Arquidiocese do Rio de Janeiro

24º 17º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 30/04/2017

30 de Abril de 2017

90 anos a serviço da caridade e da justiça

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

30 de Abril de 2017

90 anos a serviço da caridade e da justiça

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

14/02/2017 00:00 - Atualizado em 15/02/2017 10:53

90 anos a serviço da caridade e da justiça 0

14/02/2017 00:00 - Atualizado em 15/02/2017 10:53

A Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro elevou a Deus o seu “Te Deum Laudamus” em ação de graças pelos 90 anos do Reverendo Padre Jesus Hortal Sànchez, SI na missa desta terça-feira, na Igreja Matriz São José da Lagoa.

Padre Jesus Hortal Sànchez, S.J. nasceu em 14 de fevereiro de 1927, em Figueras, Espanha. Ingressou na Companhia de Jesus em 1950. Foi ordenado presbítero em 1961. Padre Jesus é licenciado em Teologia pela Faculdade de Teologia do Colégio Cristo Rei em 1962; em Filosofia pela Universidade Pontifícia de Comillas em 1956, e em Direito pela Universidade de Salamanca em 1949. É doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Gregoriana em 1967, e Doutorado em Filosofia pela Universidade de Santo Tomás, em Santo Domingo, na República Dominicana, em 1958.

A sua vida no magistério se deu como professor de Biologia Educacional e de Sociologia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Cristo Rei, em São Leopoldo, RS, entre 1960 e 1962. Foi professor de Direito Canônico na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, em São Leopoldo, RS, entre 1970 e 1979. Ensinou Direito Canônico e Eclesiologia na Faculdade de Teologia e Ciências Religiosas da PUC-RS entre 1980 e 1985. Foi professor visitante de Direito Canônico da Faculdade de Teologia do Centro de Estudos Superiores da Companha de Jesus, em Belo Horizonte, MG, entre 1982 e 1992. Desde 1986 é professor titular de Direito Canônico do Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Inicialmente, o Padre Jesus Hortal foi diretor do Departamento de Teologia na PUC-RIO, entre 1986 e 1992, Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos entre 1992 e 1995, e Reitor entre 1995 e 2010. Várias foram as realizações do Reitor Jesus Hortal, como: a implantação do Programa de Avaliação Institucional (1996) e foi criado o Mestrado em Metrologia, pioneiro no Brasil. Foi inaugurado o prédio da Incubadora de Empresas do Projeto Gênesis e assinado com a Petrobrás convênio para a implantação de um Centro de Excelência de Pesquisa de Petróleo em Águas Profundas, em 1997. O curso de Tecnólogo em Processamento de Dados foi transformado em Bacharelado em Informática. Foi criada a CCEAD – Coordenação Central de Educação a Distância, em 1999, e em 2005 o Departamento de História ofereceu o primeiro curso de graduação na modalidade a distância, em convênio com O MEC. Em 2000 foi inaugurado o novo Centro Cultural e Esportivo e lançada a pedra fundamental da nova igreja da PUC-Rio, inaugurada em 2005.

No ano de 2001 a PUC-RIO foi avaliada pela CAPES com as melhores notas nos cursos de pós-graduação stricto sensu do Brasil. Em 2006 foi assinado o Convênio PUC-Rio-Petrobrás para a construção do Núcleo de Competência em Petróleo, e foi escolhido o projeto para a construção do prédio da futura Midiateca da Universidade. No ENADE de 2007 a PUC-Rio foi considerada a melhor universidade do Brasil e a melhor do Estado do Rio de Janeiro. Em 2009 foi inaugurado o Instituto de Mídias Digitais.

Atualmente, o Padre Hortal é professor associado do Departamento de Teologia da PUC-Rio. Nossa Arquidiocese não se cansará de dar ação de graças pelo profícuo período em que a nossa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro teve como diligente Reitor na pessoa do Pe. Jesus Hortal. A sua presença dinamizou o crescimento da PUC e a sua presença na reitoria tornou a PUC-Rio como a mais prestigiosa Universidade Católica em cursos de pós-graduação.

O Catecismo da Igreja Católica, no seu § 1807 diz que: “A justiça é a virtude moral que consiste na vontade constante e firme de dar a Deus e ao próximo o que lhes é devido. A justiça para com Deus chama-se "virtude de religião". Para com os homens, ela nos dispõe a respeitar os direitos de cada um e a estabelecer nas relações humanas a harmonia que promove a equidade em prol das pessoas e do bem comum. O homem justo, muitas vezes mencionado nas Escrituras, distingue-se pela correção habitual de seus pensamentos e pela retidão de sua conduta para com o próximo. "Não favoreças o pobre, nem prestigies o poderoso. Julga o próximo conforme a justiça" (Liv. 19,15). "Senhores, dai aos vossos servos o justo e equitativo, sabendo que vós tendes um Senhor no céu" (Cl 4,1).

É essa justiça, como “virtude de religião”, que o Padre Jesus Hortal buscou como centro do exercício do seu ministério sacerdotal e da sua consagração na Companhia de Jesus, sendo o grande responsável pelas notas de rodapé da primeira edição do Código de Direito Canônico em língua portuguesa, muito apreciadas por todos os amantes das letras canônicas, e consulta obrigatória da lei em benefício da ação pastoral.

A justiça é a primeira forma de caridade. E o exercício da justiça é um empenho de vida apostólica. Por isso, o Padre Hortal, na sua delicada tarefa de ensinar Direito Canônico, sempre procurou harmonizar as prescrições do Código de Direito Canônico com as situações concretas da Igreja e da sociedade. O nosso aniversariante é um Padre que é o pai para todos os canonistas.  O Padre Hortal pode ser comparado com as palavras do Papa Francisco, seu confrade jesuíta: “O coração de Deus, conforme lembrou Francisco, é um coração de Pai que ama e quer que seus filhos vivam no bem e na justiça. “Um coração de Pai que vai além do nosso pequeno conceito de justiça para nos abrir aos horizontes sem fim da sua misericórdia”. “Um coração de Pai que não nos trata segundo os nossos pecados e não nos repara segundo as nossas culpas”. É precisamente um coração de Pai que as pessoas buscam quando vão ao confessionário, observou o Papa. Lá elas querem encontrar um pai que ajude a mudar de vida, que dê a força de ir adiante, que perdoe em nome de Deus. Por isso, “ser confessor é uma responsabilidade tão grande, tão grande, porque aquele filho ou filha que vem a você só quer encontrar um pai”. “E você, padre, que está ali no confessionário, está ali no lugar do Pai que faz justiça com a sua misericórdia”. (Cf. http://noticias.cancaonova.com/mundo/a-misericordia-de-deus-leva-a-verdadeira-justica-diz-papa/, último acesso em 14 de fevereiro de 2017).

É precisamente no coração do Padre Jesus Hortal Sanchez que nós bispos, padres e amantes do direito o procuramos para encontrar o Pai que nos ajuda a ir ao encontro do Pai das Misericórdias. Deus lhe pague pelo seu generoso serviço em favor da justiça, a justiça da misericórdia, da acolhida, da caridade, como um bom juiz que a todos acolhe e ama. Muitos anos de vida, querido Padre Jesus Hortal Sanchez!


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

90 anos a serviço da caridade e da justiça

14/02/2017 00:00 - Atualizado em 15/02/2017 10:53

A Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro elevou a Deus o seu “Te Deum Laudamus” em ação de graças pelos 90 anos do Reverendo Padre Jesus Hortal Sànchez, SI na missa desta terça-feira, na Igreja Matriz São José da Lagoa.

Padre Jesus Hortal Sànchez, S.J. nasceu em 14 de fevereiro de 1927, em Figueras, Espanha. Ingressou na Companhia de Jesus em 1950. Foi ordenado presbítero em 1961. Padre Jesus é licenciado em Teologia pela Faculdade de Teologia do Colégio Cristo Rei em 1962; em Filosofia pela Universidade Pontifícia de Comillas em 1956, e em Direito pela Universidade de Salamanca em 1949. É doutor em Direito Canônico pela Pontifícia Universidade Gregoriana em 1967, e Doutorado em Filosofia pela Universidade de Santo Tomás, em Santo Domingo, na República Dominicana, em 1958.

A sua vida no magistério se deu como professor de Biologia Educacional e de Sociologia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Cristo Rei, em São Leopoldo, RS, entre 1960 e 1962. Foi professor de Direito Canônico na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, em São Leopoldo, RS, entre 1970 e 1979. Ensinou Direito Canônico e Eclesiologia na Faculdade de Teologia e Ciências Religiosas da PUC-RS entre 1980 e 1985. Foi professor visitante de Direito Canônico da Faculdade de Teologia do Centro de Estudos Superiores da Companha de Jesus, em Belo Horizonte, MG, entre 1982 e 1992. Desde 1986 é professor titular de Direito Canônico do Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Inicialmente, o Padre Jesus Hortal foi diretor do Departamento de Teologia na PUC-RIO, entre 1986 e 1992, Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos entre 1992 e 1995, e Reitor entre 1995 e 2010. Várias foram as realizações do Reitor Jesus Hortal, como: a implantação do Programa de Avaliação Institucional (1996) e foi criado o Mestrado em Metrologia, pioneiro no Brasil. Foi inaugurado o prédio da Incubadora de Empresas do Projeto Gênesis e assinado com a Petrobrás convênio para a implantação de um Centro de Excelência de Pesquisa de Petróleo em Águas Profundas, em 1997. O curso de Tecnólogo em Processamento de Dados foi transformado em Bacharelado em Informática. Foi criada a CCEAD – Coordenação Central de Educação a Distância, em 1999, e em 2005 o Departamento de História ofereceu o primeiro curso de graduação na modalidade a distância, em convênio com O MEC. Em 2000 foi inaugurado o novo Centro Cultural e Esportivo e lançada a pedra fundamental da nova igreja da PUC-Rio, inaugurada em 2005.

No ano de 2001 a PUC-RIO foi avaliada pela CAPES com as melhores notas nos cursos de pós-graduação stricto sensu do Brasil. Em 2006 foi assinado o Convênio PUC-Rio-Petrobrás para a construção do Núcleo de Competência em Petróleo, e foi escolhido o projeto para a construção do prédio da futura Midiateca da Universidade. No ENADE de 2007 a PUC-Rio foi considerada a melhor universidade do Brasil e a melhor do Estado do Rio de Janeiro. Em 2009 foi inaugurado o Instituto de Mídias Digitais.

Atualmente, o Padre Hortal é professor associado do Departamento de Teologia da PUC-Rio. Nossa Arquidiocese não se cansará de dar ação de graças pelo profícuo período em que a nossa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro teve como diligente Reitor na pessoa do Pe. Jesus Hortal. A sua presença dinamizou o crescimento da PUC e a sua presença na reitoria tornou a PUC-Rio como a mais prestigiosa Universidade Católica em cursos de pós-graduação.

O Catecismo da Igreja Católica, no seu § 1807 diz que: “A justiça é a virtude moral que consiste na vontade constante e firme de dar a Deus e ao próximo o que lhes é devido. A justiça para com Deus chama-se "virtude de religião". Para com os homens, ela nos dispõe a respeitar os direitos de cada um e a estabelecer nas relações humanas a harmonia que promove a equidade em prol das pessoas e do bem comum. O homem justo, muitas vezes mencionado nas Escrituras, distingue-se pela correção habitual de seus pensamentos e pela retidão de sua conduta para com o próximo. "Não favoreças o pobre, nem prestigies o poderoso. Julga o próximo conforme a justiça" (Liv. 19,15). "Senhores, dai aos vossos servos o justo e equitativo, sabendo que vós tendes um Senhor no céu" (Cl 4,1).

É essa justiça, como “virtude de religião”, que o Padre Jesus Hortal buscou como centro do exercício do seu ministério sacerdotal e da sua consagração na Companhia de Jesus, sendo o grande responsável pelas notas de rodapé da primeira edição do Código de Direito Canônico em língua portuguesa, muito apreciadas por todos os amantes das letras canônicas, e consulta obrigatória da lei em benefício da ação pastoral.

A justiça é a primeira forma de caridade. E o exercício da justiça é um empenho de vida apostólica. Por isso, o Padre Hortal, na sua delicada tarefa de ensinar Direito Canônico, sempre procurou harmonizar as prescrições do Código de Direito Canônico com as situações concretas da Igreja e da sociedade. O nosso aniversariante é um Padre que é o pai para todos os canonistas.  O Padre Hortal pode ser comparado com as palavras do Papa Francisco, seu confrade jesuíta: “O coração de Deus, conforme lembrou Francisco, é um coração de Pai que ama e quer que seus filhos vivam no bem e na justiça. “Um coração de Pai que vai além do nosso pequeno conceito de justiça para nos abrir aos horizontes sem fim da sua misericórdia”. “Um coração de Pai que não nos trata segundo os nossos pecados e não nos repara segundo as nossas culpas”. É precisamente um coração de Pai que as pessoas buscam quando vão ao confessionário, observou o Papa. Lá elas querem encontrar um pai que ajude a mudar de vida, que dê a força de ir adiante, que perdoe em nome de Deus. Por isso, “ser confessor é uma responsabilidade tão grande, tão grande, porque aquele filho ou filha que vem a você só quer encontrar um pai”. “E você, padre, que está ali no confessionário, está ali no lugar do Pai que faz justiça com a sua misericórdia”. (Cf. http://noticias.cancaonova.com/mundo/a-misericordia-de-deus-leva-a-verdadeira-justica-diz-papa/, último acesso em 14 de fevereiro de 2017).

É precisamente no coração do Padre Jesus Hortal Sanchez que nós bispos, padres e amantes do direito o procuramos para encontrar o Pai que nos ajuda a ir ao encontro do Pai das Misericórdias. Deus lhe pague pelo seu generoso serviço em favor da justiça, a justiça da misericórdia, da acolhida, da caridade, como um bom juiz que a todos acolhe e ama. Muitos anos de vida, querido Padre Jesus Hortal Sanchez!


Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro