversos graus da iniciação cristã, sejam os fiéis, mediante a atualização do batismo e a prática da penitência.

Como outrora, o povo de Deus caminhou 40 anos no deserto, rumo à Terra prometida, e Jesus que se retirou 40 dias no deserto, preparando sua paixão, morte e ressurreição, assim os cristãos, hoje, acompanham os passos do Divino salvador, preparando devotamente a santa Páscoa.

O Santo Padre, em sua mensagem, nos fala de três pontos: 1- O Outro é um dom, 2 - O pecado cega-nos e 3 - A Palavra é um dom.

1- O Outro é um dom

No início, o Papa recorda a passagem do homem rico e do pobre Lázaro. “A liturgia de Quarta-Feira de Cinzas convida-nos a viver uma experiência semelhante à que faz, de forma tão dramática, o rico. Quando impõe as cinzas sobre a cabeça, o sacerdote repete estas palavras: “Lembra-te, homem, que és pó da terra e à terra hás de voltar”. De fato, tanto o rico como o pobre morrem, e a parte principal da parábola desenrola-se no Além. Dum momento para o outro, os dois personagens descobrem que nós “nada trouxemos ao mundo e nada podemos levar dele”. (1 Tm 6, 7). (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_para_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

Diz o Santo Padre: “Lázaro ensina-nos que o outro é um dom. A justa relação com as pessoas consiste em reconhecer, com gratidão, o seu valor. O próprio pobre à porta do rico não é um empecilho fastidioso, mas um apelo a converter-se e mudar de vida. O primeiro convite que nos faz esta parábola é o de abrir a porta do nosso coração ao outro, porque cada pessoa é um dom, seja ela o nosso vizinho ou o pobre desconhecido. A Quaresma é um tempo propício para abrir a porta a cada necessitado e nele reconhecer o rosto de Cristo”. (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_para_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

2- O pecado cega-nos

Quanto à perícope, esta nos faz ver que a raiz do pecado está na ganância do dinheiro. O apóstolo Paulo diz que “a raiz de todos os males é a ganância do dinheiro” (1 Tm 6, 10). Esta é o motivo principal da corrupção e uma fonte de invejas, contendas e suspeitas. O dinheiro pode chegar a dominar-nos até ao ponto de se tornar um ídolo tirânico. (Cf. Exortação Apostólica Evangelii gaudium, 55). Em vez de instrumento ao nosso dispor para fazer o bem e exercer a solidariedade com os outros, o dinheiro pode nos subjugar, a nós e ao mundo inteiro, numa lógica egoísta que não deixa espaço ao amor e dificulta a paz.

“A parábola mostra-nos que a ganância do rico fá-lo vaidoso. A sua personalidade vive de aparências, fazendo ver aos outros aquilo que se pode permitir. Mas a aparência serve de máscara para o seu vazio interior. A sua vida está prisioneira da exterioridade, da dimensão mais superficial e efémera da existência (cf. ibid., 62)” (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_para_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

3- A Palavra é um dom

O Papa continua sua reflexão sobre esta perícope e nesta ele fala do grande problema que tinha o rico. O problema era de não escutar e de fechar o seu coração para Deus. “A Palavra de Deus é uma força viva, capaz de suscitar a conversão no coração dos homens e orientar de novo a pessoa para Deus. Fechar o coração ao dom de Deus que fala, tem como consequência fechar o coração ao dom do irmão”. (Retirado do site: http://pt.radiovaticana.va/news/2017/02/07/papa_francisco_mensagem_para_quaresma_2017_-_texto_integral/1290880/ Último acesso: 22/02/2017).

Consequentemente, a Quaresma é um tempo propício para a nossa reflexão e conversão. Só assim poderemos ter um coração mais próximo à vontade de Deus. Por isso, é agora o tempo para todos adentrarem neste mistério do tempo quaresmal, pois assim poderemos celebrar com amor e eficácia o tempo da graça do Senhor. Vivamos com intensidade o tempo da Quaresma para chegarmos santos e puros na Páscoa do Senhor!

Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro