Arquidiocese do Rio de Janeiro

36º 23º

Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, 20/10/2017

20 de Outubro de 2017

ECOM 2017: Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do e-mail.
E-mail enviado com sucesso.

20 de Outubro de 2017

ECOM 2017: Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo

Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo. O link da página será enviado automaticamente a ArqRio.

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do erro.
Erro relatado com sucesso, obrigado.

19/05/2017 00:00 - Atualizado em 26/05/2017 10:30

ECOM 2017: Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo 0

temp_titleecom_2017_23052017104543

O 51º Dia Mundial das Comunicações Sociais (DMCS) será comemorado no dia 28 de maio. Como de costume, próximo à data, a arquidiocese promoverá o Encontro de Comunicação da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (E-com). Será no dia 27 de maio, de 13h às 17h, no auditório do 2º andar do Edifício João Paulo II, na Glória.

Este ano não será necessário fazer inscrições e podem participar todos os profissionais da área de comunicação interessados em noticiar sobre a Igreja, agentes da Pastoral da Comunicação (Pascom) e demais pessoas que atuem ou desejem atuar na comunicação católica. Este é o nono ano em que o evento acontece, sendo o quinto com o formato atual.

Tema e estrutura

O tema escolhido pelo Papa Francisco para as reflexões deste ano foi “‘Não tenhas medo, que Eu estou contigo’ (Is 43, 5). Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo”. No E-com a proposta é de que as pessoas reflitam sobre mesmo tema, guiados pelas palavras do pastor da arquidiocese,  Cardeal Orani João Tempesta.

Em seguida, haverá duas palestras: “Ética na Comunicação”, ministrada pela professora de ética profissional do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio e gerente de jornalismo da Rádio Catedral FM, Marcylenne Capper, e “Direito de imagem”, proferida pela diretora jurídica da Mitra, Claudine Milione.

O organizador, padre Márcio Queiróz, coordenador da Pascom Rio, contou que já é possível perceber mudanças na forma de comunicar dos católicos ao longo desses anos em que o evento acontece. “Eu acredito em um mundo em que há pessoas boas, que vivem de fato a preocupação com o bem comum e são fraternas. Só que esse mundo não é visto porque não é apresentado às pessoas. ‘Não interessa.’ O que dá audiência é catástrofe. E não aquilo que é positivo. Pretendemos trabalhar para combater isso e refletir sobre como nós, católicos, podemos trabalhar isso de modo diferente, criando esperança”, pontuou.

Mensagem do Papa

Em sua mensagem para o Dia das Comunicações, o Papa Francisco exortou os cristãos a comunicarem a verdade sob um olhar otimista e de esperança, com o objetivo de promover cada vez mais uma cultura do encontro. Segundo ele, é necessário “romper o círculo vicioso da angústia e deter a espiral do medo resultante do hábito de se fixar a atenção nas notícias más (guerras, terrorismo, escândalos e todo o tipo de falimento nas vicissitudes humanas)”. “Não se trata, naturalmente, de promover desinformação onde seja ignorado o drama do sofrimento, nem de cair num otimismo ingênuo que não se deixe tocar pelo escândalo do mal [...]. Num sistema comunicador onde vigora a lógica de que uma notícia boa não desperta a atenção e, por conseguinte, não é uma notícia, e onde o drama do sofrimento e o mistério do mal facilmente são elevados a espetáculo, podemos ser tentados a anestesiar a consciência ou cair no desespero”, afirmou ele na carta publicada em janeiro deste ano.

Segundo o padre Márcio, ao refletir a mensagem do Papa, é possível perceber a necessidade de comunicar a verdade. E ele considera isso um desafio a ser vencido pelos comunicadores católicos. “Muitas vezes a mídia secular se perde nesse processo. Acaba ‘construindo’ verdades. E mesmo nas redes sociais encontramos notícias falsas das quais não sabemos a fonte e nem buscamos saber. Assim, podemos estar destruindo a vida de uma pessoa apenas por não ter ido buscar a fonte e desconhecer a verdade”, explicou.

Formas de participar

Segundo o secretário da Pascom Rio e coordenador da Pascom no Vicariato Leopoldina, Gustavo Kelly, este ano não será necessário inscrever-se para participar. Basta comparecer e levar um lanche para ser partilhado entre os presentes. “Todos são convidados, não apenas os agentes da Pascom e profissionais de comunicação, mas todos aqueles que simpatizem e queiram colaborar com a comunicação da Igreja”, disse.

Leia os comentários

Deixe seu comentário

Resposta ao comentário de:

Enviando...
Por favor, preencha os campos adequadamente.
Ocorreu um erro no envio do comentário.
Comentário enviado para aprovação.

ECOM 2017: Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo

19/05/2017 00:00 - Atualizado em 26/05/2017 10:30

temp_titleecom_2017_23052017104543

O 51º Dia Mundial das Comunicações Sociais (DMCS) será comemorado no dia 28 de maio. Como de costume, próximo à data, a arquidiocese promoverá o Encontro de Comunicação da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (E-com). Será no dia 27 de maio, de 13h às 17h, no auditório do 2º andar do Edifício João Paulo II, na Glória.

Este ano não será necessário fazer inscrições e podem participar todos os profissionais da área de comunicação interessados em noticiar sobre a Igreja, agentes da Pastoral da Comunicação (Pascom) e demais pessoas que atuem ou desejem atuar na comunicação católica. Este é o nono ano em que o evento acontece, sendo o quinto com o formato atual.

Tema e estrutura

O tema escolhido pelo Papa Francisco para as reflexões deste ano foi “‘Não tenhas medo, que Eu estou contigo’ (Is 43, 5). Comunicar esperança e confiança, no nosso tempo”. No E-com a proposta é de que as pessoas reflitam sobre mesmo tema, guiados pelas palavras do pastor da arquidiocese,  Cardeal Orani João Tempesta.

Em seguida, haverá duas palestras: “Ética na Comunicação”, ministrada pela professora de ética profissional do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio e gerente de jornalismo da Rádio Catedral FM, Marcylenne Capper, e “Direito de imagem”, proferida pela diretora jurídica da Mitra, Claudine Milione.

O organizador, padre Márcio Queiróz, coordenador da Pascom Rio, contou que já é possível perceber mudanças na forma de comunicar dos católicos ao longo desses anos em que o evento acontece. “Eu acredito em um mundo em que há pessoas boas, que vivem de fato a preocupação com o bem comum e são fraternas. Só que esse mundo não é visto porque não é apresentado às pessoas. ‘Não interessa.’ O que dá audiência é catástrofe. E não aquilo que é positivo. Pretendemos trabalhar para combater isso e refletir sobre como nós, católicos, podemos trabalhar isso de modo diferente, criando esperança”, pontuou.

Mensagem do Papa

Em sua mensagem para o Dia das Comunicações, o Papa Francisco exortou os cristãos a comunicarem a verdade sob um olhar otimista e de esperança, com o objetivo de promover cada vez mais uma cultura do encontro. Segundo ele, é necessário “romper o círculo vicioso da angústia e deter a espiral do medo resultante do hábito de se fixar a atenção nas notícias más (guerras, terrorismo, escândalos e todo o tipo de falimento nas vicissitudes humanas)”. “Não se trata, naturalmente, de promover desinformação onde seja ignorado o drama do sofrimento, nem de cair num otimismo ingênuo que não se deixe tocar pelo escândalo do mal [...]. Num sistema comunicador onde vigora a lógica de que uma notícia boa não desperta a atenção e, por conseguinte, não é uma notícia, e onde o drama do sofrimento e o mistério do mal facilmente são elevados a espetáculo, podemos ser tentados a anestesiar a consciência ou cair no desespero”, afirmou ele na carta publicada em janeiro deste ano.

Segundo o padre Márcio, ao refletir a mensagem do Papa, é possível perceber a necessidade de comunicar a verdade. E ele considera isso um desafio a ser vencido pelos comunicadores católicos. “Muitas vezes a mídia secular se perde nesse processo. Acaba ‘construindo’ verdades. E mesmo nas redes sociais encontramos notícias falsas das quais não sabemos a fonte e nem buscamos saber. Assim, podemos estar destruindo a vida de uma pessoa apenas por não ter ido buscar a fonte e desconhecer a verdade”, explicou.

Formas de participar

Segundo o secretário da Pascom Rio e coordenador da Pascom no Vicariato Leopoldina, Gustavo Kelly, este ano não será necessário inscrever-se para participar. Basta comparecer e levar um lanche para ser partilhado entre os presentes. “Todos são convidados, não apenas os agentes da Pascom e profissionais de comunicação, mas todos aqueles que simpatizem e queiram colaborar com a comunicação da Igreja”, disse.