Arquidiocese do Rio de Janeiro

º º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 22/10/2018

22 de Outubro de 2018

Sigamos a Luz do Mundo

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

22 de Outubro de 2018

Sigamos a Luz do Mundo

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

21/01/2017 00:00 - Atualizado em 23/01/2017 12:01

Sigamos a Luz do Mundo 0

21/01/2017 00:00 - Atualizado em 23/01/2017 12:01

A primeira leitura da missa do III Domingo do Tempo Comum (Is 8,23b-9,3) nos fala que “O povo que andava na escuridão viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu! Fizeste crescer a alegria e aumentaste a felicidade! Todos se regozijam em tua presença”. Esse texto nos recorda o Natal e também a Páscoa! Irmãos, esta luz que ilumina as trevas, que dissipa as sombras da morte, que traz a felicidade é Jesus.

O texto do Evangelho deste domingo (Mt 4,12-23) no-lo confirma: Jesus é a bendita luz de Deus que brilhou neste mundo! Ele mesmo afirmou: “Eu sou a luz do mundo! Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida”! (Jo 8,12). Já escutamos tanto tais afirmações que corremos o risco de não perceber o quanto são revolucionárias, o quanto nos comprometem, o quanto são capazes de transformar a nossa vida.

Pois esse Jesus, hoje, no Evangelho, nos convida a convertermo-nos a Ele, a segui-Lo de verdade, a colocar os passos de nossa vida no Seu caminho: “Convertei-vos! O Reino dos céus está próximo”! (cf. Mt 4,17). Eis o apelo que Jesus nos faz – far-nos-á sempre! Converter-se significa mudar totalmente o rumo de nossa existência, alicerçando-a Nele e não em nós, abraçando o Seu modo de pensar e deixando o nosso, seguindo Sua Palavra e não nossa razão, nossas ideias, nossa cabeça dura, nosso entendimento curto. Quem vai arriscar? Quem vai caminhar com Ele? Quem vai abraçar Sua Palavra, tão diferente do que o mundo quer, do que o mundo prega, do que o mundo valoriza? “Convertei-vos”! Jesus nos exorta porque sabe que também nós andamos em trevas, também nós, simplesmente entregues à nossa vontade e aos nossos pensamentos, jamais poderemos acolher o Reino dos céus! Não nos iludamos! Não pensemos que somos sábios, centrados e imunes! Somos, nós também, cegos, curtos de entendimento, pecadores duros e teimosos! Nosso coração é embotado por tantas paixões e por tantas cegueiras! “Convertei-vos”!

Queridos irmãos e irmãs, como não recordar a exortação do Apóstolo? “Não andeis como andam os pagãos, na futilidade de seus pensamentos, com entendimento entenebrecido, alienados da vida de Deus”! (Ef 4,17). Quando aceitamos esse desafio, esse convite, o sentido de nossa existência muda, porque começamos a enxergar e avaliar as coisas de um modo novo, um modo diferente: o modo de Cristo Jesus! Aí se realiza em nós a palavra da Escritura: “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor! Andai como filhos da luz”! (Ef 5,8).

O Evangelho também nos apresenta o chamamento dos primeiros Apóstolos: “Ele chamou enquanto caminhava junto ao mar da Galiléia. Estes homens experimentaram o fascínio da luz que emanava d´Ele e seguiram-na sem demora para que iluminasse, com o seu fulgor, o caminho das suas vidas. Mas essa luz de Jesus resplandece para todos. Jesus Cristo, luz do mundo, chamou primeiro uns homens simples da Galiléia, iluminou as suas vidas, ganhou-os para a Sua causa e pediu-lhes uma entrega sem condições. Aqueles pescadores da Galiléia saíram da penumbra de uma vida sem relevo nem horizonte para seguirem o Mestre, tal como outros o fariam logo após, e depois já não cessariam de fazê-lo inúmeros homens e mulheres ao longo dos séculos. Seguiram-No até darem a vida por Ele. Nós também somos chamados a segui-Lo!

Jesus inicia o Seu ministério e prega a conversão: “Convertei-vos, porque o reino dos céus está próximo” (Mt 4, 17). A conversão (Doc. de Aparecida, nº 278b) “é a resposta inicial de quem escutou o Senhor com admiração, crê Nele pela ação do Espírito Santo, decide ser Seu amigo e ir após Ele, mudando a sua forma de pensar e de viver, aceitando a cruz de Cristo, consciente de que morrer para o pecado é alcançar a vida. No Batismo e no sacramento da Reconciliação se atualiza para nós a redenção de Cristo”. (Retirado do site: http://noticias.cancaonova.com/mundo/resumo-do-documento-final-da-v-conferencia-de-aparecida/ Último acesso em: 11/01/2017)

A mensagem de Cristo sempre entrará em choque com uma sociedade contagiada pelo materialismo e por uma atitude conformista e aburguesada perante a vida. “Sê forte” (Sl 26, 14). Poderíamos perguntar-nos hoje se no nosso círculo de relações somos conhecidos por essa coerência de vida, pelo exemplo na atuação profissional, ou no estudo, se somos estudantes; pelo exercício diário das virtudes humanas e sobrenaturais, com a coragem e o esforço perseverante a que nos incita o Espírito Santo. Deus chama-nos a todos para que sejamos reflexos da luz do mundo, que não pode ficar escondida: “Somos lâmpadas que foram acesas com a luz da verdade”. (Santo Agostinho)

Peçamos a Deus o dom de ser “luz”. Assim, sejamos luz de Cristo na nossa profissão e em todos os ambientes de que participamos. “Como discípulos e missionários de Jesus, queremos e devemos proclamar o Evangelho, que é o próprio Cristo. Nós, cristãos, somos portadores de boas novas para a humanidade, não profetas de desventuras”. (Aparecida nº 30)


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Sigamos a Luz do Mundo

21/01/2017 00:00 - Atualizado em 23/01/2017 12:01

A primeira leitura da missa do III Domingo do Tempo Comum (Is 8,23b-9,3) nos fala que “O povo que andava na escuridão viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu! Fizeste crescer a alegria e aumentaste a felicidade! Todos se regozijam em tua presença”. Esse texto nos recorda o Natal e também a Páscoa! Irmãos, esta luz que ilumina as trevas, que dissipa as sombras da morte, que traz a felicidade é Jesus.

O texto do Evangelho deste domingo (Mt 4,12-23) no-lo confirma: Jesus é a bendita luz de Deus que brilhou neste mundo! Ele mesmo afirmou: “Eu sou a luz do mundo! Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida”! (Jo 8,12). Já escutamos tanto tais afirmações que corremos o risco de não perceber o quanto são revolucionárias, o quanto nos comprometem, o quanto são capazes de transformar a nossa vida.

Pois esse Jesus, hoje, no Evangelho, nos convida a convertermo-nos a Ele, a segui-Lo de verdade, a colocar os passos de nossa vida no Seu caminho: “Convertei-vos! O Reino dos céus está próximo”! (cf. Mt 4,17). Eis o apelo que Jesus nos faz – far-nos-á sempre! Converter-se significa mudar totalmente o rumo de nossa existência, alicerçando-a Nele e não em nós, abraçando o Seu modo de pensar e deixando o nosso, seguindo Sua Palavra e não nossa razão, nossas ideias, nossa cabeça dura, nosso entendimento curto. Quem vai arriscar? Quem vai caminhar com Ele? Quem vai abraçar Sua Palavra, tão diferente do que o mundo quer, do que o mundo prega, do que o mundo valoriza? “Convertei-vos”! Jesus nos exorta porque sabe que também nós andamos em trevas, também nós, simplesmente entregues à nossa vontade e aos nossos pensamentos, jamais poderemos acolher o Reino dos céus! Não nos iludamos! Não pensemos que somos sábios, centrados e imunes! Somos, nós também, cegos, curtos de entendimento, pecadores duros e teimosos! Nosso coração é embotado por tantas paixões e por tantas cegueiras! “Convertei-vos”!

Queridos irmãos e irmãs, como não recordar a exortação do Apóstolo? “Não andeis como andam os pagãos, na futilidade de seus pensamentos, com entendimento entenebrecido, alienados da vida de Deus”! (Ef 4,17). Quando aceitamos esse desafio, esse convite, o sentido de nossa existência muda, porque começamos a enxergar e avaliar as coisas de um modo novo, um modo diferente: o modo de Cristo Jesus! Aí se realiza em nós a palavra da Escritura: “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor! Andai como filhos da luz”! (Ef 5,8).

O Evangelho também nos apresenta o chamamento dos primeiros Apóstolos: “Ele chamou enquanto caminhava junto ao mar da Galiléia. Estes homens experimentaram o fascínio da luz que emanava d´Ele e seguiram-na sem demora para que iluminasse, com o seu fulgor, o caminho das suas vidas. Mas essa luz de Jesus resplandece para todos. Jesus Cristo, luz do mundo, chamou primeiro uns homens simples da Galiléia, iluminou as suas vidas, ganhou-os para a Sua causa e pediu-lhes uma entrega sem condições. Aqueles pescadores da Galiléia saíram da penumbra de uma vida sem relevo nem horizonte para seguirem o Mestre, tal como outros o fariam logo após, e depois já não cessariam de fazê-lo inúmeros homens e mulheres ao longo dos séculos. Seguiram-No até darem a vida por Ele. Nós também somos chamados a segui-Lo!

Jesus inicia o Seu ministério e prega a conversão: “Convertei-vos, porque o reino dos céus está próximo” (Mt 4, 17). A conversão (Doc. de Aparecida, nº 278b) “é a resposta inicial de quem escutou o Senhor com admiração, crê Nele pela ação do Espírito Santo, decide ser Seu amigo e ir após Ele, mudando a sua forma de pensar e de viver, aceitando a cruz de Cristo, consciente de que morrer para o pecado é alcançar a vida. No Batismo e no sacramento da Reconciliação se atualiza para nós a redenção de Cristo”. (Retirado do site: http://noticias.cancaonova.com/mundo/resumo-do-documento-final-da-v-conferencia-de-aparecida/ Último acesso em: 11/01/2017)

A mensagem de Cristo sempre entrará em choque com uma sociedade contagiada pelo materialismo e por uma atitude conformista e aburguesada perante a vida. “Sê forte” (Sl 26, 14). Poderíamos perguntar-nos hoje se no nosso círculo de relações somos conhecidos por essa coerência de vida, pelo exemplo na atuação profissional, ou no estudo, se somos estudantes; pelo exercício diário das virtudes humanas e sobrenaturais, com a coragem e o esforço perseverante a que nos incita o Espírito Santo. Deus chama-nos a todos para que sejamos reflexos da luz do mundo, que não pode ficar escondida: “Somos lâmpadas que foram acesas com a luz da verdade”. (Santo Agostinho)

Peçamos a Deus o dom de ser “luz”. Assim, sejamos luz de Cristo na nossa profissão e em todos os ambientes de que participamos. “Como discípulos e missionários de Jesus, queremos e devemos proclamar o Evangelho, que é o próprio Cristo. Nós, cristãos, somos portadores de boas novas para a humanidade, não profetas de desventuras”. (Aparecida nº 30)


Cardeal Orani João Tempesta
Autor

Cardeal Orani João Tempesta

Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro