Arquidiocese do Rio de Janeiro

31º 18º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 29/03/2017

29 de Março de 2017

São Jorge: Cavaleiro da Misericórdia

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

29 de Março de 2017

São Jorge: Cavaleiro da Misericórdia

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

11/04/2016 19:27 - Atualizado em 11/04/2016 19:31

São Jorge: Cavaleiro da Misericórdia 0

11/04/2016 19:27 - Atualizado em 11/04/2016 19:31

temp_titlesao_jorge_20042015171453É sempre uma alegria celebrar um santo ou santa de quem gostamos muito. Nós, os cariocas, nos alegramos sempre com a festa de São Jorge. Em nossa cidade, existem várias igrejas dedicadas a ele e, mesmo onde não existe uma igreja específica, a festa costuma acontecer. Para isso, não precisa muita coisa. Basta chegar o dia 23 de abril.

Convém, no entanto, que nos preparemos adequadamente para a festa, fazendo do jeito que São Jorge gostaria, isto é, voltando nosso olhar e nosso coração para a vida deste santo, nela buscando seu amor maior, Jesus Cristo, e tentando compreender como a misericórdia de Deus se manifesta na vida de alguém tão diferente de nós hoje.

Não se conhece muito da vida deste santo querido. Sabe-se que nasceu numa região chamada Capadócia, na Turquia, no séc. III. Assim como São Sebastião, foi também um soldado cristão numa época em que era crime seguir Jesus Cristo. Por defender sua fé, foi condenado ao martírio ocorrido, segundo a tradição, no dia 23 de abril.

Depois de sua morte, os cristãos começaram a manifestar admiração e carinho por um jovem tão corajoso, capaz de enfrentar o que fosse para defender sua Fé. Por isso, começaram logo a surgir várias histórias de difícil comprovação, mas com mensagem importante. Nestas histórias, o cavaleiro Jorge é sempre apresentado como um homem íntegro, corajoso, propagador do bem e combatente do mal. É dessa tradição que vem a imagem do Santo combatendo um dragão.

Neste ano, em que celebramos o Jubileu da Misericórdia, vamos nos preparar bem para a festa de São Jorge. O tema será sempre a Misericórdia de Deus e São Jorge, seu cavaleiro. Aqui, vão algumas sugestões para serem enriquecidas pelas comunidades:

1. Novena, com pequeno momento de oração;
2. Tríduo, onde nós nos voltaremos para a imagem mais conhecida, com o dragão, a lança e o cavalo.

Para o mês de abril, nossa Arquidiocese nos convida a praticarmos uma obra de misericórdia que nos vai desafiar bastante. Na linguagem tradicional, costuma-se dizer que é preciso suportar os próprios erros e os das outras pessoas. Suportar não quer dizer permanecer no erro. Jesus sempre disse “Vai e não peques mais! ” Os mártires, entre os quais São Jorge, combateram o pecado em si e nas outras pessoas, buscando sempre a conversão. Por isso, não vai ser fácil viver esta obra de misericórdia, ainda mais num mundo que manda logo matar tudo, o pecado e o pecador. Suportar ou aceitar os erros de si mesmo(a) ou de alguém significa ter a capacidade de olhar a pessoa humana que está por baixo do(a) pecador(a) e trabalhar pela conversão.

Os cantos às vezes indicados são sugestões. Ficam, porém, sempre à escolha de cada comunidade. É recomendável utilizar os cantos do Ano da Misericórdia, os hinos de S. Jorge e cantos de Páscoa. São Jorge foi fiel a Cristo Ressuscitado. Sigamos seu exemplo.

Quer na Novena, quer no Tríduo, a cada dia, o momento de oração começa com um canto. Havendo condições, pode-se fazer a entrada solene da imagem de São Jorge, com enfeites. Será bastante significativo colocar a imagem junto ao Círio Pascal, com destaque para o Círio.

As duas orações, Novena e Tríduo, podem ser feitas na presença de um padre ou diácono, mas também conduzida por qualquer batizado. Missionariamente, deve ser feita em todos os lugares, especialmente naqueles onde a presença da Igreja ainda não é satisfatória.

Que, pela intercessão de São Jorge, o Pai de Misericórdia nos abençoe e nos permita celebrar este mártir querido.

Veja abaixo as orações para o tríduo e para a novena de São Jorge:



Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

São Jorge: Cavaleiro da Misericórdia

11/04/2016 19:27 - Atualizado em 11/04/2016 19:31

temp_titlesao_jorge_20042015171453É sempre uma alegria celebrar um santo ou santa de quem gostamos muito. Nós, os cariocas, nos alegramos sempre com a festa de São Jorge. Em nossa cidade, existem várias igrejas dedicadas a ele e, mesmo onde não existe uma igreja específica, a festa costuma acontecer. Para isso, não precisa muita coisa. Basta chegar o dia 23 de abril.

Convém, no entanto, que nos preparemos adequadamente para a festa, fazendo do jeito que São Jorge gostaria, isto é, voltando nosso olhar e nosso coração para a vida deste santo, nela buscando seu amor maior, Jesus Cristo, e tentando compreender como a misericórdia de Deus se manifesta na vida de alguém tão diferente de nós hoje.

Não se conhece muito da vida deste santo querido. Sabe-se que nasceu numa região chamada Capadócia, na Turquia, no séc. III. Assim como São Sebastião, foi também um soldado cristão numa época em que era crime seguir Jesus Cristo. Por defender sua fé, foi condenado ao martírio ocorrido, segundo a tradição, no dia 23 de abril.

Depois de sua morte, os cristãos começaram a manifestar admiração e carinho por um jovem tão corajoso, capaz de enfrentar o que fosse para defender sua Fé. Por isso, começaram logo a surgir várias histórias de difícil comprovação, mas com mensagem importante. Nestas histórias, o cavaleiro Jorge é sempre apresentado como um homem íntegro, corajoso, propagador do bem e combatente do mal. É dessa tradição que vem a imagem do Santo combatendo um dragão.

Neste ano, em que celebramos o Jubileu da Misericórdia, vamos nos preparar bem para a festa de São Jorge. O tema será sempre a Misericórdia de Deus e São Jorge, seu cavaleiro. Aqui, vão algumas sugestões para serem enriquecidas pelas comunidades:

1. Novena, com pequeno momento de oração;
2. Tríduo, onde nós nos voltaremos para a imagem mais conhecida, com o dragão, a lança e o cavalo.

Para o mês de abril, nossa Arquidiocese nos convida a praticarmos uma obra de misericórdia que nos vai desafiar bastante. Na linguagem tradicional, costuma-se dizer que é preciso suportar os próprios erros e os das outras pessoas. Suportar não quer dizer permanecer no erro. Jesus sempre disse “Vai e não peques mais! ” Os mártires, entre os quais São Jorge, combateram o pecado em si e nas outras pessoas, buscando sempre a conversão. Por isso, não vai ser fácil viver esta obra de misericórdia, ainda mais num mundo que manda logo matar tudo, o pecado e o pecador. Suportar ou aceitar os erros de si mesmo(a) ou de alguém significa ter a capacidade de olhar a pessoa humana que está por baixo do(a) pecador(a) e trabalhar pela conversão.

Os cantos às vezes indicados são sugestões. Ficam, porém, sempre à escolha de cada comunidade. É recomendável utilizar os cantos do Ano da Misericórdia, os hinos de S. Jorge e cantos de Páscoa. São Jorge foi fiel a Cristo Ressuscitado. Sigamos seu exemplo.

Quer na Novena, quer no Tríduo, a cada dia, o momento de oração começa com um canto. Havendo condições, pode-se fazer a entrada solene da imagem de São Jorge, com enfeites. Será bastante significativo colocar a imagem junto ao Círio Pascal, com destaque para o Círio.

As duas orações, Novena e Tríduo, podem ser feitas na presença de um padre ou diácono, mas também conduzida por qualquer batizado. Missionariamente, deve ser feita em todos os lugares, especialmente naqueles onde a presença da Igreja ainda não é satisfatória.

Que, pela intercessão de São Jorge, o Pai de Misericórdia nos abençoe e nos permita celebrar este mártir querido.

Veja abaixo as orações para o tríduo e para a novena de São Jorge: