Arquidiocese do Rio de Janeiro

25º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 17/08/2017

17 de Agosto de 2017

A trajetória de um apóstolo contemporâneo

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

17 de Agosto de 2017

A trajetória de um apóstolo contemporâneo

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

09/12/2016 14:30 - Atualizado em 09/12/2016 14:30

A trajetória de um apóstolo contemporâneo 0

09/12/2016 14:30 - Atualizado em 09/12/2016 14:30

O Cardeal Orani João Tempesta preside o Conselho Superior do Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (Inbrac), mantenedor da RedeVida de Televisão. O organismo é responsável pela diretriz doutrinal, a garantia dos princípios fundamentais das linhas idealizadas por Dom Antônio Mucciolo, Dom Luciano Mendes de Almeida e pelo jornalista Monteiro Filho.

O espírito de liberdade e de defesa da paz, da dignidade humana e dos valores éticos motivou o cardeal a fomentar o crescimento do “Canal da Família” em 2016.

A ligação é antiga, começando em 1997 quando a emissora tinha dois anos de existência. Dom Orani João Tempesta foi eleito bispo de São José do Rio Preto (SP), e abraçou a RedeVida como ponto expressivo, elo significativo da diocese para com o país. Com experiência ativa na área da comunicação social, o cisterciense paulista orientou a TV e passou a integrar o conselho do Inbrac.

A transferência para a Arquidiocese de Belém do Pará não limitou sua missão de apoio à emissora, levando inclusive a RedeVida a uma aproximação mais fecunda com a devoção mariana de Nossa Senhora de Nazaré. A mais notável romaria da Amazônia ganhou impulso extraordinário com a presença de Dom Orani como arcebispo metropolitano.

A nomeação para o Rio de Janeiro para suceder Dom Eusébio Scheid consolidou a habilidade articuladora, reconhecendo em sua capacidade de diálogo com as culturas e a comunicação os pontos determinantes para atender as novas demandas cariocas. A arquidiocese protegida por São Sebastião encontrou em Dom Orani Tempesta um ‘guerreiro’ para as causas sociais, culturais e religiosas, numa cidade maravilhosa e diversificada.

O maior desafio foi abrigar, em 2013, a realização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Rio. A complexidade, as exigências financeiras e estruturais, o atendimento pastoral e logístico para a sua realização pediram um arcebispo aberto ao diálogo, com vocação plena para ações políticas com autoridades em particular, e motivador da juventude em geral.

A JMJ foi tarefa cara e rara, mas promoveu autêntica revolução no coração dos jovens de todas as idades. O êxito foi surpreendente pela desconfiança até mesmo dentro da Igreja. O carisma pessoal de Dom Orani fez brilhar de matéria notável a presença do Papa Francisco. O argentino no trono de Pedro saiu satisfeito com o trabalho articulado do arcebispo brasileiro. Em 22 de fevereiro de 2014, no Consistório no Vaticano, foi criado cardeal.

O ministério pastoral é um grande desafio no Rio. O cardeal foi vítima de assaltos e violência, mas ganhou capa de jornais e revistas por sua coragem e testemunho. Direto do Rio, “O Rio Celebra” é um projeto que contempla missas aos sábados em diferentes paróquias, com transmissões ao vivo pela RedeVida. 

Dom Orani nasceu em São José do Rio Pardo (SP) no dia 23 de junho de 1950. Bispo de Rio Preto em 1997, arcebispo de Belém em 2004, transferido em 2009 para o Rio de Janeiro, o sétimo arcebispo e sexto cardeal tem encargo profético.

Como arcebispo do Rio e presidente da RedeVida vai comandar o Ano Mariano no “Canal da Família”, as celebrações dos 100 anos das aparições de Maria em Fátima e os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Um cardeal com características de um apóstolo contemporâneo.


Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

A trajetória de um apóstolo contemporâneo

09/12/2016 14:30 - Atualizado em 09/12/2016 14:30

O Cardeal Orani João Tempesta preside o Conselho Superior do Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (Inbrac), mantenedor da RedeVida de Televisão. O organismo é responsável pela diretriz doutrinal, a garantia dos princípios fundamentais das linhas idealizadas por Dom Antônio Mucciolo, Dom Luciano Mendes de Almeida e pelo jornalista Monteiro Filho.

O espírito de liberdade e de defesa da paz, da dignidade humana e dos valores éticos motivou o cardeal a fomentar o crescimento do “Canal da Família” em 2016.

A ligação é antiga, começando em 1997 quando a emissora tinha dois anos de existência. Dom Orani João Tempesta foi eleito bispo de São José do Rio Preto (SP), e abraçou a RedeVida como ponto expressivo, elo significativo da diocese para com o país. Com experiência ativa na área da comunicação social, o cisterciense paulista orientou a TV e passou a integrar o conselho do Inbrac.

A transferência para a Arquidiocese de Belém do Pará não limitou sua missão de apoio à emissora, levando inclusive a RedeVida a uma aproximação mais fecunda com a devoção mariana de Nossa Senhora de Nazaré. A mais notável romaria da Amazônia ganhou impulso extraordinário com a presença de Dom Orani como arcebispo metropolitano.

A nomeação para o Rio de Janeiro para suceder Dom Eusébio Scheid consolidou a habilidade articuladora, reconhecendo em sua capacidade de diálogo com as culturas e a comunicação os pontos determinantes para atender as novas demandas cariocas. A arquidiocese protegida por São Sebastião encontrou em Dom Orani Tempesta um ‘guerreiro’ para as causas sociais, culturais e religiosas, numa cidade maravilhosa e diversificada.

O maior desafio foi abrigar, em 2013, a realização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) no Rio. A complexidade, as exigências financeiras e estruturais, o atendimento pastoral e logístico para a sua realização pediram um arcebispo aberto ao diálogo, com vocação plena para ações políticas com autoridades em particular, e motivador da juventude em geral.

A JMJ foi tarefa cara e rara, mas promoveu autêntica revolução no coração dos jovens de todas as idades. O êxito foi surpreendente pela desconfiança até mesmo dentro da Igreja. O carisma pessoal de Dom Orani fez brilhar de matéria notável a presença do Papa Francisco. O argentino no trono de Pedro saiu satisfeito com o trabalho articulado do arcebispo brasileiro. Em 22 de fevereiro de 2014, no Consistório no Vaticano, foi criado cardeal.

O ministério pastoral é um grande desafio no Rio. O cardeal foi vítima de assaltos e violência, mas ganhou capa de jornais e revistas por sua coragem e testemunho. Direto do Rio, “O Rio Celebra” é um projeto que contempla missas aos sábados em diferentes paróquias, com transmissões ao vivo pela RedeVida. 

Dom Orani nasceu em São José do Rio Pardo (SP) no dia 23 de junho de 1950. Bispo de Rio Preto em 1997, arcebispo de Belém em 2004, transferido em 2009 para o Rio de Janeiro, o sétimo arcebispo e sexto cardeal tem encargo profético.

Como arcebispo do Rio e presidente da RedeVida vai comandar o Ano Mariano no “Canal da Família”, as celebrações dos 100 anos das aparições de Maria em Fátima e os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Um cardeal com características de um apóstolo contemporâneo.


Luiz Antônio Monteiro
Autor

Luiz Antônio Monteiro

Conselheiro do INBRAC e diretor da TV Independente