Arquidiocese do Rio de Janeiro

32º 24º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 19/11/2017

19 de Novembro de 2017

Renovação Carismática Católica: uma grande graça de Deus

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

19 de Novembro de 2017

Renovação Carismática Católica: uma grande graça de Deus

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

15/02/2017 13:58 - Atualizado em 15/02/2017 13:58

Renovação Carismática Católica: uma grande graça de Deus 0

15/02/2017 13:58 - Atualizado em 15/02/2017 13:58

Somos frutos da Renovação Carismática Católica, movimento que já resgatou a vida de muitos por meio do derramamento do Espírito Santo. E a nossa missão é levar essa grande graça.

Nós temos que ter os dons e cultivá-los, porque são eles que fazem a diferença. Eu me lembro dos meus tempos de ordenação sacerdotal, e alguns anos depois.

Eu estava na minha situação mais difícil como sacerdote e nem rezava mais. Isso por causa de um ressentimento com meu superior. Mas Deus foi maravilhoso comigo quando padre Haroldo Rahm, Jesuíta de Campinas (SP), passou pela casa Salesiana de Lorena (SP), para um encontro. Participei das palestras, tivemos a missa, depois o padre Haroldo rezou por cada um dos padres para que recebessem o Batismo no Espírito Santo, e eu quis do fundo meu coração.

Quando ele impôs as mãos sobre mim, eu não senti nada. Mas, naquela noite, sozinho no colégio, comecei a orar como nunca tinha orado. Voltei a orar com toda intensidade porque realmente Deus provê seus filhos necessitados. A oração brotava do meu íntimo. E o mais importante: sumiu aquela revolta, ressentimento, aquele vazio que havia dentro de mim.

Parecia um passarinho voando, tal a mudança que havia ocorrido dentro de mim. O meu entusiasmo era outro. Até as celebrações eucarísticas se tornaram diferentes. Eu sentia a força da Eucaristia. Tudo era novo.

A partir daquela ocasião, com os participantes dos “Encontros de Jovens”, começamos a fazer Experiências de Oração. Os grupos de oração foram surgindo, aquilo pegou um “fogo” tão grande.

Percebia-se a mão de Deus nessa renovação que vinha cheia do Espírito, não com o objetivo de ser um movimentos apenas, festivo que atraísse mais e mais pessoas para a Igreja, mas vinha com a proposta de fazer com que a Igreja permanecesse em movimento.

Modestamente eu digo: era como aquele chamado a São Francisco de Assis, para que reconstruísse, não a igreja de pedra, mas a Igreja do Senhor. Era preciso fazer com que os batizados fossem cristãos de fato, que tivessem essa vida verdadeiramente nova. Uma nova postura, que não vinha de uma doutrina, vinha de uma experiência para se entender e viver, de fato, a beleza do cristianismo.

Nossos grupos de oração, desculpe, não podem ser simplesmente grupos de reza. Nossos grupos são carismáticos porque usam-se os dons, os carismas. É preciso que a gente queira, peça, ore, e as curas vão acontecer! E nossos grupos serão arfervorados, cheios de gente, e vamos ter vidas transformadas porque foram tocadas pela graça de Deus!

 

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Renovação Carismática Católica: uma grande graça de Deus

15/02/2017 13:58 - Atualizado em 15/02/2017 13:58

Somos frutos da Renovação Carismática Católica, movimento que já resgatou a vida de muitos por meio do derramamento do Espírito Santo. E a nossa missão é levar essa grande graça.

Nós temos que ter os dons e cultivá-los, porque são eles que fazem a diferença. Eu me lembro dos meus tempos de ordenação sacerdotal, e alguns anos depois.

Eu estava na minha situação mais difícil como sacerdote e nem rezava mais. Isso por causa de um ressentimento com meu superior. Mas Deus foi maravilhoso comigo quando padre Haroldo Rahm, Jesuíta de Campinas (SP), passou pela casa Salesiana de Lorena (SP), para um encontro. Participei das palestras, tivemos a missa, depois o padre Haroldo rezou por cada um dos padres para que recebessem o Batismo no Espírito Santo, e eu quis do fundo meu coração.

Quando ele impôs as mãos sobre mim, eu não senti nada. Mas, naquela noite, sozinho no colégio, comecei a orar como nunca tinha orado. Voltei a orar com toda intensidade porque realmente Deus provê seus filhos necessitados. A oração brotava do meu íntimo. E o mais importante: sumiu aquela revolta, ressentimento, aquele vazio que havia dentro de mim.

Parecia um passarinho voando, tal a mudança que havia ocorrido dentro de mim. O meu entusiasmo era outro. Até as celebrações eucarísticas se tornaram diferentes. Eu sentia a força da Eucaristia. Tudo era novo.

A partir daquela ocasião, com os participantes dos “Encontros de Jovens”, começamos a fazer Experiências de Oração. Os grupos de oração foram surgindo, aquilo pegou um “fogo” tão grande.

Percebia-se a mão de Deus nessa renovação que vinha cheia do Espírito, não com o objetivo de ser um movimentos apenas, festivo que atraísse mais e mais pessoas para a Igreja, mas vinha com a proposta de fazer com que a Igreja permanecesse em movimento.

Modestamente eu digo: era como aquele chamado a São Francisco de Assis, para que reconstruísse, não a igreja de pedra, mas a Igreja do Senhor. Era preciso fazer com que os batizados fossem cristãos de fato, que tivessem essa vida verdadeiramente nova. Uma nova postura, que não vinha de uma doutrina, vinha de uma experiência para se entender e viver, de fato, a beleza do cristianismo.

Nossos grupos de oração, desculpe, não podem ser simplesmente grupos de reza. Nossos grupos são carismáticos porque usam-se os dons, os carismas. É preciso que a gente queira, peça, ore, e as curas vão acontecer! E nossos grupos serão arfervorados, cheios de gente, e vamos ter vidas transformadas porque foram tocadas pela graça de Deus!

 

Monsenhor Jonas Abib
Autor

Monsenhor Jonas Abib

Fundador da Comunidade Canção Nova e presidente da Fundação João Paulo II