Arquidiocese do Rio de Janeiro

34º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 22/02/2017

22 de Fevereiro de 2017

Dom Orani e a construção da unidade

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

22 de Fevereiro de 2017

Dom Orani e a construção da unidade

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

09/12/2016 14:18 - Atualizado em 09/12/2016 14:18

Dom Orani e a construção da unidade 0

09/12/2016 14:18 - Atualizado em 09/12/2016 14:18

temp_titleDom_Orani_Eucaristia_09122016141600

Tenho a graça de privar da amizade do Cardeal Orani João Tempesta. Por ocasião dos seus 42 anos de ordenação presbiteral, gostaria de externar meu testemunho sobre o seu ministério e a sua ação evangelizadora. Quando Dom Orani me convidou para pregar o Retiro Espiritual do Clero do Rio de Janeiro pude constatar aquilo que já intuía pelo contato com os padres em todas as turmas de retiro: Dom Orani é um bispo que ama os seus padres. Sim, digo isso porque vivemos um momento de muita angústia e de incertezas no meio do clero, com perseguições, com imposições de toda ordem e com cobranças desmedidas dos padres, esquecendo que não existe bispo sem presbitério e que os padres são os primeiros colaboradores da ordem episcopal. Padres são colaboradores e não meramente funcionários do sagrado.

Dom Orani tem um estilo de vida austero, como todo monge. Acorda bem cedo, dedica-se à oração da Igreja e pela Igreja. Trabalha muito e o seu estilo de vida demonstra a profundidade de sua vida espiritual. Dom Orani está sempre disponível, estampa sempre um sorriso acolhedor e fraterno, edificando pontes de diálogo e de caridade, como aquele primeiro servidor da alegria ministerial, daquele contágio generoso dos homens dedicados totalmente a Deus e em favor do povo santo.

A vida da cidade do Rio de Janeiro se confunde hoje com a vida de Dom Orani João Tempesta. Nosso cardeal é um homem amado pelo povo da cidade, pela sua arquidiocese. Tudo isso por causa de seu estilo próximo com as pessoas, compartilhando as angústias e desafios do cotidiano carioca, sendo uma presença constante na vida da cidade, com a sua previdente benevolência pastoral e evangelizadora.

Numa grande cidade, complexa e cheia de desafios como o Rio de Janeiro, temos a certeza de ter uma voz forte e coerente do Bom Pastor que conhece as suas ovelhas, as chama pelo nome e as envia para o mundo para testemunhar o evangelho da vida. Não há uma comunidade eclesial da arquidiocese que não tenha recebido a sua visita pastoral, a celebração dos sacramentos e a vitalidade da sua presença, que anima e vivifica a ação pastoral. Dom Orani testemunha o Pai das Misericórdias, Nosso Senhor Jesus Cristo, que nos ensinou uma comunhão concreta no respeito à diversidade de dons, carismas e ministérios, atentando ao principal que é a renovação das pessoas para viverem a liberdade de filhos e filhas de Deus.

Eu creio que o mais importante nestes 42 anos de ministério é que Dom Orani intuiu muito bem que a sua vida de padre e de bispo está conformada em formar um povo abençoado pelo amor de Deus, e que é chamado e enviado a levar a benção de Deus a todos os povos da Terra. Caminhando com Cristo, Dom Orani tem suplicado ao Senhor a graça de anunciarmos a salvação e testemunhar no seguimento do Senhor Jesus e na escuta da sua Palavra de salvação, prontos a partir a cada dia para a nossa verdadeira pátria, o céu, como testemunhas do sinal do amor de Deus para todos os seus filhos.

A vocação de Dom Orani tem sido uma bênção para a Igreja e para o povo. Peçamos ao Senhor da Messe e pastor do rebanho que continue abençoando os passos do Cardeal Orani João Tempesta e que nunca lhe falte a graça de Deus. Deus abençoe Dom Orani para que ele possa continuar sendo sinal da bênção de Deus em favor do Rio de Janeiro e de todos nós que o amamos. Parabéns amado irmão, e que Deus o ilumine e conserve na construção da unidade em Cristo, para que todos nós sejamos um.

Foto: Gustavo de Oliveira

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

Dom Orani e a construção da unidade

09/12/2016 14:18 - Atualizado em 09/12/2016 14:18

temp_titleDom_Orani_Eucaristia_09122016141600

Tenho a graça de privar da amizade do Cardeal Orani João Tempesta. Por ocasião dos seus 42 anos de ordenação presbiteral, gostaria de externar meu testemunho sobre o seu ministério e a sua ação evangelizadora. Quando Dom Orani me convidou para pregar o Retiro Espiritual do Clero do Rio de Janeiro pude constatar aquilo que já intuía pelo contato com os padres em todas as turmas de retiro: Dom Orani é um bispo que ama os seus padres. Sim, digo isso porque vivemos um momento de muita angústia e de incertezas no meio do clero, com perseguições, com imposições de toda ordem e com cobranças desmedidas dos padres, esquecendo que não existe bispo sem presbitério e que os padres são os primeiros colaboradores da ordem episcopal. Padres são colaboradores e não meramente funcionários do sagrado.

Dom Orani tem um estilo de vida austero, como todo monge. Acorda bem cedo, dedica-se à oração da Igreja e pela Igreja. Trabalha muito e o seu estilo de vida demonstra a profundidade de sua vida espiritual. Dom Orani está sempre disponível, estampa sempre um sorriso acolhedor e fraterno, edificando pontes de diálogo e de caridade, como aquele primeiro servidor da alegria ministerial, daquele contágio generoso dos homens dedicados totalmente a Deus e em favor do povo santo.

A vida da cidade do Rio de Janeiro se confunde hoje com a vida de Dom Orani João Tempesta. Nosso cardeal é um homem amado pelo povo da cidade, pela sua arquidiocese. Tudo isso por causa de seu estilo próximo com as pessoas, compartilhando as angústias e desafios do cotidiano carioca, sendo uma presença constante na vida da cidade, com a sua previdente benevolência pastoral e evangelizadora.

Numa grande cidade, complexa e cheia de desafios como o Rio de Janeiro, temos a certeza de ter uma voz forte e coerente do Bom Pastor que conhece as suas ovelhas, as chama pelo nome e as envia para o mundo para testemunhar o evangelho da vida. Não há uma comunidade eclesial da arquidiocese que não tenha recebido a sua visita pastoral, a celebração dos sacramentos e a vitalidade da sua presença, que anima e vivifica a ação pastoral. Dom Orani testemunha o Pai das Misericórdias, Nosso Senhor Jesus Cristo, que nos ensinou uma comunhão concreta no respeito à diversidade de dons, carismas e ministérios, atentando ao principal que é a renovação das pessoas para viverem a liberdade de filhos e filhas de Deus.

Eu creio que o mais importante nestes 42 anos de ministério é que Dom Orani intuiu muito bem que a sua vida de padre e de bispo está conformada em formar um povo abençoado pelo amor de Deus, e que é chamado e enviado a levar a benção de Deus a todos os povos da Terra. Caminhando com Cristo, Dom Orani tem suplicado ao Senhor a graça de anunciarmos a salvação e testemunhar no seguimento do Senhor Jesus e na escuta da sua Palavra de salvação, prontos a partir a cada dia para a nossa verdadeira pátria, o céu, como testemunhas do sinal do amor de Deus para todos os seus filhos.

A vocação de Dom Orani tem sido uma bênção para a Igreja e para o povo. Peçamos ao Senhor da Messe e pastor do rebanho que continue abençoando os passos do Cardeal Orani João Tempesta e que nunca lhe falte a graça de Deus. Deus abençoe Dom Orani para que ele possa continuar sendo sinal da bênção de Deus em favor do Rio de Janeiro e de todos nós que o amamos. Parabéns amado irmão, e que Deus o ilumine e conserve na construção da unidade em Cristo, para que todos nós sejamos um.

Foto: Gustavo de Oliveira

Dom Eurico dos Santos Veloso
Autor

Dom Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG