Arquidiocese do Rio de Janeiro

26º 19º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 25/06/2017

25 de Junho de 2017

“Tu és a alegria de teu Deus”

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

25 de Junho de 2017

“Tu és a alegria de teu Deus”

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

27/01/2016 14:00 - Atualizado em 27/01/2016 14:01

“Tu és a alegria de teu Deus” 0

27/01/2016 14:00 - Atualizado em 27/01/2016 14:01

“Por amor de Sião não me calarei, por amor de Jerusalém não descansarei. Também tu és a alegria de teu Deus” (Is. 62, 1.5d.).

O Deus apresentado pelo profeta Isaias é um Deus profundamente humano. Um Deus que se coloca ao lado de cada um de nós; com ternura, amor, alegria, misericórdia.

Por que somos a alegria de Deus, ele nos ama, e este amor não permite que Ele se cale ou descanse enquanto a justiça não for feita para os seres humanos. Enquanto o resgate da graça original, perdida com o pecado original, não retorne ao homem. Fomos criados para vivermos na plenitude do amor de Deus. Mas Adão e Eva, nossos pais espirituais, romperam com esse amor. Mas Deus jamais rompeu a aliança de amor feita com o ser humano. Por isso, Isaias diz que “tu és a alegria de teu Deus”.

Desde a queda, Deus se colocou aos pés de sua criatura para que ela regressasse ao amor original. Ao estado de graça no qual homem e mulher vivam no “paraíso”. Para que retornem à justiça fundante da humanidade. Que voltem a harmonia pensada e querida pelo criador.

Quando alguém olha para outrem com olhar de amor, ternura, dedicação e misericórdia logo se coloca a serviço. Torna-se pronto para ajudar no resgate desta pessoa, pois vê a situação de injustiça (pecado), de desgraça em que a pessoa se encontra.

Assim é nosso Deus. Logo após a queda do ser humano ele se colocou pronto e disponível para trazer à humanidade a situação de justiça. Enquanto a humanidade não entender que em Deus está a justiça e salvação, ele não se calará e não descansará de estar ao lado dos seus.

Deixemos que a alegria do amor de Deus invada nossos corações. Afastemo-nos das mesquinharias do ciúme, da inveja, da discórdia, do medo, da ganância. De todo e qualquer pecado que nos faça olhar para o outro como rival. Deus é amor. Nós fomos criados no amor. O amor é nossa essência. Somos a alegria de Deus. E se Deus é nossa alegria, nada poderá nos afastar de amor de Deus por nós, disse São Paulo.

Lembre-se, “tu és a alegria de teu Deus”.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

“Tu és a alegria de teu Deus”

27/01/2016 14:00 - Atualizado em 27/01/2016 14:01

“Por amor de Sião não me calarei, por amor de Jerusalém não descansarei. Também tu és a alegria de teu Deus” (Is. 62, 1.5d.).

O Deus apresentado pelo profeta Isaias é um Deus profundamente humano. Um Deus que se coloca ao lado de cada um de nós; com ternura, amor, alegria, misericórdia.

Por que somos a alegria de Deus, ele nos ama, e este amor não permite que Ele se cale ou descanse enquanto a justiça não for feita para os seres humanos. Enquanto o resgate da graça original, perdida com o pecado original, não retorne ao homem. Fomos criados para vivermos na plenitude do amor de Deus. Mas Adão e Eva, nossos pais espirituais, romperam com esse amor. Mas Deus jamais rompeu a aliança de amor feita com o ser humano. Por isso, Isaias diz que “tu és a alegria de teu Deus”.

Desde a queda, Deus se colocou aos pés de sua criatura para que ela regressasse ao amor original. Ao estado de graça no qual homem e mulher vivam no “paraíso”. Para que retornem à justiça fundante da humanidade. Que voltem a harmonia pensada e querida pelo criador.

Quando alguém olha para outrem com olhar de amor, ternura, dedicação e misericórdia logo se coloca a serviço. Torna-se pronto para ajudar no resgate desta pessoa, pois vê a situação de injustiça (pecado), de desgraça em que a pessoa se encontra.

Assim é nosso Deus. Logo após a queda do ser humano ele se colocou pronto e disponível para trazer à humanidade a situação de justiça. Enquanto a humanidade não entender que em Deus está a justiça e salvação, ele não se calará e não descansará de estar ao lado dos seus.

Deixemos que a alegria do amor de Deus invada nossos corações. Afastemo-nos das mesquinharias do ciúme, da inveja, da discórdia, do medo, da ganância. De todo e qualquer pecado que nos faça olhar para o outro como rival. Deus é amor. Nós fomos criados no amor. O amor é nossa essência. Somos a alegria de Deus. E se Deus é nossa alegria, nada poderá nos afastar de amor de Deus por nós, disse São Paulo.

Lembre-se, “tu és a alegria de teu Deus”.

Diácono Marcos Gayoso
Autor

Diácono Marcos Gayoso

Relações Públicas da Comissão Arquidiocesana dos Diáconos Permanentes da Arquidiocese do Rio de Janeiro (CADIPERJ)